Topo

Viagem

Hotel de divórcio: o lugar onde os hóspedes entram casados e saem solteiros

Divulgação/DivorceHotel
A DivorceHotel usa confortáveis hotéis, como o Gideon Putnan (na foto), para ajudar casais a chegar a um divórcio amigável Imagem: Divulgação/DivorceHotel

Marcel Vincenti

Colaboração para o UOL

23/06/2018 04h00

Hotéis são lugares que remetem a descanso, férias, diversão e até a noites apaixonadas de lua de mel. Nos Estados Unidos e Europa, entretanto, há estabelecimentos hoteleiros usados para outro propósito: são locais onde os hóspedes entram casados e de onde saem solteiros. 

Leia também

Não se trata de portais mágicos capazes de acabar com o matrimônio de qualquer casal. Mas quase isso: homens e mulheres fazem o check-in nestes lugares justamente para selar seu divórcio em um ambiente agradável e que favoreça uma discussão amigável entre duas pessoas que querem se separar.

Getty Images
Para concluir o divórcio em um fim de semana, a DivorceHotel fornece mediadores para seus clientes (imagem meramente ilustrativa) Imagem: Getty Images

Tudo faz parte de um programa desenhado pela empresa holandesa Divorce Hotel: eles colocam casais que decidiram se divorciar em hotéis de luxo e fornecem todos os instrumentos para que, em apenas um fim de semana, a união seja encerrada de maneira positiva para ambos os lados.

Isso inclui a hospedagem em suítes confortáveis e o trabalho de mediadores e advogados que, em salas preparadas especialmente para este fim, ajudam os ex-pombinhos a chegar aos melhores termos para sua separação. Entre uma reunião e outra, os dois hóspedes são incentivados a frequentar espaços agradáveis do hotel, como a piscina e o spa. 

Segundo Jim Halfens, criador do Divorce Hotel, as partes envolvidas nunca sabem quando o processo de um divórcio tradicional vai terminar e quanto vai custar. O objetivo de sua empresa é justamente exterminar essas incertezas.

Divulgação/DivorceHotel
Suíte de um dos hotéis parceiros da DivorceHotel na Holanda Imagem: Divulgação/DivorceHotel

Ele diz que a ideia é isolar os cônjuges em um ambiente neutro, longe de familiares e amigos (que podem ser fonte de tensão em uma separação) e onde eles estejam assessorados por especialistas e com fácil acesso um ao outro. E tudo já com um preço pré-definido e com a meta de o processo ser encerrado ao término de 48 horas. 

"E o hotel oferece um ambiente relaxante para a realização do divórcio", diz Halfens. "A ideia é trabalhar duro para chegar a um acordo durante o fim de semana, mas a estrutura do hotel também dá oportunidades para que as partes envolvidas possam relaxar e refletir".

América e Europa

Atualmente, a Divorce Hotel trabalha com hotéis nos Estados Unidos, Holanda e Reino Unido para hospedar seus clientes (ainda não há planos de trazer a iniciativa para o Brasil).

Divulgação/DivorceHotel
Para Jim Halfens, o ambiente dos hotéis pode contribuir para um acordo de divórcio Imagem: Divulgação/DivorceHotel

Um deles é o Gideon Putnan, em Saratoga Springs, no Estado norte-americano de Nova York, um estabelecimento que oferece quartos luxuosos, spa, uma ampla piscina e até quadra de tênis. 

Já na Holanda, um dos hotéis utilizados pela iniciativa é o Carlton Ambassador, na bela cidade de Haia, também com uma estrutura bastante sofisticada e confortável.

E, logicamente, não se trata de estabelecimentos que funcionam unicamente para sediar separações matrimoniais. Mas o anonimato dos clientes é uma das prioridades da Divorce Hotel. "No hotel, ninguém saberá que você está lá para se separar", afirma Jim. "Mas nossos clientes ficam cercados pelos outros hóspedes, para que eles não percam o senso de normalidade". 

Mas, como em qualquer divórcio, os custos não são baratos. "O preço médio pelo divórcio conosco é de cerca de 7.000 euros. Mas um divórcio tradicional em muitos países do mundo pode custar o dobro". 

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Viagem