menu
Topo

Viagem

Como viajar na primeira classe pagando menos que na econômica

Divulgação/Singapore Airlines
A primeira classe da Singapore Airlines é um verdadeiro quarto de hotel Imagem: Divulgação/Singapore Airlines

Eric Rosen

19/10/2018 10h59

Especialistas do setor da aviação vêm proclamando a morte da primeira classe há anos. Embora algumas empresas aéreas tenham eliminado completamente essa classe, outras estão aumentando a aposta nela com assentos que parecem uma suíte palaciana, comodidades extravagantes e serviços que mimam o passageiro, tanto em solo quanto no ar.

Isso abriu as portas para uma era dourada das viagens aéreas... para quem puder pagar.

Veja também

Em novembro, a Singapore Airlines e a Emirates Airline apresentaram suítes de primeira classe novinhas em folha, com comodidades extravagantes como minibar na suíte e interiores inspirados na Mercedes-Benz. Uma passagem de ida e volta de Dubai a Genebra nas novas suítes da Emirates pode custar mais de US$ 8.000 – e esse é o extremo mais acessível do espectro.

Essas empresas aéreas não estão sozinhas: melhorias mais discretas e graduais em empresas como Cathay Pacific Airways e Société Air France resultaram em experiências verdadeiramente premium, com mais espaço para armazenamento pessoal, telas de entretenimento de última geração e controles nos assentos com tela de toque.

Mas o que as empresas aéreas não querem que ninguém perceba é que basta um pouco de esperteza na hora de usar os pontos para poder viajar nesses assentos por pouco dinheiro. Além disso, graças a cartões de crédito poderosos, como o Chase Sapphire Reserve e o American Express Platinum, talvez não seja necessário ser fiel a uma companhia.

O segredo é ajustar a estratégia de acordo com o destino e o assento desejado (1A, por favor). A seguir, truques para viajar nas melhores cabinas dos céus.

Suítes de primeira classe da Emirates

A Emirates não tem parcerias com as grandes alianças de empresas aéreas, mas oferece parcerias de pontos valiosas e fáceis de aproveitar. Uma delas é com o American Express Membership Rewards, cujos pontos podem ser usados para fazer uma reserva gratuita pelo site da Emirates. Uma passagem de primeira classe entre Dubai e a Europa custa 85.000 milhas por trecho.

Suítes de primeira classe da Singapore Airlines

Divulgação/Singapore Airlines
Imagem: Divulgação/Singapore Airlines

A única moeda de milhagem aceita pela Singapore Airlines para reservas na primeira classe são suas próprias milhas, as KrisFlyer - que têm parceria para transferências com American Express Membership Rewards, Chase Ultimate Rewards e Citi ThankYou Rewards. Até mesmo um novo membro da KrisFlyer pode conseguir as 75.000 milhas necessárias para uma passagem de ida de Cingapura a Sidney transferindo o mesmo número de pontos de um desses programas parceiros.

La Première da Air France

Divulgação/Air France
Imagem: Divulgação/Air France

Como um comissário de bordo da Air France me disse em uma viagem recente, "não existem upgrades para La Première". A empresa aérea também não ajuda a conseguir uma passagem gratuitamente com milhas, mas é possível. Para isso, você tem que usar apenas as milhas Flying Blue da Air France - e somente se tiver status de elite com essa companhia aérea. A boa notícia é que você só precisa de um nível básico do status de elite para ser apto, portanto passageiros frequentes podem creditar algumas semanas ou meses de viagens com Flying Blue e pronto. O programa Flying Blue também tem parcerias de transferência com o American Express Membership Rewards, com o Chase Ultimate Rewards e com o Citi ThankYou Rewards, portanto, é fácil reforçar sua conta com pontos de outros programas.

Mais Viagem