Topo

Viagem


Conheça o conforto e as mordomias de um cruzeiro de luxo no litoral europeu

Marcel Vincenti

Do UOL, em Dubrovnik *

2012-09-04T08:00:00

04/09/2012 08h00

Ainda em crescimento no Brasil, o mercado de cruzeiros de luxo já opera a todo vapor no continente europeu. O objetivo de quem embarca nesse tipo de viagem é mais do que óbvio: desfrutar de uma embarcação onde os mimos são fartos e a população a bordo, escassa. Exclusividade é a palavra mágica: para cada passageiro, um tripulante à disposição, pronto para lhe servir champanhe na piscina, arrumar seu quarto duas vezes ao dia e trazer requintados pratos na hora do jantar.

Os preços desses cruzeiros são caros, mas nem sempre proibitivos. Uma passagem para 12 dias em uma embarcação luxuosa para 200 passageiros no oceano Atlântico, por exemplo, pode ser encontrada, à venda no Brasil, por cerca de dois mil dólares. Na viagem, além de navegar, dormir e comer como rei, o passageiro terá a chance de conhecer lugares como Lisboa e a Ilha da Madeira.

Para conhecer os serviços de um cruzeiro de luxo, o UOL Viagem embarcou, em pleno verão europeu, no navio L'Austral, da empresa francesa Compagnie Du Ponant, para uma jornada de oito dias pelo mar Adriático. O ponto de partida e de chegada foi a cidade de Veneza, na Itália, e, no caminho, estiveram as principais cidades da costa da Croácia e a Baía de Kotor, em Montenegro.

Com passagens custando a partir de 3.150 dólares (preço que inclui todas as refeições a bordo), o L´Austral comporta 400 pessoas (264 passageiros e 136 tripulantes) e suas 132 suítes - nem sempre enormes, mas todas com varanda para o mar - são equipadas com camas king ou queen size, travesseiros de pena de ganso, ar-condicionado, iPod player e uma TV de tela plana em que os viajantes podem assistir a uma extensa programação de filmes e acompanhar a exata localização do navio durante a viagem. O serviço de cabine funciona 24 horas por dia e as amenities disponíveis no banheiro, todas da marca L'Occitane, incluem shampoo, condicionador, sabonete de banho, sabonetes em barra e creme para o corpo.      

A embarcação, toda decorada de maneira sóbria e elegante, com detalhes em madeira americana de lei e cristais Swarovski, ainda conta com spa, piscina, salão de beleza, butique, biblioteca, piano-bar e um teatro onde, quase todos os dias, são realizados shows de música e dança (durante a viagem da reportagem o local abrigou uma apresentação do espetáculo “Mamma Mia!”, encenado por atores do Théâtre Mogador, um dos mais famosos de Paris).

  • Marcel Vincenti/UOL

    Com decoração sóbria, recepção do cruzeiro L'Austral é decorada com cristais Swarovski

No spa, iluminado de acordo as leis da cromoterapia, há sessões de massagem e tratamentos faciais feitos com produtos da Sothys que podem durar todo o dia, mas a um preço extra: cada serviço não custa menos de 80 euros. E da butique, os produtos saem diretamente para o corpo de atraentes modelos, que, na tentativa despertar o ânimo consumista dos passageiros, realizam desfiles à beira da piscina paramentadas com roupas da Lacoste, jóias da Swarovski e loções Kérastase.

Vale destacar o excelente serviço de informações do L'Austral: jornais com as notícias do dia em cinco idiomas (incluindo português) são disponibilizados, diariamente, para os passageiros na recepção do navio e, todas as noites, a tripulação deixa nas suítes um relatório com todas as atividades que serão realizadas no dia seguinte, incluindo informações históricas das cidades a serem visitadas.

Hedonismo gordo

Apesar dos shows e desfiles, o L'Austral está longe de ser uma festa flutuante: com um público composto principalmente por idosos e casais em busca de uma viagem romântica, o cruzeiro mostrou-se um lugar ideal para quem quer ter férias tranquilas, onde as principais atividades são admirar o litoral europeu, bronzear-se na piscina (que, pelo porte do navio, poderia ser um pouco maior) e ter experiências gastronômicas inesquecíveis.

“O navio tem como foco pessoas que gostam embarcações com estilo de iate, com decoração clean e uma agenda que siga o savoir faire [saber fazer] da França”, afirma o diretor de vendas da Ponant Cruises, Stephen Winter. “É um ambiente descontraído, mas que não obriga o passageiro a participar de atividades o tempo todo”. 

  • Marcel Vincenti/UOL

    Passageiro relaxa em deque do L'Austral, cruzeiro que está longe de ser uma viagem festeira

Os cardápios dos dois restaurantes do L’Austral, sempre comandados por celebrados chefs europeus, comportam algumas das receitas mais refinadas da alta culinária francesa e mundial: raviólis recheados com foie gras, moluscos cobertos com caviar, ensopados de lagosta, ovos mexidos temperados com carne de ouriço do mar, filé de bacalhau ao molho de xerez e pratos forrados por fresquíssimas ostras. Acompanham a comida, sem nenhum valor adicional, alguns vinhos de qualidade razoável, como o tinto italiano Bartali Blasone.

Se o passageiro quiser uma garrafa mais refinada, porém, pode pagar 140 euros por um Château Canon La Gaffelière 2008 ou 550 euros por um Château d'Yquem 1996. Como sobremesa, sorvetes italianos com figo caramelizado, crème brûlée de pistache, mousse de mascarpone ao molho de amaretto. 

O café da manhã, por sua vez, segue o mesmo perfil do jantar: todas as manhãs, os passageiros se deparam com mesas fartas de pães finos, frutas variadas, geleias francesas, sucos frescos e uma sessão que inclui até salmão defumado, mostarda de Dijon e queijo brie. Alimentos que darão um sustento fundamental para os passeios em terra que podem ser realizados todos os dias.

De frente para o Adriático

O cronograma do L'Austral permite que os passageiros disponham de um grande tempo para explorar as cidades portuárias do Mar Adriático: o navio quase sempre começa a viajar no final da tarde, chegando no começo da manhã a seus destinos. Na viagem realizada pela reportagem, o cruzeiro ancorou nas cidades de Šibenik, Split, Korcula, Dubrovnik, Hvar, Pula e Rovinj (na Croácia), e em Kotor (Montenegro). Os passageiros podiam visitar os locais por conta própria ou em tours organizados pela Compagnie du Ponant, cujos bilhetes custavam de 30 a 90 euros.

  • Marcel Vincenti/UOL

    A Baía de Kotor, em Montenegro, é um dos destinos visitados por cruzeiros no mar Adriático

Todos destinos com histórias milenares, tais lugares abrigam complexos arquitetônicos romanos (como o Palácio de Diocleciano, em Split), igrejas medievais (como a Catedral da Assunção da Virgem, em Dubrovnik) e até a casa onde supostamente nasceu Marco Polo (localizada na ilha de Korcula).

Dubrovnik, aliás, é hoje Patrimônio Mundial da Unesco e oferece ao turista um dos mais belos passeios de toda a Europa: os visitantes podem fazer uma caminhada de 2 km sobre as muralhas que cercam a área histórica da cidade, construídas entre os séculos 13 e 16 e que, viradas para o mar, já protegeram Dubrovnik em diversas guerras: das invasões turcas no século 15 aos ataques do Exército iugoslavo nos anos 1990. De lá de cima, o turista pode admirar construções como o Portão de Pile (de 1537), o Mosteiro Dominicano (construído em estilo gótico-renascentista no século 14) e o Palácio do Reitor (do século 15).

Vale lembrar que as praias da Croácia estão entre as mais belas da Europa. Por isso, não faltam oportunidades para um mergulho no mar durante o cruzeiro. Na ilha de Korcula (uma das 1.244 ilhas da costa croata), o mar é cristalino e algumas faixas de areia dividem espaço com muralhas medievais. Em Hvar (outra ilha), é possível praticar mergulho e explorar as profundezas do mar Adriático. E em Šibenik o mergulho não é necessariamente em águas salgadas, mas nas correntes das cachoeiras do Parque Nacional Krka, localizado nos arredores da cidade e um passeio imperdível para quem passa pela região.    

  • Marcel Vincenti/UOL

    Vizinho da cidade portuária de Sibenik, o Parque Nacional Krka é formado por cachoeiras e piscinas naturais, podendo ser visitado por quem navega pela costa da Croácia

É do outro lado da fronteira, porém, que está a grande surpresa da jornada: um país chamado Montenegro. O ápice da viagem, sem dúvida, é o momento em que o cruzeiro entra na Baía de Kotor e, durante 30 minutos, cruza um dos mais impressionantes fiordes da Europa. O oceano calmo, pontuado por ilhotas que sustentam igrejas e cercado por lindas cidades como Kotor, Herceg Novi e Perast, parece conduzir o navio para dentro de um cenário do filme “O Senhor dos Anéis”.

Ao piano, um músico do cruzeiro toca composições de Chopin, enquanto, de cima do navio, diversos casais brindam com champanhe.

Muitos deles jamais haviam sonhado em pisar nesse pequeno (e lindo) país dos Balcãs, que se separou da Sérvia apenas em 2006. Mas admitem, quase de maneira unânime, que estavam perdendo tempo. Se toda a região ainda é associada à brutal guerra que se seguiu ao colapso da Iugoslavia, nos anos 90, Montenegro, cada vez mais, tem se tornado destino para quem ama navegar nas pacíficas águas do mar Adriático. 

Para informações sobre compras de passagens de cruzeiros de luxo no Brasil, acesse: www.cruzeirosmaritimos.com.br/

*O repórter Marcel Vincenti viajou no L'Austral a convite da Qualitours e da Compagnie du Ponant

Mais Viagem