UOL Viagem
 
14/09/2009 - 09h45

Após reforma, Avenida Paulista perde 108 árvores

São Paulo - Na reforma de R$ 10,7 milhões das calçadas da Avenida Paulista, a Prefeitura de São Paulo tirou mais árvores e plantou menos mudas do que deveria, segundo a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente. A escassez de arborização é um dos motivos de o cartão-postal parecer mais gelado em dias frios e mais quente no calor. A dívida é de 108 exemplares. Número que faz diferença em uma via que tem cerca de 250 árvores - a reportagem contou uma a uma na semana passada. A secretaria não forneceu o número oficial.

Nas obras, a Subprefeitura da Sé foi autorizada a tirar da Paulista 151 árvores. Em compensação, deveria plantar 180 mudas. No entanto, retirou 161 plantas - 10 que tinham de ser preservadas aparentemente foram cortadas. Segundo a Secretaria do Verde, foram plantadas 82. A Subprefeitura da Sé afirma que plantou 24 mudas na Avenida Paulista e as outras 156 no canteiro central da Avenida 23 de Maio porque faltava área permeável para o plantio do tipo de muda exigida.

As árvores ajudam a moderar a temperatura. Elas umidificam o ar, funcionando como canais entre o solo coberto de cimento e asfalto e a atmosfera. "A árvore absorve a energia no calor e a libera no frio", diz o doutor em Geociência Edmilson Freitas, professor do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo (USP). Como exemplo, ele sugere sair da calçada em um dia quente e entrar no Parque Trianon, na própria Avenida Paulista. "É outro planeta." Não que uma centena de árvores cause mudança drástica no clima. "Mas interfere."

Fiscal

Quem percebeu a falta das plantas foi um engenheiro florestal da Secretaria do Verde, que elaborou os termos de compromisso ambiental (TCAs) a serem cumpridos pelas construtoras - desde as calçadas da Avenida Paulista até a ampliação da Marginal do Tietê, tocada pelo governador paulista, José Serra (PSDB). Solicitada, a Prefeitura enviou parte dos TCAs da Avenida Paulista. Nos documentos não constam os locais onde os cortes foram permitidos e onde as mudas foram plantadas.

A Secretaria do Verde diz que fiscaliza "rigorosamente" o cumprimento dos TCAs. Mas não quis dizer se, quando e como pode aplicar multa à Subprefeitura da Sé, que tem 30 dias para se manifestar sobre a possível irregularidade no replantio das árvores. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Veja também

Carregando...