UOL Viagem
 
10/03/2009 - 17h16

Dólar comercial recua 1,09% e fecha cotado a R$ 2,349

São Paulo - Em meio à firme recuperação parcial de perdas pelas bolsas norte-americanas, investidores no Brasil trocaram o mercado cambial por aplicações em renda fixa e ações. Com isso, os juros futuros caíram mais e a Bovespa disparou. No câmbio, o dólar registrou baixa durante toda a sessão, com um giro financeiro um pouco melhor do que na véspera.

O dólar comercial caiu 1,09%, a R$ 2,349. Na BM&F, o dólar negociado à vista cedeu 1,34%, para R$ 2,348. O volume financeiro total movimentado foi de cerca de US$ 1,850 bilhão.

Para o economista-chefe da Itaú Securities, Guilherme da Nóbrega, o mercado cambial local reagiu hoje ao "kit mundo bom", referindo-se à disparada das bolsas em Wall Street e de alguns índices acionários na Europa, como o da Bolsa de Londres, que saltou 4,88%, e o da Bolsa de Paris, que ganhou 5,73%. Em Nova York, o índice Dow Jones fechou em alta de 5,79% (dado preliminar). No Brasil, a Bovespa também caminha para um fechamento em alta superior a 5%.

Os mercados como um todo reagiram à declaração do presidente do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), Ben Bernanke, de que, dado o frágil estado do setor financeiro e da economia mundial, a quebra de grandes bancos não será permitida. Declarações do executivo-chefe do Citigroup, Vikram Pandit, em carta aos funcionários, de que o banco será lucrativo durante os dois primeiros meses do ano, desafiando previsões de prejuízo, também ajudaram a aliviar a tensão dos investidores. Outra notícia considerada animadora veio da China, que registrou aumento de 25% das vendas de veículos em fevereiro ante igual mês do ano passado, depois de três meses seguidos de queda.

Contudo, os indicadores econômicos continuaram justificando a desconfiança dos investidores sobre o futuro econômico global. O IBGE divulgou hoje o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro no quarto trimestre, que apresentou queda de 3,6% em relação ao três meses anteriores. O principal destaque nos EUA foi a queda de 0,7% dos estoques e de 2,9% das vendas no atacado em janeiro ante dezembro. Na Europa, a produção industrial do Reino Unido caiu 12,8% em janeiro ante janeiro de 2008, o maior declínio desde 1981.

Veja também

Carregando...