UOL Viagem

05/05/2008 - 16h38

Dólar comercial fecha em alta de 0,42%, a R$ 1,657

Depois de duas sessões consecutivas de baixa, o dólar fechou o dia em alta em relação ao real, tanto no mercado interbancário quanto na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), combinando realização de lucros com cautela. A inevitável discussão sobre uma possível calibragem no pedágio cobrado ao capital estrangeiro de curto prazo, atraído após a obtenção do grau de investimento pelo Brasil (reconhecimento de que o País é de baixo risco para os investidores), esteve nas rodas de negócios hoje.

O assunto deve entrar em pauta na reunião de coordenação política do presidente Luiz Inácio Lula da Silva marcada para quarta-feira (dia 7). Porém, esta tarde, o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, afirmou não ter conhecimento sobre discussões, no governo, de medidas para conter os ingressos de capital especulativo. "Nós não falamos no governo sobre isso", disse. "Vamos esperar chegar o dinheiro primeiro", brincou.

De qualquer forma, o mercado não gosta da possibilidade de que qualquer tipo de barreira seja criada para conter a entrada de dinheiro estrangeiro. Assim, além de retrair os exportadores, a notícia afeta as decisões das tesourarias dos bancos, que passaram a comprar dólares hoje.

Esses comentários pressionaram para cima as cotações do dólar. Depois de ter encerrado a sexta-feira a R$ 1,65 no mercado interbancário e abaixo dessa marca - R$ 1,648 - na BM&F, a moeda americana voltou a subir hoje. No fechamento, o dólar comercial teve alta de 0,42% e fechou cotado a R$ 1,657. Na BM&F, o dólar à vista avançou 0,61% e fechou a R$ 1,658. (AE)

Compartilhe: