UOL Viagem

11/01/2008 - 16h50

Dólar fecha semana em baixa, a R$ 1,747

O dólar voltou a fechar em queda hoje, pelo segundo dia consecutivo, após uma semana de sobe-e-desce nas cotações. No mercado interbancário de câmbio, o dólar comercial encerrou a jornada com declínio de 0,57%, na taxa mínima registrada no dia, a R$ 1,747. Na máxima, tocou R$ 1,762 (alta de 0,29%). No pregão da Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), a divisa foi cotada a R$ 1,746, em baixa de 0,58% no fim da sessão, na mínima do dia. Na semana, o dólar acumulou queda de 0,46%.

O quadro ainda volátil no ambiente externo amparou a abertura em alta das cotações do dólar em relação ao real. Uma releitura menos otimista das declarações feitas na véspera pelo presidente do banco central americano (Fed), Ben Bernanke, nas praças financeiras norte-americanas justificou um pouco de compras no mercado, assim como a reação negativa de Wall Street a notícias de perdas relacionadas ao mercado de crédito do banco American Express e especulações sobre uma baixa contábil do Merrill Lynch.

Por volta do meio-dia, contudo, as Bolsas em Nova York reduziram significativamente as perdas, o que deu ânimo aos investidores no mercado cambial brasileiro, que passaram a atuar na ponta de venda, garantindo a reversão da trajetória ascendente do dólar em relação à moeda local. Também ajudou nesse sentido a entrada de recursos por meio do setor exportador.

De acordo com o operador da tesouraria de um banco em São Paulo, muitos participantes do mercado que compraram divisas mais cedo também aproveitaram para vender moeda nesse momento, e não retornaram à ponta de compra quando os índices acionários em Wall Street voltaram a piorar. Às 16h45, o índice Dow Jones cedia 1,97% e o Nasdaq perdia 1,73%. Na Bolsa brasileira, o índice Bovespa operava em baixa de 1,77%.

Às 15h10, o Banco Central realizou leilão de compra de dólares no mercado à vista, mas a notícia não teve efeito sobre as cotações, que inclusive renovaram mínimas após o término da operação, às 15h20. A taxa de corte no leilão foi de R$ 1,7503.(Paula Laier)

Compartilhe: