UOL Viagem

01/01/2008 - 16h27

Réveillon de Copacabana reuniu 2 milhões de pessoas

Nem a antecipação em quase um minuto do show pirotécnico nem o princípio de incêndio em uma das oito balsas onde estavam os fogos de artifício atrapalharam a festa de réveillon na Praia de Copacabana, onde dois milhões de pessoas, segundo a prefeitura do Rio, comemoraram a chegada de 2008. A esperada contagem regressiva, que seria ouvida em toda a praia, foi acompanhada apenas no telão do palco montado na altura da Rua Figueiredo Magalhães pela multidão que se aglomerava próximo ao local. Eles contaram alto os dez segundos finais de 2007.

Apesar de terem começado a explodir antes, os fogos duraram bem mais dos que os 16 minutos anunciados. Foram quase 22 minutos de uma explosão de cores e de elementos tridimensionais, como corações e cascatas. Quase no fim do show, os detonadores da balsa localizada em frente à Rua Figueiredo Magalhães pegaram fogo. Em menos de cinco minutos uma equipe do Corpo de Bombeiros, que estava na água, apagou as chamas e não houve feridos nem danos à embarcação.

Poucos fogos foram lançados desta balsa, depois do ocorrido. Desde o réveillon de 2002 os fogos de artifício são colocados, no mar, em balsas a 360 metros da areia. No ano anterior, 49 pessoas se queimaram e uma morreu num acidente com detonadores que ficavam na areia.

Outra novidade anunciada pelos organizadores --a de que uma pessoa no palco puxaria um pedido de bis dos fogos- também não funcionou. Ninguém ouviu pedido de bis, mas mesmo assim, na altura do Leme, nova queima de fogos levou a multidão a continuar comemorando a chegada do novo ano.

Na água, pelo menos oito transatlânticos traziam quase 30 mil pessoas para ver a festa, que foi embalada com muito funk depois do show pirotécnico.

Com o governador Sérgio Cabral (PMDB) em Mangaratiba (Litoral Sul Fluminense), coube ao vice-presidente da República, José Alencar, o papel de principal autoridade na festa de Copacabana. Alencar chegou por volta das 22h30 ao Forte de Copacabana e seguiu para uma festa reservada, de onde viu os fogos.

Em Ipanema, praia vizinha, a música eletrônica embalou o Réveillon de 40 mil pessoas, muitas que já estavam na praia desde a tarde do dia 31. Eles acompanharam e aplaudiram o último pôr-do-sol do ano. Principalmente formada pelo público jovem, a platéia dançou na areia ao som de 20 DJs que se revezaram no palco montado no posto 9.

Lixo
A Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb), informou ontem ter recolhido 684,34 toneladas de lixo e detritos nas praias cariocas após a noite do Réveillon. De acordo com a companhia, esse total é 38% superior ao registrado no ano passado. A maior parte do lixo foi recolhido em Copacabana (264,93 toneladas). A Guarda Municipal registrou 1.324 infrações de trânsito, a maior parte delas por estacionamento irregular. Ao todo, 46 crianças se perderam de seus parentes. (Talita Figueiredo)

Compartilhe: