UOL Viagem

16/05/2007 - 08h36

Menos de 10% das praias de SP são boas para banho

São Paulo - As praias paulistas, principalmente no litoral sul, ficaram impróprias para o banho em 2006. A Baixada Santista, em virtude da alta concentração populacional, especialmente durante o verão, apresentou a maioria das 66 praias com condições de balneabilidade não adequadas, segundo relatório da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb), divulgado ontem sobre a qualidade das águas no Estado. A porcentagem de praias boas para banho esteve abaixo dos 10%, em conseqüência da piora nos indicadores de Guarujá e Bertioga, que costumavam apresentar classificação boa. A única praia que permaneceu própria o ano todo, em 2006, foi a de São Lourenço, em Bertioga.

No Litoral norte, em Ilhabela, a maioria das praias também apresentou piora na qualidade das águas. Foi registrada melhora em Sununga (Ubatuba), Capricórnio (Caraguatatuba), Baleia Preta, Juqueí e Juréia do Norte (São Sebastião).

O relatório de Qualidade das Águas Litorâneas apurou que 30% das praias paulistas foram consideradas boas para banho durante todo o ano, enquanto 36% apresentaram-se impróprias em menos de 25% do tempo, 23% estiveram impróprias entre 25% e 50% do tempo e 11% tiveram qualidade péssima. "O crescimento populacional e a população flutuante ajudam a criar praias impróprias", explica o gerente do Departamento de Tecnologia de Águas Superficiais e Efluentes Líquidos da Cetesb, Eduardo Mazzolenis. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Compartilhe: