Viagem

Esqui, fondue e spas conduzem turista pela paisagem alpina de Davos

Russ Juskalian

New York Times Syndicate

26/07/2013 08h08

Para muitos, Davos é sinônimo do Fórum Econômico Mundial de que todo ano participam os mestres do universo neste município suíço a 1.560 metros de altitude. Mas, basta olhar para as montanhas para ver a inspiração para as aventuras de Sir Arthur Conan Doyle (ele escreveu sobre o esqui na região no final do século 19), as paisagens do pintor expressionista Ernst Ludwig Kirchner e o cenário do romance de Thomas Mann, "A Montanha Mágica". Há quase 200 anos, o ar alpino, puro e cristalino atraía pacientes aos sanatórios que foram transformados em hotéis com vistas deslumbrantes. Oferecendo uma infinidade de atividades (desde o relaxamento em solários e saunas ao esqui nas montanhas próximas e visitas a museus), quem for a Davos pode contar que terá muito a fazer.

Sexta-feira

16h - Cerveja nas alturas
Anunciada como "a última parada para uma cerveja antes do paraíso", a cervejaria no vilarejo vizinho, Monstein, foi fundada em 2001 numa fazenda leiteira vazia, construção mais nova do pedaço, com "apenas" cem anos. A BierVision Monstein oferece passeios não guiados (grátis) e degustação (3 francos suíços por copo, mais ou menos o equivalente em US$) todas as sextas, das 16h às 19h. Por causa da altitude, os cervejeiros trabalham com equipamentos pressurizados e um tipo especial de fermentação que funciona acima dos 1.500 metros. A produção inclui schnapps, uísque e queijos (Cervejaria Monstein, Hauptstrasse 36, Davos Monstein; biervision-monstein.ch).

18h - Delícias regionais
Por enquanto, deixe o fondue de lado e experimente as iguarias menos famosas da região de Bundnerland: o "capuns", um tipo de bolinho invertido feito com carne seca, farinha de trigo, ovos e ervas enrolado em acelga e cozido num molho cremoso; e o "pizokel", geralmente preparado com noodles de trigo sarraceno, batata, carne seca e espinafre ou acelga. Ambos estão presentes nos cardápios de praticamente todos os restaurantes da cidade (entre 15 e 30 francos), mas o café do Schneider's (Promenade 68; schneiders-davos.ch), o Bundnerstubli, no Central Sporthotel (Tobelmuehlestrasse 1; central-davos.ch/en/restaurant_bar.html) e o restaurante do Hotel Alte Post (Berglistutz 4) são bons pontos de partida.

20h - Noite estrelada na sauna
Depois que o sol se põe, não só os esquiadores, mas quem quiser um pouco de paparico podem ter sauna, massagem, piscina e relaxamento total num só lugar. Um dos melhores é o Eau-lá-lá (Promenade 90; www.eau-la-la.ch), um complexo ligado ao Centro de Congressos de Davos. A entrada para o setor de natação - incluindo uma piscina de 25 metros, um tobogã de 80 metros, solários e uma piscina aberta aquecida - custa nove francos. Por mais 17 francos, você tem acesso à área de bem-estar, que inclui saunas, duchas frias e quentes, salas silenciosas e ofurôs com vista para as montanhas. Mas é bom ficar sabendo que ali o público ali é misto e só se permite frequentadores nus.

  • Russ Juskalian/New York Times Syndicate

    Em Davos, o Eau-lá-lá abriga um tobogã de 80 metros, solários e uma piscina aberta aquecida

Sábado

9h - Trenó aberto a cavalo
Entre os vários clichês que envolvem os Alpes suíços estão o bimbalhar dos sinos, a neve estalando no chão e o trenó aberto puxado a cavalos - e por uma boa razão. Saia cedo, enquanto o sol ainda está baixo no horizonte e a paisagem, incluindo o céu, as casas cobertas de neve e as árvores ganham uma tonalidade azul arroxeada, e vá para a Davos Platz, perto da estação de trem. Dali saem passeios organizados pela Kutschenzentrale Davos, com uma parada para o almoço ou uma taça de vinho num dos restaurantes rústicos locais, que variam de 45 minutos (70 francos por até quatro pessoas) a até 4,5 horas (190 francos por até quatro pessoas), passando pelo belíssimo vale Sertig. Não se esqueça de reforçar o agasalho.

12h - Artistas e arquitetos
Vinte anos atrás, os arquitetos Annette Gigon e Mike Guyer construíram um museu de concreto, vidro, aço e madeira (12 francos) para abrigar uma coleção de trabalhos de Ernst Ludwig Kirchner; hoje, visitantes do mundo todo param no Kirchner Museum Davos (Promenade 82; www.kirchnermuseum.ch) para admirar as pinturas e o prédio. Aproveite o espaço interior, iluminado por claraboias e janelões com vistas arrebatadoras com uma geometria de luz e cor. Só depois então aprecie as pinturas que deram origem ao movimento expressionista, que usa distorções visuais em vez de retratos realistas, para expressar emoções.

13h30 - Tacos no gelo
Todo ano, desde 1923, o campeonato de hóquei Copa Spengler acontece na Vaillant Arena, perto do Centro Esportivo de Davos, sede do time HC Davos. Se tiver sorte, você pode pegar um jogo da temporada; se não der, fique do lado de fora para andar de patins (de graça) ou praticar no maior ringue de gelo natural da Europa, numa área de 18 mil m² com uma bela vista das montanhas em todas as direções.

  • Russ Juskalian/New York Times Syndicate

    Uma das opções noturnas de Davos é o o EX Bar, que exibe interessante decoração kitsch

15h - Montanha mágica
Pegue o bondinho "Magic Mountain" (Talstation Oberestrasse; schatzalp.ch/p.cfm?s=12, 16 francos ida e volta) perto do calçadão do centrinho de Davos para Berghotel Schatzalp, um antigo sanatório construído em 1898 e mencionado no livro de Thomas Mann, "A Montanha Mágica". A subida de 300 metros, feita através de uma verdadeira floresta de conto de fadas, leva quatro minutos. Conforme o sol vai se pondo, os cumes das montanhas adquirem um tom dourado e a caminhada de 45 minutos pela reserva de quase 47 hectares é pura paz. Depois, esquente o corpo com café (4,50 francos) e bolo (6,50 francos) na confeitaria ou vá para o X-Ray Bar do hotel, com iluminação vermelha e roxa, e que, como o nome diz, ficava na sala de raio x do sanatório, para degustar de uma dose de schnapps (8 francos). Você tem três opções para voltar para o vale: o bondinho, uma trilha charmosa pela floresta ou o trenó que pode alugar por dez francos na confeitaria ou num quiosque e cobrir os 2,7 km da pista que fica bem iluminada até as 23h00. Ah, sim, Mann escreveu sobre isso também.

18h - Fondue e uma bela vista
Depois de um dia longo, nada como um bom fondue. Davos tem alguns lugares muito bons onde provar esse prato típico suíço. O minúsculo Bistro Gentiana (Promenade 53) oferece as versões tradicionais de carne e queijo, além de sua própria receita (39,50 francos) que leva cogumelos, endro, carne de porco, bacon e cebola pérola. Outra boa opção é o descolado Pulsa Fonduestube (Talstrasse 3; hotelgrischa.ch) do Grischa Hotel, cujo janelão emoldura a passagem dos trens brancos e vermelhos lá fora. A decoração - madeira, iluminação intimista e muitas galhadas - é moderna e rústica. O fondue boletus (33 francos), com cogumelos, é espetacular, com o gostinho amadeirado combinando perfeitamente com o sabor ligeiramente ácido e salgado do queijo.

21h - Après e après
A agitação noturna começa em bares como o Tijuana (Talstrasse 15, tijuanabar.ch), onde você pode testar sua habilidade de enterrar um prego inteiro num toco de árvore com uma martelada só, ou o Chami Bar (Promenade 83, 41-81-413-55-55), também bastante popular - mas o favorito do público parece ser o EX Bar (Promenade 63; ex-bar-davos.ch), com decoração kitsch (com direito a candelabros de cristal, palmeiras e um alce empalhado pendurado na entrada). Outra opção é fazer como todo mundo e ir para o Poestli Club (Promenade 42; poestliclub.ch) para ver e ser visto.

  • Russ Juskalian/New York Times Syndicate

    Em Davos está o maior ringue de gelo natural da Europa, numa área com cerca de 18 mil m²

Domingo

11h - Café da manhã com sabor alpino
Não há lugar melhor para saborear um café da manhã simples ou um bom brunch que o KaffeeKlatsch (Promenade 72; 41-81-413-30-16), um café que fica num sobrado no centro. Tente pegar a mesa de canto no andar de cima, ao lado da janela (a que tem sofás) e experimente os pães de ervas e/ou a batata rosti (14,90 francos).

13h - Estocando sabor
Davos faz parte do cantão de Graubunden, ou Grisons, e produz iguarias irresistíveis - como o "bundnerfleisch", um tipo de carne prensada temperada com vinho branco e ervas, o deer salsiz e outros produtos de carne cujos preços variam entre 5 e 15 francos e são encontrados na loja Bundnerland Davos (Promenade 73; buendnerland-davos.ch). Compre queijos (a partir de 30 francos/quilo) na Gourmet Kach (Promenade 74; 41-81-413-0805); trufas e pralinês (cerca de 10 francos por um saquinho) da Schneider's e schnapps como o Bundner Chruter (36 francos o litro) ou Roeteli (que tem até música própria) da Kindschi (Seehornstrasse 13, Davos Dorf; kindschi.ch).

15h - Vilarejo suíço clássico
Pegue um dos trens que sai de Davos para Klosters (a passagem de 2ª classe é grátis para os visitantes que estiverem hospedados na cidade - basta pedir um cartão no hotel) para apreciar o passeio de 27 minutos e a vista espetacular das florestas de pinheiros, desfiladeiros, aldeias minúsculas, pousadas, lagos e montanhas. Depois, tire uma ou duas horas para passear em Klosters, imagem do perfeito vilarejo suíço - reforçado pelo estilo arquitetônico Walser, com construções de telhado de madeira e fachadas brancas ou de madeira que não se vê em Davos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Viagem

Topo