Viagem

Restaurantes locavore, minimercados e música ao vivo em 36 horas em Portland

LIONEL BEEHNER

New York Times Syndicate

30/12/2010 19h40

Portland, Maine, é conhecida pela lagosta, faróis e pela loja L.L. Bean. Mas nos últimos anos, esta cidade na costa do Estado do Maine também passou a valorizar o que é local, com uma onda de restaurantes locavore (consumo de alimentos cultivados localmente), fazendas urbanas e galerias que exibem artistas locais. Depósitos abandonados com estrutura de tijolos estão sendo transformados em butiques ecológicas. Na praça principal, um prédio do século 19 foi adaptado em um mercado do produtor rural. E para todo lugar que se olha, esta cidade industrial antes sonolenta está exibindo sinais de rejuvenescimento, geralmente ao manter as coisas locais.

  • Craig Dilger/The New York Times

    Em Peaks Island, parte do arquipélago que rodeia Portland, ciclistas cruzam a costa rochosa

Sexta-feira

16h - West side story

Para ver a Portland boêmia, caminhe pela Congress Street, onde pelo menos uma dúzia de galerias, estúdios e cafés abriram nos últimos anos. David Marshall, um pintor que veste boina e também atua como vereador, está entre os artistas que expõem na Constellation Gallery (511 Congress Street; 207-409-6617; constellationart.com), que abriu no ano passado. Seus amigos artistas podem ser encontrados no Local Sprouts (649 Congress Street; 207-899-3529; localsproutscooperative.com), um café simples, apoiado pela comunidade. Descendo a rua fica a Biblioteca Pública de Portland (5 Monument Square; 207-871-1700; portlandlibrary.com), que recentemente reformou sua galeria e acrescentou um átrio.

19h - Made in Maine

A cena locavore em Portland floresceu nos últimos anos, como evidencia todo o reconhecimento da Food Network. Entre os endereços mais badalados está a Farmer’s Table (205 Commercial Street; 207-347-7479; farmerstablemaine.com), que oferece belas vistas do porto de seu terraço. O proprietário e chef, Jeff Landry, adquire suas verduras e legumes das hortas locais e serve pratos como costelinha (US$ 24,95) de gado alimentado no pasto, criado em uma fazenda próxima. Ou experimente o Caiola’s (58 Pine Street; 207-772-1110; caiolas.com), um favorito local onde a chef Abby Harmon serve pratos mediterrâneos.

21h - Playground independente

A vida noturna de Portland é ancorada por música ao vivo. O State Theater (609 Congress Street; statetheatreportland.com), um cinema da era da Depressão com interior em estilo mouro que fechou em 2006, deverá reabrir em outubro como sala de concerto. Por ora, os fãs de música vão ao Port City Music Hall (504 Congress Street; 207-899-4990; portcitymusichall.com), um clube ostentoso para os padrões de Portland e que até levanta um cordão de veludo para seus VIPs. Um público mais jovem e descontraído segue para o Space Gallery (538 Congress Street; 207-828-5600; space538.org), um espaço de arte desmazelado de dia e um ponto de rock independente à noite.

Sábado

8h30 - Bagel suburbano

Do outro lado da ponte levadiça fica South Portland, um subúrbio de bangalôs e praias tranquilas. Mas o melhor motivo para visitar é a Scratch Baking Co. (416 Preble Street, South Portland; 207-799-0668; scratchbakingco.com), uma padaria na Willard Square que produz muffins, scones e bagels (US$ 1,25) saídos diretamente do forno. Chegue antes das 9h, porque as bagels acabam rapidamente. Então pegue um ponto na Willard Beach, um trecho de areia pedregosa com vistas da costa.

  • Craig Dilger/The New York Times

    Um posto de gasolina dilapidado foi convertido recentemente na El Rayo Taqueria, um café mexicano com mesas amarelas de piquenique

10h - Ilha livre

O espírito livre de Peaks Island, parte do arquipélago que cerca Portland, fica evidente desde o momento em que você desce da balsa. Se não houver ninguém presente na Brad and Wyatt’s (115 Island Avenue; 207-766-5631), uma loja de aluguel de bicicletas situada em um galpão empoeirado, deixe o dinheiro na caixa de honra (US$ 5 a hora). Então percorra a costa rochosa para as coisas que fazem a fama do Maine: faróis bonitos, águias-pescadoras sobrevoando as ondas. A ilha é agradavelmente isenta de mansões e praias particulares. Não é de se estranhar que os nativos tentaram sem sucesso se separar de Portland há alguns anos.

Meio-dia - Minimercado

Um lamento coletivo pôde ser ouvido quando o Mercado Público, um galpão do tamanho de um hangar dirigido pelos produtores rurais e pescadores do Maine, fechou em 2006. Felizmente, alguns dos mesmos comerciantes reuniram recursos e abriram uma versão reduzida na Monument Square. Ocupando um prédio de meados dos anos 1800, o Public Market House (28 Monument Square; 207-228-2056; publicmarkethouse.com) está repleto de pães, queijos, hortifrutis do Maine e cervejas de microcervejarias. No começo do ano, o mercado foi ampliado para um loft repleto de sofás usados e barracas de alimentos, incluindo a Peanut Butter Jelly Time (207-712-2408; pbjtime.net), que serve variações de pasta e geleia de amendoim (US$ 3,50), e a Kamasouptra (207-415-6692; kamasouptra.com), que faz sopas fartas com queijo grelhado e tomate (US$ 5,50).

14h - Maine antigo

O labirinto de lojas que margeiam Old Port, o distrito histórico de depósitos, pode ser previsível. Mas há vários recém-chegados que lembram mais o mercado de pulgas do Brooklyn do que a L.L. Bean. Um exemplo é a Madgirl World (275 Commercial Street; 207-322-3900; madgirlworld.com), um estúdio peculiar onde Meredith Alex recicla pranchas de skate e bonecas Barbie em bijuterias e vestidos da moda ecológicos. O toalete também serve como espaço para instalações de arte mensais. E a Ferdinand’s (243 Congress Street; 207-761-2151; ferdinandhomestore.com), que se uniu ao Pinecone+Chickadee em junho, oferece produtos feitos à mão, moda antiga, baralhos e bijuterias, tudo sob um mesmo teto.

16h - Lojas no alto da colina

Munjoy Hill costumava parecer o Southie de Boston: um bairro operário irlandês. Agora ele parece mais Notting Hill, com um calçadão verdejante com vista para o mar e estabelecimentos sofisticados como a Rosemont Market & Bakery (88 Congress Street; 207-773-7888; rosemontmarket.com), que vende pães e sanduíches frescos, e Angela Adams (273 Congress Street; 207-774-3523; angelaadams.com), uma loja de design que vende artigos domésticos alegres, como almofadas e bandejas coloridas.

20h - Jantar divino

Manteiga de trufa e anchova? A cena gourmet não é novidade aqui. A novidade na cena de restaurantes de Portland é a recuperação da arquitetura. Um posto de gasolina dilapidado foi convertido recentemente na El Rayo Taqueria (101 York Street; 207-780-8226; elrayotaqueria.com), um café mexicano com mesas amarelas de piquenique. E o velho Portland Savings Bank se transformou no Sonny’s (83 Exchange Street; 207-772-7774; sonnysportland.com), um restaurante de tema latino. Mas o melhor exemplo desta invasão culinária é o Grace (15 Chestnut Street; 207-828-4422; restaurantgrace.com), um restaurante neoamericano que abriu no ano passado em uma igreja em estilo neogótico dos anos 1850. Há algo divino em beber ao lado da nave, ou devorar os nhoques de queijo de cabra (US$ 19) cercado por janelas com vitrais.

22h - Boliche e bebida

Os bares ao longo da Wharf Street podem ficar com ares de fraternidades universitárias. Para uma noite mais memorável, atravesse a cidade até o Bayside Bowl (58 Alder Street; 207-791-2695; baysidebowl.com), um boliche com 12 pistas que abriu neste ano. Mesmo se você não gostar de boliche, você pode tomar a cerveja Shipyard (US$ 4) no bar elegante, que atrai uma clientela jovem com tatuagens e camisetas com tingimento tie-dye. O Novare Res (4 Canal Plaza; 207-761-2437; novareresbiercafe.com) é um beer garden festivo com mesas longas de madeira e mais de 300 variedades de cerveja, o que faz com que pareça mais Munique do que o Maine.

  • Craig Dilger/The New York Times

    Os fãs de música vão ao Port City Music Hall, um clube ostentoso para os padrões de Portland e que até levanta um cordão de veludo para seus VIPs

Domingo

10h - Viagem do correio

Passeios de escuna e em barcos de pesca de lagosta atraem muitos turistas, sem contar que são caros. Uma melhor forma de navegar pela bela Casco Bay é pela balsa do correio, que visita cinco das ilhas. A balsa é dirigida pela Casco Bay Lines (56 Commercial Street; 207-774-7871; cascobaylines.com) e parte duas vezes por dia do terminal principal de balsas. O trajeto completo, que custa US$ 14,50, leva três horas, então leve um lanche.

14h - Diversão fermentada

O hidromel, ou mel fermentado, pode ter saído de moda no século 16, mas a Maine Mead Works (200 Anderson Street; 207-773-6323; mainemeadworks.com) o está trazendo de volta. A produtora de hidromel abriu em 2008 em um depósito tosco na periferia da cidade, lembrando uma garagem de cientista maluco, com tanques e tubos por toda parte. Ao lado fica a Urban Farm Fermentory (200 Anderson Street, Bay 4; 207-653-7406), uma fazenda vertical que oferece seminários sobre conservação em vinagre, cidras não convencionais e proteção ecológica do plantio com palha. É outro exemplo de como Portland não mede esforços para reciclar.

O básico

O Portland Harbor Hotel (468 Fore Street; 207-775-9090; portlandharborhotel.com) reformou recentemente seus 101 quartos, alguns com lareiras, banheiras e portas japonesas. Diárias dos quartos duplos a partir de US$ 169.

O Danforth (163 Danforth Street; 207-879-8755; danforthmaine.com) é uma pousada que data do início dos anos 1800. Ele está sob nova direção e reformou seus nove quartos no ano passado. Peça para ver a sala de bilhar antiga no andar de baixo. Quartos a partir de US$ 195.

Tradutor: George El Khouri Andolfato

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Topo