menu
Topo

Viagem


A pequena cidade alemã que é sucesso no Instagram

Reprodução dasha_sky/Instagram
O charme de Freudenberg conquistou viajantes nas redes sociais Imagem: Reprodução dasha_sky/Instagram

Rebecca Staudenmaier

07/02/2019 13h14

Resumo da notícia

  • A pequena cidade de Freudenberg virou destaque no Instagram
  • Perfeitamente alinhadas e cobertas de neve, casas do século 17 aparecem em milhares de fotos postadas na rede social
  • Turismo na cidade, com apenas 18 mil habitantes, vem aumentando

Depois de subir escadas íngremes para alcançar uma colina com vista para Freudenberg, é fácil entender por que turistas do mundo todo visitam a cidade no oeste da Alemanha, localizada em uma área rural a cerca de uma hora e meia de carro de Frankfurt am Main ou de Colônia.

Mais de 80 casas em estilo enxaimel, perfeitamente alinhadas, compõem a vista panorâmica a partir do parque da cidade. Suas fachadas em preto e branco e telhados cobertos de neve parecem ter saído das páginas de um conto de fadas.

São imagens invernais como essas que fizeram de Freudenberg uma estrela no Instagram. A cidade já foi marcada em mais de 11 mil postagens na rede social.

As imagens do centro antigo de Freudenberg, apelidado de Alter Flecken, "causaram uma avalanche" de interesse, disse à DW a prefeita da cidade, Nicole Reschke.

"Nos últimos seis meses, as imagens do Alter Flecken, com ou sem neve, se espalharam pelas redes sociais e outras plataformas de mídia a tal ponto que o interesse aumentou, e nós já temos visto mais turistas", afirmou.

iStock/Getty Images
Os telhados cobertos de neve em Freudenberg, na Alemanha Imagem: iStock/Getty Images

Embora já tenha havido um aumento no número de turistas que chegam à cidade, a extensão total do boom de Freudenberg no Instagram provavelmente só ficará clara nos próximos três anos, prevê Reschke. "Estamos curiosos para ver se isso vai continuar."

Ônibus lotados de turistas, muitos vindos de países asiáticos, circulam regularmente em Freudenberg, estacionando no pé das escadas que levam até a vista panorâmica da cidade.

Além de tirar fotos do parque municipal, os visitantes também aproveitam para conhecer um palco ao ar livre, o Museu da Tecnologia e as trilhas locais.

Freudenberg hospeda cerca de 30 mil turistas por ano, embora o número de visitantes provavelmente seja muito maior. Muitos grupos, sobretudo os que chegam em ônibus de excursão, passam apenas algumas horas na cidade - o que torna difícil obter um número preciso das pessoas que passam por Freudenberg, explicou Reschke.

Especialmente o número de turistas do Japão disparou nos últimos três ou quatro anos, depois que uma reportagem sobre a cidade foi exibida na televisão japonesa, disse Bärbel Bäumer, funcionária do escritório de informações turísticas de Freudenberg. "Acredito que Freudenberg seja agora uma parada fixa para grupos em excursão", acrescentou.

O interesse aumentou tanto que a cidade teve que mandar traduzir para o japonês um panfleto com um mapa do centro antigo. Funcionários da área de turismo e oficiais municipais também projetaram novos souvenires com o objetivo específico de torná-los mais leves e convenientes para turistas com longos voos de volta para casa.

O padrão em preto e branco das fachadas casas em enxaimel do século 17 de Freudenberg foi estampado em bolsas, chaveiros e placas decorativas.

Diante do aumento do turismo em Freudenberg, autoridades locais anunciaram planos para melhorar o Kurpark, o parque municipal que oferece as melhores vistas do centro antigo.

O projeto de 2 milhões de euros incluirá melhorias no parque, tais como a construção de um café ou de um quiosque no topo da colina, segundo Reschke. No futuro, visitantes poderão desfrutar de uma xícara de café e uma fatia de bolo enquanto apreciam a vista do Alter Flecken de Freudenberg.

O projeto também ajudará a tornar o mirante mais acessível, instalando vagas de estacionamento para deficientes no topo da colina e melhorando as escadas a fim de tornar a subida menos íngreme.

A prefeita espera que também seja possível disponibilizar um pequeno ônibus elétrico e autônomo para ajudar a transportar visitantes do centro da cidade para o mirante no parque.

Com visitantes constantemente tirando fotos e passeando pelas ruas estreitas de Freudenberg, especialmente entre maio e setembro, era de se esperar que muitos moradores se sentissem incomodados por viver em meio a uma atração turística.

"Muitos turistas são extremamente gentis. Quem não gosta deve se mudar, mas a maioria dos moradores não tem objeções", disse Bäumer, que mora em uma das casas em enxaimel.

No futuro, Reschke disse que será importante equilibrar a indústria do turismo de Freudenberg com as necessidades de seus 18 mil habitantes, a maioria dos quais vive fora do centro antigo.

"Acho que precisamos ter cuidado para que não termos uma situação de turismo de massa, porque aqui não é um museu, é uma área residencial", explicou. "Mas acredito que estamos no caminho certo."

Mais Viagem