Topo

Viagem

Roteiro de três dias em Frankfurt

Getty Images/iStockphoto
Porta de entrada da Alemanha, metrópole não é apenas o centro financeiro do país, mas também uma cidade jovem e vibrante, repleta de arte e cultura. Confira dicas para conhecer a cidade com mais de mil anos de história. Imagem: Getty Images/iStockphoto

Carlos Albuquerque

da Deutsche Welle

09/05/2018 16h22

Frankfurt é uma das cidades alemãs que dispensam apresentação. Até porque seu aeroporto é a porta de entrada para a maioria dos turistas brasileiros que chega ao país. Além de centro financeiro da Alemanha, a metrópole do estado de Hessen também acumula mais de mil anos de história, embora continue mais jovem do que nunca.

E com o advento do Brexit, a saída de Londres da União Europeia, os olhos se voltam para a cidade banhada pelo rio Meno, que hoje abriga por volta de 230 institutos financeiros. Mas Frankfurt é mais do que finanças.

Veja também

É a cidade da maior feira do livro do mundo. Ali se encontra a Alte Oper, uma das mais belas salas de espetáculos da Alemanha, como também o Museu Städel, uma referência mundial em acervo e ensino de belas-artes. E foi em Frankfurt que Johann Wolfgang Goethe nasceu e escreveu algumas de suas mais importantes obras.

A cidade é muito internacional, com inúmeros museus e lojas, sem falar dos cerca de 45 mil estudantes universitários, que dão um tom jovial ao centro financeiro alemão. Confira as nossas dicas de roteiro.

1° Dia: Centro histórico

Comece o primeiro dia de visita a Frankfurt pelo prédio da Alte Oper. Considerada uma das casas de espetáculos mais bonitas da Alemanha, a ópera em estilo neoclássico foi inaugurada em 1880, sendo destruída na Segunda Guerra e restaurada posteriormente.

Repare na escultura do Pégaso, o cavalo alado símbolo da imaginação criativa, sobre o frontão da ópera. Em contraste, o interior do edifício é bastante moderno.

Siga então pela rua Grosse Bockenheimer Strasse. Com seus cafés, lojas de produtos gourmet e restaurantes, ela é considerada a rua gastronômica da cidade banhada pelo rio Meno.

Na Börsenstrasse, dobre à esquerda e logo você vai se deparar com o prédio neoclássico da Bolsa de Valores de Frankfurt na Börsenplatz (Praça da Bolsa), com as esculturas do touro e do urso simbolizando, respectivamente, os altos e baixos nos mercados de ações. No térreo do edifício, os entusiastas da fotografia podem visitar a mostra da Art Collection Deutsche Börse, um das principais coleções internacionais de fotografia contemporânea.

Seguindo em frente em direção ao rio, você chega à praça Hauptwache, antigo lugar de execuções e hoje uma das atrações da cidade. O pequeno edifício barroco onde funcionava a sede da polícia se transformou num popular café.

Ao lado do Café Hauptwache está a Katharinenkirche (Igreja de Santa Catarina), principal igreja luterana da cidade, cuja fundação remonta ao século 14. Ela foi reformada em estilo barroco no final do século 17, mas seu interior não sobreviveu aos bombardeios da Segunda Guerra. Nas segundas e quintas-feiras, ali se realizam os concertos 30 Minuten Orgelmusik (30 minutos música de órgão), às 16h30.

Bem próximo dali, na rua Grosser Hirschgraben, se encontra o lugar onde em 1749 nasceu o filho mais importante de Frankfurt – o poeta Johann Wolfgang von Goethe. O atual edifício é uma reconstrução da casa paterna de Goethe e um exemplo de habitação do século 18. Hoje ali funciona o Museu Goethehaus, com uma exposição sobre a vida do escritor em Frankfurt e suas primeiras obras.

Voltando pela rua Kleiner Hirschgraben, você vai passar pela igreja gótica Liebfrauenkirche (Igreja de Nossa Senhora), onde também funciona um mosteiro. Dobrando à direita na rua Neue Kräme, você se depara com a Paulskriche (Igreja de São Paulo), símbolo da democracia na Alemanha, pois foi ali que se reuniu pela primeira vez a Nationalversammlung, primeiro Parlamento eleito do país.

A poucos passos dali se encontra um dos principais cartões-postais de Frankfurt: a praça Römerberg. O nome provém do edifício Zum Römer, sede da prefeitura da cidade desde o século 15. A praça localizada no coração do centro histórico (Altstadt) da metrópole financeira já foi local de coroação dos imperadores do Sacro Império Romano-Germânico. Nessas ocasiões, em vez de água, vinho jorrava da Fonte da Justiça (Gerechtigkeitsbrunnen), que ainda se encontra no centro da praça.

As fachadas góticas escalonadas do prédio da prefeitura são símbolo de Frankfurt. O complexo administrativo é denominado de acordo com o edifício central Römer, mas nada é original, pois todo o centro histórico com seus 2 mil prédios em arquitetura einxamel foi destruído na Segunda Guerra.

É nessa praça que hoje se realiza, por exemplo, a Feira de Natal. E o terraço da prefeitura serve de palco para a recepção de chefes de Estado, atletas olímpicos ou da Seleção Alemã de Futebol. A parte leste do Römerberg, em frente à pequena Fonte de Minerva (Minervabrunnen), se chama Samstagsberg. Os prédios em estilo einxamel reconstruídos nos anos 1980 dão uma ideia da antiga arquitetura do local.

Dê uma entradinha na ruela Limpurgergasse e entre no pátio do complexo da prefeitura chamado de Römerhöfchen, onde você pode ver um dos últimos testemunhos da arquitetura renascentista de Frankfurt.

A parte sul da praça Römerberg é dominada pela igreja gótica Alte Nikolaikirche (Antiga Igreja de São Nicolau). Andando em direção ao rio, na rua Fahrtor, logo se vê a Haus Wertheim, erguida em 1600 e único prédio da arquitetura einxamel do centro histórico de Frankfurt a sobreviver os bombardeios da Segunda Guerra. Ali também se encontra um restaurante histórico onde você pode saborear as especialidades culinárias da cidade e beber uma cerveja ou o tradicional Apfelwein (vinho de maçã).

2° Dia: Museus

Dedique o segundo dia na cidade a mais história, começando pela Kaiserdom Sankt Bartholomäus, uma igreja gótica dedicada a São Bartolomeu. Sua torre de 95 metros de altura domina a silhueta do centro histórico de Frankfurt. A plataforma de observação a 66 metros de altura oferece uma bela vista da cidade.

Na Kaiserdom, eram coroados os imperadores do Sacro Império Romano-Germânico. A igreja remonta a uma capela que existia no local já no século 7°, como demonstra a placa de uma sepultura merovíngia na estrada oeste. No claustro medieval, o museu da igreja Dommuseum abriga tesouros reunidos ao longo dos séculos.

Logo ao lado da igreja, você pode ver no Archäologischer Garten (Jardim Arqueológico) as fundações das mais antigas construções da cidade: de termas romanas, do palácio real carolíngio (Kaiserpfalz) e de casas medievais. Em frente às escavações, não deixe de conferir se não está acontecendo alguma mostra no Schirn Kunsthalle, um dos principais espaços de exposições da Alemanha.

Dirija-se agora em direção à Eiserner Steg (passarela de ferro). Na esquina da rua Fahrtor, se vê a recém-inaugurada entrada do Historisches Museum Frankfurt (Museu Histórico de Frankfurt), onde você pode conhecer mais sobre a história da cidade e da região. Atravessando a passarela, você vai chegar a um conjunto único de museus na Alemanha, abrigados ao longo das margens do rio Meno em prédios modernos e mansões históricas.

Ao longo do Schaumainkai em direção à ponte Friedensbrücke, nas margens do Meno, você passa primeiramente pela Villa Metzler, que abriga o Museu de Artes Aplicadas (Museum für Angewandte Kunst). O projeto do anexo modernista é assinado pela estrela da arquitetura americana Richard Meier.

Depois do Museu das Culturas do Mundo (Museum der Weltkulturen) e do Museu Alemão do Cinema (Deutsches Filmmuseum), segue-se o Museu Alemão da Arquitetura (Deutsches Architekturmuseum), imperdível para os amantes da arte de construir. A surpresa arquitetônica fica por conta do projeto do arquiteto alemão Matthias Ungers, que embutiu uma construção moderna dentro das fachadas da mansão histórica.

Seguem-se então o pavilhão em aço, concreto e vidro do Museum für Kommunikation (Museu da Comunicação) e o prédio histórico do renomado Museu Städel, com um dos mais importantes acervos de pintura da Europa. A ampliação é assinada pelo arquiteto austríaco Gustav Peichl. Por trás do museu, localiza-se a renomada escola de belas-artes Städelschule.

Em seguida, a casa que pertenceu ao Barão von Liebieg, conhecida como Liebieghaus, abriga a coleção municipal de esculturas e, alguns metros depois, o espaço de exposições Museu Giersch da Universidade Goethe de Frankfurt (Museum Giersch der Goethe-Universität) ocupa uma mansão neoclássica construída em 1910.

Se tiver com pouco tempo, opte por conhecer o Museu Städel.

3° Dia: Compras e skyline

Reserve uma parte do terceiro dia em Frankfurt para compras, pois ofertas não faltam na metrópole financeira alemã. No centro, a Zeil é a rua comercial com maior volume de vendas da Alemanha. Há todos os tipos de marcas e centros comerciais.

Nessa rua, o shopping MyZeil, assinado pelo arquiteto italiano Massimiliano Fuksas, é uma atração à parte por sua ousadia arquitetônica. Já a rua Goethestrasse, considerada a "Quinta Avenida" de Frankfurt, é o endereço certo para os que procuram boutiques e marcas exclusivas.

Como mencionado anteriormente, a rua Grosse Bockehnheimer Strasse oferece tudo o que agrada aos amantes da culinária gourmet. Um programa contrastante é ir ao Kleinmarkthalle na rua Hasengasse, o mercado de alimentos mais popular da cidade.

No bairro de Bornheim, encontram-se simpáticas lojas, bares e cafés. Nas quartas e sábados, ali funciona uma das mais belas feirinhas de Frankfurt na Berger Strasse. Para quem procura outlets, o endereço certo é a Hanauer Landstrasse e, no bairro de Sachsenhausen, próximo à zona de museus, o comércio na rua Schweizerstrasse é bastante agitado.

Depois de tantas emoções, dedique o fim do dia para aquela que talvez seja a maior atração turística de Frankfurt: o seu skyline. É difícil acreditar, mas até os anos 1950, a torre da igreja Kaiserdom era o ponto mais alto de Frankfurt. Hoje, a cidade abriga mais de cem arranha-céus, o que lhe conferiu o apelido de Mainhattan (uma junção de Main, nome em alemão do rio que corta a cidade, e Manhattan).

Você pode apreciar essa paisagem urbana a partir da Maintower, na rua Neue Mainzer Strasse. O edifício de 200 metros de altura é um dos mais altos da Alemanha. Uma plataforma de observação no 54° andar oferece uma vista incrível da cidade e de seus arranha-céus.

Aproveite a última noite em Frankfurt para ir a um dos clubes de jazz da cidade, localizados principalmente na rua Kleine Bockenheimer Strasse, no centro. Um lugar histórico é o Jazzkeller, onde já tocaram figuras lendárias como Louis Armstrong. Já no bairro de Sachsenhausen, você vai encontrar diversos bares e restaurantes especializados em Apfelwein.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Viagem