menu
Topo

Viagem

Comentários sexistas aparecem em críticas do Airbnb na China

iStock
Imagem: iStock

Lulu Yilun Chen

30/05/2018 18h22

O Airbnb proíbe trollagem, discriminação e palavrões. No entanto, se você for mulher, prepare-se para ler algumas observações sobre sua aparência ao usar a plataforma na China.

Esses comentários eram considerados um aspecto social divertido dos serviços on line na China, mas a proliferação de resenhas falando sobre a aparência das mulheres - de hóspedes chamadas de "gatas" a comentários sobre o apelo sexual de uma anfitriã - está sendo criticada como um possível risco à segurança. Embora a China tenha tolerado o sexismo há muito tempo, os recentes escândalos na rede social provocaram uma repercussão negativa.

"Antigamente, eu achava que esses comentários eram elogios e até sentia certo orgulho", disse Sun Qian, usuária frequente do Airbnb que já recebeu comentários sobre sua aparência. "Mas os acontecimentos recentes me fizeram pensar que minhas informações pessoais ficam excessivamente expostas nessas plataformas." Na tentativa de criar burburinho, anfitriões chegaram a oferecer descontos à mulher de 30 anos que mora em Pequim se ela concordasse em indicar amigas bonitas para os imóveis.

O Airbnb destaca uma política detalhada em relação ao conteúdo que enumera dezenas de proibições, mas comentários explícitos podem ser encontrados nas resenhas do site na China. Em uma delas, um usuário diz "que pernas longas essa adorável irmãzinha tem", o hóspede de outra casa descreveu a proprietária como "uma beleza lendária, sexy e passional", e um terceiro escreveu que "a proprietária e a mãe dela são duas gatas".

A empresa promete eliminar os comentários que "possam representar um risco à segurança pessoal de um membro da comunidade do Airbnb" ou que violem "direitos à privacidade".

"Intimidação e assédio são violações inaceitáveis de nosso compromisso comunitário e de nossas políticas", afirmou a startup com sede em São Francisco em um comunicado divulgado na terça-feira. "A segurança de nossa comunidade, tanto on line quanto off line, é nossa prioridade."

A quantidade de informações sobre mulheres em plataformas como o Airbnb e a rival local Xiaozhu ficou no centro das atenções depois que uma usuária do serviço de transporte compartilhado Didi Chuxing foi assassinada neste mês, supostamente por um motorista que a buscou depois de notar o que outras pessoas disseram sobre a aparência dela. Desde então, a Didi tomou precauções para limitar comentários sobre a aparência das pessoas e passou a excluir etiquetas personalizadas.

O Airbnb afirma que toma as medidas adequadas sempre que é informado de tais incidentes, mas os comentários continuam a aparecer. "Essa garota tem uma verdadeira aura de elegância", dizia uma postagem.

O problema não se restringe ao Airbnb, e comentários semelhantes também são publicados no serviço rival Xiaozhu. "Você tem um ótimo corpo. Não é nem um pouco gorda, é muito sexy e encantadora", diz um comentário.

A Xiaozhu afirma que não oferece etiquetas para os usuários e incorpora um sistema de filtragem automática de palavras-chave para frases específicas que são consideradas vulgares, obscenas ou violentas. A empresa também tem censores para avaliar se os comentários são apropriados, de acordo com o porta-voz Pan Caifu.

Mas a maré está mudando depois do assassinato da Didi, que provocou preocupações entre as mulheres sobre suas informações pessoais. O crime levou muita gente a buscar uma maior responsabilidade dos serviços on line para proteger a privacidade e levou muitas mulheres a mudar suas fotos e descrições.

Mais Viagem