menu
Topo

Viagem

Ataque racista contra idosa em avião gera enxurrada de críticas a cia aérea

FACEBOOK/DAVID LAWRENCE
Insultos de passageiro contra idosa negra foram registrados em vídeo por outras pessoas a bordo da aeronave Imagem: FACEBOOK/DAVID LAWRENCE

22/10/2018 08h07

Passageiros de um voo da companhia aérea de baixo custo Ryanair testemunharam a hostilidade de um homem que agrediu com insultos racistas uma mulher negra de 77 anos.

O ataque, ocorrido em um voo de Barcelona para Londres na última sexta-feira, foi registrado em vídeo por um dos passageiros, que compartilhou as imagens nas redes sociais.

O incidente gerou uma onda de críticas à companhia aérea, por não ter retirado o passageiro agressor da aeronave. Muitas pessoas ameaçaram, inclusive, boicotar a empresa, sediada na Irlanda.

A Ryanair afirmou, por sua vez, que "não vai tolerar comportamentos indisciplinados como esse (do passageiro)". E avisou que notificou o caso à polícia britânica.


'Muito agressivo'

No vídeo, visualizado mais de 1,8 milhões de vezes no Facebook, pode-se ouvir o homem insultando a mulher que estava sentada na mesma fileira dele e ameaçando "empurrá-la" para outro lugar.

"Não me importa se ela é uma pessoa com deficiência ou não. Não me diga o que eu devo fazer. Se eu digo a ela que ela tem que sair, ela tem que sair", diz ele à filha da passageira, que está sentada ao seu lado.

A passageira, então, reage: "Você fede. Você precisa de um banho".

Ele responde: "Estou dizendo a você. Se você não mudar de assento, eu vou empurrá-la para outro assento".

E acrescenta: "Não fale comigo em uma língua estrangeira, sua vaca feia e estúpida."

Um passageiro sentado na fileira de trás intervém e o homem diz: "Eu vou continuar por quanto tempo eu quiser com essa negra feia e desgraçada".

A filha disse ao site The Huffington Post que a discussão começou porque sua mãe tem artrite e demorou para se levantar da poltrona, localizada no corredor, para que o homem sentasse na janela.

David Lawrence, que filmou o episódio, contou em entrevista à BBC Radio 5 Live o que testemunhou:

"Tudo estava tranquilo, estávamos nos preparando para decolar. Foi quando ele embarcou e ao chegar ao assento, falou asperamente com a mulher que estava sentada no corredor."

"Foi isso que me chamou a atenção, ele estava falando muito alto e sendo muito agressivo." 

E começou a gritar com a mulher, dizendo "sai do caminho", "tira os pés", "você não deveria estar sentada aqui".

PA
Ryanair afirmou que notificou a polícia britânica e que vai investigar episódio Imagem: PA

Lawrence relatou que inicialmente os comissários de bordo não se envolveram. Segundo ele, a filha da senhora, que estava sentada em outra fileira, chegou e "iniciou uma discussão".

"Ele passou por cima da mulher e sentou no lugar dele", acrescenta.

Foi então que ele começou a registrar em vídeo o que veio a seguir, que descreve como uma "discussão repugnante de insultos raciais e linguagem grosseira".

A filha contou que estava viajando de férias com a mãe, que imigrou da Jamaica para o Reino Unido na década de 1960, para marcar o aniversário de um ano da morte de seu marido.

"Sei que se eu ou qualquer outra pessoa negra estivesse se comportando como ele, teriam chamado a polícia e nos colocado para fora do avião", disse ao The Huffington Post.

"Minha mãe ficou muito chateada e estressada com a situação toda, além da dor que já estava sentindo. Quanto a mim, também estou chateada com isso tudo: o fato de o passageiro não ter sido retirado do avião, e a forma como trataram a situação", completou.

'Situação horrível'

Um rapaz sentado na fileira logo atrás interveio, pedindo que o homem parasse de gritar. E recebeu elogios nas redes sociais.

Um comissário da Ryanair disse ao agressor: "Não seja tão grosseiro, você precisa se acalmar".

Na sequência, ele avisa que vai reportar o incidente ao seu supervisor. E o homem responde: "Tudo bem".

"Estou muito chocado", desabafou Lawrence. "Não houve reação [da maioria dos outros passageiros]. Ninguém disse nada. O rapaz que realmente interveio... se viu obrigado a tomar uma atitude."

Ele afirmou que foi uma "situação horrível" e que estava "chocado" com o fato de a Ryanair "permitir que algo assim não fosse controlado".

O parlamentar Karl Turner está entre os que tuitaram sobre o incidente, dizendo que reforça "a tendência das companhias aéreas de ignorar esse tipo de comportamento".

Ele também afirmou que o passageiro "deveria ter sido retirado do voo e entregue à polícia".

Quem criticou o incidente e a forma como foi gerenciado concorda que o homem deveria ter sido colocado para fora do avião - em vez de a mulher ter mudado de lugar.

PA
Ryanair afirmou que notificou a polícia britânica e que vai investigar episódio Imagem: PA

A Ryanair disse à BBC:

"Operamos diretrizes rígidas para passageiros que causam confusão e não vamos tolerar comportamentos indisciplinados como esse."

"Vamos levar este assunto adiante e um comportamento abusivo ou que cause transtorno como esse fará com que passageiros sejam proibidos de viajar", acrescentou.

A polícia britânica de Essex, onde fica localizado o Aeroporto de Stansted, destino do voo, está conduzindo a investigação.

"A Polícia de Essex leva a sério crimes relacionados a preconceito e queremos que todos os incidentes sejam denunciados. Estamos trabalhando em parceria com a Ryanair e as autoridades espanholas na investigação."

O Departamento de Transportes informou, por sua vez, que "todos devem poder desfrutar de uma jornada segura e tranquila sem que seu voo seja estragado por uma minoria que causa confusão".

E disse que trabalharia com as companhias aéreas e aeroportos "para ver o que mais pode ser feito para lidar com passageiros que geram transtornos". 
 

Mais Viagem