Irã proibirá empresas aéreas que não usem termo 'Golfo Pérsico'

O governo do Irã afirmou que vai proibir o trânsito em seu espaço aéreo de companhias de aviação que não usem o termo "Golfo Pérsico" nos mapas exibidos nos monitores dos passageiros.

O ministro dos Transportes iraniano, Hamid Behbahani, ameaçou recolher os aviões que não obedeçam à determinação do governo.

O Irã tem feito uma campanha para garantir que o golfo localizado entre o país e a Península Árabe seja conhecido como Golfo Pérsico, e não como Golfo Árabe.

Já ocorreram conferências a respeito deste assunto, e um mapa antigo, apresentado como prova do uso do nome Golfo Pérsico, já foi enviado a vários países do mundo.

Demitido e expulso
Recentemente um tripulante estrangeiro que trabalhava para uma companhia aérea iraniana foi demitido e expulso do país quando errou a nomenclatura do Golfo Pérsico.

Agora, o Ministério dos Transportes iraniano deu um prazo de 15 dias para que as companhias se adaptem.

Se as companhias não cumprirem a ordem não poderão entrar no espaço aéreo iraniano, de acordo com Hamid Behbahani.

Se elas insistirem em desrespeitar a regra, aviões de companhias estrangeiras não poderão mais voar no Irã e também não conseguirão permissão para sair do país.

Várias companhias aéreas árabes viajam diariamente para o Irã, além de companhias europeias e de outros continentes. Ainda não se sabe qual será a reação destas companhias à determinação de Teerã.

O ministro Hamid Behbahani anunciou as medidas num momento em que enfrenta pedidos de renúncia por suposta incompetência no cumprimento das funções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos