Estátua de Kate Moss em ouro é exposta em Londres

Uma estátua maciça, de ouro puro, pesando 50kg, da modelo britânica Kate Moss está sendo vista em público pela primeira vez nesta quinta-feira, no Museu Britânico, em Londres.

A obra "Siren" (sereia, em tradução livre) do artista britânico Marc Quinn, foi avaliada em cerca de US$ 2.6 milhões e é uma entre várias incluídas na exposição de esculturas contemporâneas "Statuephilia".

Também estão expostas obras de Damien Hirst e Antony Gormley, entre outros.

Cada peça foi colocada em uma galeria diferente do imenso museu, interagindo com obras da coleção permanente.

Segundo o British Museum, a peça de Quinn é a maior estátua de ouro esculpida desde o tempo do Egito Antigo.

Beleza Ideal

Descrita pelo museu como uma "Afrodite do nosso tempo", a escultura foi exposta na Nereid Gallery, ao lado de estátuas de míticas beldades gregas.

Até hoje, a obra mais famosa de Quinn era a escultura "Alison Lapper Pregnant", uma estátua de 3,5m mostrando Lapper quando estava grávida de 8 meses.

Lapper, conhecida artista plástica britânica, é portadora de uma deficiência física - ela nasceu sem braços e com as pernas mais curtas.

Quinn disse que ao escolher Kate Moss como modelo para a próxima obra, buscou fazer uma escultura da pessoa que representa o ideal de beleza no momento.

O artista comparou sua escultura à "Máscara de Tutancâmon", que viu pela primeira vez em uma exposição no British Museum, em 1970.

"Como aquela máscara, Siren é uma imagem que brilha e transmite amor e luz, mas permanece completamente implacável e silenciosa", disse Quinn.

"Penso em ambas como esculturas de um superego cultural", concluiu.

A exposição "Statuephilia: Escultores Contemporâneos" no British Museum está aberta ao público a partir deste sábado e continua até 25 de janeiro.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos