China construirá 'trem mais rápido do mundo', diz jornal

MARINA WENTZEL

De Hong Kong

A China anunciou nesta segunda-feira que está construindo o trem-bala mais rápido do país e espera ostentar o titulo de mais rápido do mundo.

O trem atingirá até 380 quilômetros por hora (km/h) e percorrerá a linha Pequim-Xangai, informou o jornal estatal "China Daily".

Atualmente, a conexão ferroviária mais rápida entre as duas cidades leva dez horas. O novo trem deverá concluir o trajeto de 1.318 km em pouco menos de cinco horas. A obra está acelerada e a previsão de término é 2012.

Mais veloz

A China já possui um trem que pode chegar a velocidades de até 430 km/h, o Maglev, que conecta o aeroporto de Xangai à área urbana da cidade.

Entretanto, os chineses desconsideram o Maglev para o recorde, porque a locomotiva não possui rodas e se move levitando sobre trilhos magnéticos.

Igualmente, os chineses excluem do cálculo velocidades atingidas durante testes (superiores a 500 km/h) e se referem à operação regular.

Atualmente o Shinkansen, o trem-bala japonês, e o alemão ICE, Intercity Express, atingem cerca de 300 km/h. Uma nova versão da locomotiva nipônica, Fastech 360Z, pode chegar a 360 km/h quando entrar em funcionamento.

A versão mais moderna do francês TGV, Train à Grande Vitesse, opera regularmente a velocidades de 320 km/h, porém já bateu recordes superiores a 350 km/h.

Tecnologia

A China não precisará comprar o trem, pois os vagões serão totalmente desenvolvidos e construídos no país. "Nós dominamos as tecnologias de produção de trens de alta velocidade e fizemos conquistas de inovação ao longo do processo", disse Zhang Shuguang, o vice-engenheiro chefe do ministério das Ferrovias.

No entanto, o desenvolvimento da tecnologia própria só foi possível depois que a alemã Siemens transferiu conhecimento para a chinesa Tangshang, que tem fábrica na província de Hebei. As duas empresas estão produzindo 50 trens CRH-3 com capacidade de operar a 350 km/h.

O novo trem-bala, que chega a 380 km/h, é uma adaptação e aperfeiçoamento da tecnologia originalmente germânica.

Rede

O governo está investindo bilhões de dólares para renovar todo o sistema ferroviário da China até 2020. A intenção é montar 12 mil quilômetros de linhas expressas conectando as principais cidades do país.

Como feito desse plano, há cerca de cinco semanas os chineses inauguraram a rota Pequim-Tianjin, a tempo de atender aos turistas que foram ao país durante a Olimpíada.

As locomotivas fazem agora em 30 minutos um percurso que, de carro, levava cerca de duas horas.
Mais
Pequim no Guia de Destinos de UOL Viagem

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos