Associação espanhola quer praias sem topless

Uma associação defensora de direitos morais está fazendo um abaixo-assinado para a criação de "praias familiares", em que sejam proibidos o topless e os biquínis e sungas fio-dental.

A chamada "Plataforma Praias: a liberdade sem renúncia moral" anunciou que já recolheu mais de 30 mil assinaturas que serão entregues aos governos das províncias de Valencia, Alicante, Andaluzia, País Basco e Catalunha (costa mediterrânea espanhola).

A prática de topless é permitida e comum nas praias espanholas -- principalmente entre os turistas europeus.

O grupo disse em um comunicado à imprensa que não está contra o nudismo, mas defende o seu direito de que as crianças não vejam seios e glúteos nus ao vivo e tão perto.

"Algumas pessoas dirão que somos caretas, porque não é politicamente correto dizer certas coisas. Mas isso não importa, não estamos contra ninguém. Só queremos um espaço onde podemos ficar tranqüilos com as nossas famílias", disse a presidenta da Plataforma, Maribel Palácios.

Praia para todos

A organização foi criada em 2006 durante o IV Encontro das Famílias, evento promovido pela Igreja Católica espanhola.

Uma das conclusões da reunião foi a criação de uma campanha nacional chamada "Praia para todos" para defender valores morais, principalmente os das crianças, segundo o comunicado da Plataforma.

O secretário-geral do Fórum Andaluz da Família, Juan Jurado, descreveu as praias familiares em um comunicado como "espaço de liberdade onde as famílias possam levar seus filhos e todos estejam cômodos".

Ele disse ainda que "muitas associações européias de famílias pedem informações de onde poder ir com seus menores protegidos de situações desagradáveis, o que significa que as praias familiares têm interesse internacional e são realmente necessárias".

Com o verão europeu se aproximando (começa em junho), a organização pretende voltar às ruas para pedir apoios para o abaixo-assinado.

Nos próximos finais de semana haverá tendas nas praias para quem quiser assinar, jogos infantis e concursos de pintura com o lema "praias familiares".

Pedofilia

Além de proibir topless, biquínis e sungas pequenos, o grupo reivindica um sistema de vigilância das crianças.

Sem detalhar o projeto, pedem que vigias ou cuidadores impeçam que os menores se percam e que as praias estejam limpas de objetos que possam provocar ferimentos.

Outra reivindicação é vigiar quem esteja fotografando as crianças com os celulares, para prevenir a ação de pedófilos. A associação calcula que pode haver em torno de 10 mil fotos circulando na internet, feitas nas praias espanholas sem o consentimento dos banhistas.

A presidente da Plataforma explicou que as reivindicações são simples, legais e "normais" porque a legislação espanhola "já proíbe colocar imagens em lugares públicos que possam afetar aos menores, mas às vezes em praias não nudistas se vêem situações mais comprometidas", disse.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos