Terremoto atrasa retorno de turistas brasileiros

Marina Wentzel


De Hong Kong

Um grupo de turistas de Pernambuco que estava de férias em uma ilha afetada pelos recentes terremotos na Indonésia teve de adiar o retorno ao Brasil por causa dos tremores.

Os 12 brasileiros estão presos em Mentawai, ilha no oeste da Indonésia que também foi sacudida pelo tremor desta quinta-feira.

Os viajantes esperavam retornar de avião à capital Jacarta na manhã de quinta-feira, mas tiveram de desistir, pois o vôo que liga a ilha do hotel à capital foi cancelado por motivos de segurança.

O terremoto teria danificado a pista do aeroporto e cortado a rede telefônica. Um barco deve resgatar os brasileiros na manhã de sexta-feira (noite de quinta-feira no horário do Brasil).

Sebastiano Gulinello, dono do hotel Aloita, onde está hospedado o grupo, disse à BBC Brasil que conseguiu manter contato por rádio com o hotel e que todos passam bem.

"O tremor foi bem forte, mas não há feridos. Os danos ao prédio do hotel não foram grandes".

De acordo com Guinello, os 12 brasileiros em Mentawai fazem parte de um grupo de 28 que chegou ao hotel no dia 4 de setembro. Parte do grupo já deixou a ilha no início da semana.

Vítimas brasileiras
Francisco Melo, vice-cônsul da embaixada brasileira na capital Jacarta, conta que até o momento não há registro de brasileiros feridos ou mortos nos terremotos.

Famílias do Brasil já procuraram o Itamaraty em busca de notícias de parentes que ainda não se comunicaram desde o tremor.

Melo disse que mandou um e-mail à comunidade brasileira na Indonésia pedindo informações sobre estes cidadãos, mas ainda não obteve resposta. O vice-cônsul afirmou que não pode revelar o nome dos indivíduos desaparecidos.

De acordo com estimativas de Melo, há 120 brasileiros morando na Indonésia, mas não há registros de quantos especificamente estariam na ilha de Sumatra, epicentro do terremoto.

"É grande o número de brasileiros que passam pelo país e dos quais nós nem ficamos sabendo. A maioria vem surfar e acaba não entrando em contato com o consulado", explica o vice-cônsul.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos