Ecos do Festival: Lido perde o lendário hotel de Visconti

VENEZA, 2 Set 2010 (AFP) -O Festival de Veneza perdeu, este ano, um de seus lendários hotéis, o luxuoso Hotel des Bains, que alojou mestres do cinema ao longo do século XX.

 

O elegante hotel à beira-mar em estilo 'liberty', onde Luchino Visconti rodou sua obra-prima "Morte em Veneza", transformará seus 191 balcões em luxuosos apartamentos privados.

 

A empresa proprietária decidiu, ainda, renovar outro grande hotel do Lido, o mítico Excelsior, que ficará três anos fechado.

 

A ideia é transformar a célebre zona veneziana em um local único para o turismo de luxo, com a possibilidade de realizar grandes conferências internacionais.

 

Temperamental e elegante até o fim. A diva da moda Naomi Campbell desfilou pela passarela veneziana com o filme "Miral", do pintor e cineasta americano Julian Schnabel, acompanhada do namorado, o milionário russo Vladislav Doronin.

 

A modelo pisou no tapete vermelho com um vestido cor de chumbo, sem lançar sequer um olhar para os fotógrafos, mas depois de ouvir vaias, mudou de atitude e distribuiu autógrafos para o público.

 

Tarantino, como jurado, causa polêmica - A imprensa italiana acusou o polêmico cineasta americano Quentin Tarantino, que preside o júri do concurso de Veneza, de "conflito de interesses" com o cargo. De fato, entre os diretores que competem pelo Leão de Ouro está sua ex-namorada, Sofia Coppola, - que apresentou esta sexta-feira "Somewhere" - e o japonês Mike Takashi - compete com "13 Assassinos", um ardente admirador do cinema de Tarantino.

 

"É verdade que conheço pessoalmente muitos cineastas que competem, mas minha integridade fala por si só. Julgo os filmes pelo que são e voto naqueles que me agradam", respondeu Tarantino.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos