Restauração de mosteiro romano revela afrescos do século XIII

ROMA, 5 dez (AFP) - O mosteiro Santi Quattro Coronati de Roma revelou nesta terça-feira dúzias de afrescos do século XIII depois de nove anos de uma cuidadosa restauração.

"Esta série de afrescos nos permite ver com nova luz a pintura italiana medieval", disse o ministro italiano da Cultura, Francesco Rutelli, ao apresentar a obra de arte à imprensa.

Os raros afrescos, situados em um grande salão do mosteiro-fortaleza, dirigido desde o século XVI por religiosas agostinianas, serão mostrados ao público na primavera boreal.

As paredes e o teto do salão gótico são adornados com afrescos quase completos em vívidos azul, vermelho, verde e ouro, representando as quatro estações, os signos do zodíaco e as constelações, bem como os símbolos de vícios e virtudes.

As "preciosas páginas de histórias e espiritualidade voltaram à luz em sua atmosfera original" de mais de 800 anos atrás, disse durante entrevista coletiva a madre superiora Rita Mancini.

Situado perto do Coliseu, o mosteiro está entre a rede de instituições católicas que abrigaram judeus durante a ocupação nazista a pedido do papa Pio XII.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos