Viagem

Polícia britânica evita atentados contra aviões em Londres

Ana María Echeverría

LONDRES, 10 ago (AFP) - A polícia britânica desbaratou um plano terrorista para derrubar aviões durante os vôos entre a Inglaterra e os Estados Unidos, que, segundo as autoridades, teria causado um assassinato em massa de dimensão inimaginável. O alerta máximo foi decretado em todo o país.

"Acreditamos que o objetivo dos terroristas era introduzir explosivos nos aviões em bagagens de mão e detoná-los durante o vôo", disse o comissário adjunto da Scotland Yard, Paul Stephenson.

"Os terroristas pretendiam cometer um assassinato em massa em uma escala inimaginável", acrescentou.

Fontes policiais acreditam que os terroristas planejavam explodir até dez aviões, em um ataque simultâneo.

O complô levou as autoridades britânicas a decretar alerta terrorista máximo em todo o território, aumentando o nível de "grave" para "crítico", o mais elevado.

O primeiro-ministro Tony Blair, de férias no Caribe, informou os fatos ao presidente americano George W. Bush, segundo Downing Street.

De acordo com o gabinete do premier, Blair esteve em contato permanente com Londres.

O plano terrorista para explodir aviões durante os vôos entre a Grã-Bretanha e os Estados Unidos tem "dimensões globais", afirmou o chefe da unidade anterrorista da polícia britânica, Peter Clarke.

"A inteligência sugere que os terroristas estavam planejando explodir aviões transatlânticos utilizando explosivos fabricados na Grã-Bretanha", acrescentou Clarke.

"Não podemos enfatizar muito a gravidade que este plano representava. Falando de maneira simples, esta foi uma tentativa de cometer assassinatos em massa em uma escala inimaginável", disse Stephenson.

O comissário adjunto destacou que a polícia prendeu 21 pessoas relacionadas ao plano terrorista.

Os "principais atores" do plano terrorista para explodir aviões em vôo entre a Grã-Bretanha e os Estados Unidos "estão sob custódia", afirmou o ministro britânico do Interior, John Reid.

"Os terroristas queriam derrubar vários aviões durante o vôo, provocando a perda de um número considerável de vidas".

"A polícia efetuou uma grande operação antiterrorista para acabar com o que pensamos ser uma ameaça maior contra o Reino Unidos e seus parceiros internacionais", acrescentou o ministro.

A lista de detidos pode aumentar porque a ampla operação antiterrorista prossegue e a polícia revista várias casas.

Paul Stephenson não divulgou detalhes sobre a nacionalidade das pessoas que estão sendo interrogadas pela polícia, mas uma fonte policial afirmou que a maioria dos detidos tem origem paquistanesa.

As pessoas foram presas durante a madrugada em Londres e seus subúrbios, assim como em Birmingham (centro da Inglaterra).

Stephenson se limitou a mencionar durante a entrevista coletiva que as pessoas se "escondem na comunidade, por trás de algumas religiões", o que poderia sugerir que os detidos integram a forte comunidade muçulmana na Grã-Bretanha.

A BBC e outros meios de comunicação que citam fontes ligadas à investigação também afirmaram que os detidos são britânicos muçulmanos de origem paquistanesa.

O alerta terrorista provocou uma grande confusão na Europa, com centenas de vôos cancelados com destino ou decolagem prevista para os aeroportos londrinos, onde foram adotadas rígidas medidas de segurança.

A British Airways anulou todos seus vôos domésticos e europeus saindo ou partido de Heathrow e as companhias aéreas alemãs Lufthansa e Air Berlim também decidiram cancelar. As medidas de segurança aérea também foram reforçadas na Alemanha.

A Air France igualmente anulou seus vôos para Londres, medida igualmente tomada pela portuguesa TAP e a italiana Alitalia. O presidente do governo espanhol, José Luis Rodriguez Zapatero, anunciou o reforço das medidas de segurança aérea na Espanha.

Milhares de passageiros esperam pacientemente em filas intermináveis, principalmente no aeroporto de Heathrow, e são submetidos a meticulosas revistas antiterroristas. Cães farejadores procuram bombas nas malas.

Os passageiros foram proibidos de transportar bagagens de mão e líquidos a bordo. Só podem carregar sacos transparentes com os objetos indispensáveis, como documentos pessoais, medicamentos, óculos e leite para as mulheres que amamentam, que no entanto são obrigadas a provar o mesmo.

"Os passageiros não podem levar bebidas ao avião. As mães podem levar leite para o bebê, mas só depois que tivermos certeza que as garrafas contêm leite", disse uma fonte da segurança do aeroporto Stansted, nas proximidades de Londres.

Os carrinhos infantis e as bengalas devem ser submetidos a raios X, e apenas as cadeiras de rodas fornecidas pelos aeroportos são autorizadas na zona de embarque.

A segurança também foi aumentada nos portos do canal e no terminal do Eurotúnel, em Folkestone, informou a polícia de Kent.

Alguns especialistas mencionaram na televisão e rádio britânicas a hipóteses da rede terrorista Al-Qaeda estar por trás do complô, que teria provocado milhares de mortes.

O Departamento americano de Segurança Interna informou nesta quinta-feira que aumentou o nível de alerta para os aviões com destino aos Estados Unidos, depois que a polícia da Grã-Bretanha desbaratou um plano para explodir aviões durante o vôo entre os dois países.

O nível de alerta para os vôos comerciais procedentes da Grã-Bretanha foi elevado para a cor vermelha (crítico), o maior na escala americana, afirma um comunicado oficial.

"Este ajuste reflete o nível de alerta crítico que entrou em vigor na Grã-Bretanha", explica o texto.

"Para nos protegermos de qualquer ameaça que surja deste complô, colocamos em nível elevado, ou laranja, o alerta para os outros vôos comerciais", acrescenta o comunicado.

"Em virtude da natureza da ameaça revelada pela investigação, proibimos o embarque nos aviões de qualquer líquido, inclusive bebidas, produtos para o cabelo ou perfumes", prossegue.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Topo