Viagem

Tsunami na Indonésia deixa mais de 90 mortos

17/07/2006 18h24

JACARTA, 17 jul (AFP) - Pelo menos 92 pessoas morreram na tsunami ocasionada pelo terremoto que sacudiu o litoral da Indonésia, mas os especialistas descartaram a ameaça de um fenômeno "altamente destrutivo" como o registrado em 26 de dezembro de 2004.

Pelo menos 62 pessoas morreram quando as ondas atingiram a zona de Pangandaran, oeste de Java, segundo Ajad Sudrajad, chefe da polícia local. Outras 30 morreram em outras cidades costeiras do oeste e do centro da ilha de Java, segundo uma emissora local. Setenta pessoas estão desaparecidas, incluindo 15 detentos da ilha-prisão de Nusakambangan, perto de Pangandaran.

Um político local, o deputado Rudi Supriatna Bahro, lembrou o tsunami de dezembro de 2004 que deixou 168.000 mortos no norte da ilha de Sumatra e outros 50.000 em outras localidades banhadas pelo oceano Índico.

Bahro concedeu a entrevista em Pagandaran, uma pequena estação balneária muito afetada situada na estrada entre Bandung e Yogyakarta, a grande cidade do centro de Java atingida no dia 27 de maio por um forte terremoto que deixou cerca de 6.000 mortos.

Os tremores de terra são freqüentes na Indonésia, um imenso arquipélago formado por milhares de ilhas.

Putu Suryawan, do setor das equipes de socorro da Cruz Vermelha indonésia, afirmou à AFP que, de acordo com os moradores, cerca de quarenta trabalhadores que construíam uma barragem foram considerados desaparecidos.

O terremoto, sentido na capital Jacarta, teve seu epicentro localizado no oceano Índico, ao longo da costa sudoeste de Java. Construções situadas nesta região foram atingidas pouco depois por um grande maremoto.

"Os barcos foram jogados contra os hotéis, que tiveram suas janelas destruídas", declarou à rádio indonésia Elshinta uma testemunha, uma mulher que se identificou como Teti.

"Vários pequenos hotéis ficaram destruídos", acrescentou esta funcionária de uma agência de turismo que acompanha um grupo de turistas holandeses. "Quatro pessoas do meu grupo ainda estão faltando", relatou ela.

Uma outra testemunha declarou a uma rádio que os estragos foram muito grandes. "As crianças choravam e muitas ficaram feridas", acrescentou.

Um oficial local do Exército indonésio, Asep Kurniadi, afirmou que as ondas tinham três metros de altura. "O nível da água agora voltou ao normal", disse.

O Centro de alerta de Tsunamis para o Pacífico, situado no Havaí, descartou a ameaça de um "tsunami altamente destrutivo".

"Há entretanto a possibilidade que um tsunami local possa atingir a costa", informou o Centro.

Um porta-voz da agência sismológica Geoscience Australia informou que os territórios australianos do oceano Pacífico haviam registrado um maremoto "muito pequeno": sessenta centímetros para a Ilha de Páscoa e dez para as ilhas Cocos. Nenhum estrago foi constatado.

Um alerta de tsunami também foi emitido pelas autoridades locais do arquipélago indiano das ilhas Nicobar, ao longo do litoral sudeste da Índia, que havia sido duramente atingido em dezembro de 2004. Nenhum maremoto havia sido registrado nesta região no meio da noite.

O tsunami foi causado por um forte terremoto no fundo do mar e cuja magnitude foi de 7,2, segundo o Instituto Nacional de Geofísica americano (USGS, sigla em inglês). O tremor ocorreu a 48 km de profundidade às 15h19 locais (05h19 de Brasília).

O epicentro se situou ao longo da ilha de Java, a 240 km da cidade indonésia de Tasikmalaya, e a 358 km da capital indonésia Jacarta, segundo o USGS.

O terremoto, sentido em Jacarta e no oeste da ilha de Java, foi seguido de diversos tremores fortes, informou o instituto.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Viagem

Topo