Topo

Viagem

Roteiros gastronômicos


Embaixo desta cidade francesa há 3 milhões de garrafas de vinho; conheça

ANNEEMMANUELLE_THION/Caves Patriarche
As Caves Patriarche ficam sob as ruas da cidade de Beaune, na Borgonha Imagem: ANNEEMMANUELLE_THION/Caves Patriarche

Marcel Vincenti

Colaboração para o UOL, de Beaune

2019-06-25T04:00:00

25/06/2019 04h00

Beaune é um centro urbano da região da Borgonha, no coração da França, que se encontra cercado por algumas das mais renomadas vinícolas do mundo. Nos arredores da cidade surgem colinas sobre as quais ondulam românticos vinhedos, que são explorados pelos turistas em passeios de bicicleta.

Nem todos sabem, entretanto, que sob as ruas de Beaune existe uma rede de túneis de aproximadamente 5 quilômetros de extensão que guarda muitos dos preciosos produtos da vitivinicultura local.

ANNEEMMANUELLE_THION/Caves Patriarche
Barris de vinho dão boas-vindas aos visitantes no começo do passeio nas Caves Patriarche Imagem: ANNEEMMANUELLE_THION/Caves Patriarche

Trata-se das Caves Patriarche, cujas vias subterrâneas ficam embaixo do centro histórico da cidade e abrigam, atualmente, mais de 3 milhões de garrafas de vinho em processo de envelhecimento.

E a boa notícia é: este mundo escondido é aberto a visitação turística.

Após atravessar os enormes portões que conectam a rua às Caves Patriarche, o público atravessa um corredor cheio de barris gigantescos e uma capela, que constituem o caminho até uma pequena escada rumo às galerias embaixo do solo.

ANNEEMMANUELLE_THION/Caves Patriarche
As Caves Patriarche abrigam aclamados vinhos da região francesa da Borgonha Imagem: ANNEEMMANUELLE_THION/Caves Patriarche

Esta espécie de labirinto é usada para armazenar vinhos da Borgonha há mais de 230 anos e, em seus corredores, há a predominância de bebidas feitas com Chardonnay e Pinot Noir, uvas muito cultivadas nesta região da França.

A denominação de origem das garrafas, por sua vez, desfruta de grande prestígio no mundo da enologia, como Meursault, Pommard, Nuits-Saint-Georges e Chassagne-Montrachet. Algumas delas chegam a custar centenas de euros.

Antoine Muzard/Caves Patriarche
Uma capela faz parte do complexo das Caves Patriarche Imagem: Antoine Muzard/Caves Patriarche

Vinhos espumantes, incluindo o delicioso Crémant de Bourgogne Brut, também aparecem guardados por aqui.

Visita autônoma

A visita às Caves Patriarche é realizada de maneira autônoma: o turista atravessa sozinho os seus corredores e galerias, passando entre milhares de garrafas empilhadas e cobertas por poeira.

O ambiente tem pouca luz e, nas paredes, um aviso para inibir possíveis furtos destes valiosos recipientes de vidro: todo o local é monitorado por câmeras.

Além das indicações dos vinhos que estão envelhecendo em muitos dos cantos deste universo subterrâneo, os visitantes podem ler, em placas colocadas dentro das galerias, o nome das ruas de Beaune sob as quais eles estão caminhando naquele exato momento.

ANNEEMMANUELLE_THION/Caves Patriarche
Interior das Caves Patriarche, na cidade francesa de Beaune Imagem: ANNEEMMANUELLE_THION/Caves Patriarche

E há ainda espaços com histórias extremamente interessantes: nas Caves Patriarche, atrás de grades com cadeado, fica uma área que armazenou, por décadas, vinhos borgonheses da safra de 1959, um ano considerado excelente para a produção de bebidas da região.

As grades foram abertas em 2001, para que muitas das garrafas fossem levadas a leilão, em um evento que contou com a presença de autoridades locais.

Degustação

O tour fica ainda mais legal na sua parte final, no momento de provar algumas das bebidas. Quando o UOL visitou as Caves Patriarche, o ingresso (que custou 17 euros) dava direito à degustação de nada menos do que 10 vinhos (quatro brancos e seis tintos). E ainda era 10h30 da manhã.

ANNEEMMANUELLE_THION/Caves Patriarche
Esta atração turística de Beaune tem mais de 230 anos de história Imagem: ANNEEMMANUELLE_THION/Caves Patriarche

Neste momento, uma funcionária explica ao público as características dos vinhos a serem provados: fala sobre os aromas que podem ser sentidos em determinado chardonnay e sobre a complexidade dos sabores deste ou daquele pinot noir.

A visita chega a durar mais de duas horas e, em determinados momentos, é possível se sentir completamente imerso em um universo paralelo de hedonismo (e esquecer que existe um mundo lá em cima).

Divulgação/Caves Patriarche
Entrada para o mundo subterrâneo das Caves Patriarche, na Borgonha Imagem: Divulgação/Caves Patriarche

"Em um mundo em que tudo acontece cada vez mais rápido, é sempre bom dar uma pausa para observar, provar e apreciar as coisas com calma", diz Jean-Michel Gallette, diretor da marca Patriarche. "E, dentro de nossas caves, o turista tem a impressão de que o tempo parou".

Passeio de bike

Em Beaune, os amantes do vinho também devem alugar uma bicicleta (ou contratar uma agência que organize passeios de bike) e realizar uma lindíssima pedalada a partir da cidade.

Neste centro urbano da Borgonha, começa uma estreita via de asfalto (com pouco movimento de veículos motorizados) que corta os vinhedos da região e interliga belas vilas como Pommard, Mersault e Puligny-Montrachet.

javarman3/Getty Images/iStockphoto
Na Borgonha, vinhedos e lindas vilas podem ser explorados em passeios de bicicleta Imagem: javarman3/Getty Images/iStockphoto

No caminho, é possível comprar vinhos em lojas de produtoras que ficam dentro das vilas (Mersault é um dos melhores lugares para fazer isso), apreciar a vida rural da França e aprender sobre as características dos aclamados vinhos da área.

Para informações sobre estes tours, acesse: www.beaune-borgonha.com/lazeres-e-atividades

Mais Roteiros gastronômicos