Topo

Viagem

Roteiros culturais


Queen, Beatles e mais: estes lugares provam que Londres é a meca do rock

Marcel Vincenti

Colaboração para o UOL, de Londres

2019-05-28T04:00:00

28/05/2019 04h00

Londres está para o rock assim como Los Angeles está para o cinema.A capital inglesa é uma verdadeira meca da música, sendo o berço ou lar de adoção de bandas e artistas solo como Rolling Stones, Beatles, Queen, The Who, David Bowie, Pink Floyd, Sex Pistols, The Clash e Led Zeppelin, entre outros deuses dos palcos.

Mas como entrar em contato com a história desta prolífica cena artística em uma visita à metrópole do Reino Unido? Fazer isso não é difícil: em apenas um dia, o turista consegue conhecer locais fundamentais da história da música britânica, passando por destinos como Abbey Road e Soho. A seguir, veja alguns lugares para explorar neste tour.

Abbey Road

VisitBritain / Jack Barnes
Imagem: VisitBritain / Jack Barnes

Na via londrina chamada Abbey Road foi feita uma das capas mais famosas da história da música: a do disco "Abbey Road", lançado em 1969 pelos Beatles.

A faixa de pedestres atravessada e imortalizada por John Lennon fica em uma charmosa região de Londres, ao lado do Abbey Road Studios (antigo EMI Recording Studios), onde o trabalho foi parcialmente produzido.

Diariamente, turistas se reúnem no local para cruzar a rua e tirar fotos imitando a antológica cena. Mas a tarefa não é fácil: trata-se de uma via extremamente movimentada e é preciso ficar ligado para não ser atropelado.

Em 8 de agosto deste ano, a realização desta fotografia dos Beatles completa 50 anos. Que tal se programar para estar lá e celebrar este marco da música?

Trident Studios

Marcel Vincenti/UOL
Imagem: Marcel Vincenti/UOL

Para realmente se imergir na história do rock e do pop britânico, dedique algumas horas para explorar o Soho, na região central de Londres e que foi palco para muitíssimos episódios marcantes da música na terra da rainha Elizabeth 2ª.

Lá fica, por exemplo, em uma vielinha só para pedestres chamada St. Anne's Court, o edifício do antigo Trident Studios.

Quem passa desavisado pelo local provavelmente não irá saber que, atrás de sua fachada simples, marcada por portões azuis, foram gravadas (total ou parcialmente) obras-primas como a canção "Hey Jude" (dos Beatles), o álbum "The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars" (David Bowie), o álbum "Sticky Fingers" (Rolling Stones), o álbum "Trespass" (Genesis), o álbum "Seven Seas of Rhye" (do Queen) e a música "Rocket Man" (Elton John).

Via de regra, não é possível ingressar no edifício. Mas já vale o passeio só estar lá na frente, diante da porta por onde entrou e saiu, por diversas vezes, uma legião de gênios da música.

Casa de shows e museu do Hendrix

Marcel Vincenti/UOL
Imagem: Marcel Vincenti/UOL

No Soho, bem perto do Trident, fica o edifício no qual funcionou, até os anos 80, o Marquee Club (situado no número 90 da Wardour Street), onde tocou gente como Rolling Stones (no começo da carreira), Queen (também nos primórdios), The Police, Sex Pistols e The Who.

Na fachada há, inclusive, uma placa celebrando as vezes em que o baterista Keith Moon, ex-The Who e falecido em 1978, se apresentou no lugar (na foto).

E você é fã do Jimi Hendrix? Apesar de norte-americano, o guitarrista fez sua carreira decolar em Londres.

E, na capital britânica, mais precisamente na Brook Street (a cerca de 1 km do Marquee Club), se localiza um museu que ocupa uma antiga residência do músico, onde ele viveu no final dos anos 60. No local, é possível ver o espaço no qual Hendrix morou.

Berwick Street

Marcel Vincenti/UOL
Imagem: Marcel Vincenti/UOL

Quer comprar vinis raros em Londres? Então vá para a Berwick Street, rua do Soho onde é possível encontrar edições antigas de clássicos de bandas como Pink Floyd, Beatles e Rolling Stones.

Mas não é só isso: esta via é palco de diversas histórias interessantes da música.

Foi lá que foi tirada, por exemplo, a foto que estampa a capa do famosíssimo disco "(What's the Story) Morning Glory?", do Oasis.

A Berwick Street também foi muito frequentada por artistas britânicos mais experientes do que os irmãos Gallagher.

Elton John, por exemplo, trabalhou em uma loja de discos que ficava nesta via. E David Bowie aparecia frequentemente na área para comprar vinis.

Denmark Street

Reprodução
Imagem: Reprodução

A Denmark Street é outra rua importantíssima na história da música londrina.

O edifício número 6 deste via foi lar do vocalista Johnny Rotten (à esquerda na foto), dos Sex Pistols, nos anos 70.

Lá também fica, no número 4, o edifício do Regent Sound Studios, no qual foram gravados trabalhos de bandas como Rolling Stones e Black Sabbath.

E, no número 9 da Denmark Street, ficava o Gioconda Café, frequentado por músicos como David Bowie e Elton John.

A rua, hoje, continua abrigando lojas de instrumentos musicais.

Prédio dos Beatles

Marcel Vincenti/UOL
Imagem: Marcel Vincenti/UOL

Lembra do famoso show dos Beatles realizado no terraço de um prédio (e que foi a última apresentação pública da banda)?

Este episódio histórico ocorreu no dia 30 de janeiro de 1969 no topo de um edifício localizado no número 3 rua Savile Row, que era usado como escritório da banda de Paul McCartney.

Não é possível ir até lá em cima, mas, no térreo do prédio, há uma loja que exibe instrumentos da banda.

Rock Tours of London

Marcel Vincenti/UOL
Imagem: Marcel Vincenti/UOL

Caso o turista queira conhecer estas e outras atrações musicais mais facilmente, vale a pena contratar a agência Rock Tours of London, cujos passeios costumam ser guiados por Lee Sargent, um inglês figura que sabe informações extremamente detalhadas da história da música britânica.

Sargent afirma haver conhecido pessoalmente os membros do Queen e ter sido uma das pessoas responsáveis pelas palmas da música "We Will Rock You" ("posso falar que tenho participação na história do rock", brinca ele).

Além de conduzir o público aos lugares citados acima, o guia pode agregar, no passeio, uma espécie de tour stalker, durante o qual todos são levados para passar na frente das casas atuais e ex-casas de roqueiros ingleses famosos.

A mansão de Paul McCartney, por exemplo, se situa no número 7 da Cavendish Avenue, curiosamente bem perto de Abbey Road.

Já o casarão de Jimmy Page (na foto, marcado por uma torre que lembra a de um castelo) fica na chique região de Holland Park (mais precisamente no número 29 da Melbury Road) e é cenário de uma história interessante: há alguns anos, se mudou para uma mansão vizinha o cantor pop Robbie Williams.

Robbie começou a fazer uma enorme reforma em sua nova residência, gerando barulhos e outros incômodos que tiraram o lendário guitarrista do Led Zeppelin do sério (e que, segundo ele, estavam ameaçando a estrutura de sua morada).

A briga foi parar na justiça e, até hoje, está rendendo muitos conflitos entre os dois artistas (para o deleite da imprensa britânica).

Queen e Beatles

Marcel Vincenti/UOL
Imagem: Marcel Vincenti/UOL

E há, ainda, visitas do Rock Tours of London à frente de casas que foram lar de Freddie Mercury em Londres: a mais famosa delas é a Garden Lodge (na foto), onde o cantor faleceu em 1991 e que hoje é cercada por câmeras e barreiras cortantes colocadas por Mary Austin, sua ex-companheira e que herdou a propriedade após a morte do líder do Queen.

Fãs de Mercury costumavam cobrir o muro da frente com mensagens de amor ao cantor, mas, hoje, avisos na fachada informam que isso é proibido e constitui crime.

No número 12 da rua Stafford Terrace, por sua vez, cheia de edificações brancas padronizadas, está a casa (bem menos grandiosa do que Garden Lodge) onde Mercury viveu boa parte de sua vida adulta.

Mais Roteiros culturais