Topo

Viagem

Roteiros culturais


De Marx a Stálin: túmulos de personalidades polêmicas são atração turística

Marcel Vincenti

Colaboração para o UOL

2019-03-22T04:00:00

22/03/2019 04h00

Recentemente, o túmulo do filósofo alemão Karl Marx foi vandalizado em duas ocasiões no cemitério de Highgate, em Londres. Criticado e odiado ao redor mundo, o pensador comunista tem, ao mesmo tempo, uma legião de fãs, que fazem questão de visitar sua sepultura quando estão na capital inglesa.

E ele não é a única personalidade polêmica cujo túmulo recebe visitas turísticas. Abaixo, conheça lugares de descanso final de figuras controversas que podem ser visitados por viajantes, incluindo Marx.

Karl Marx (Londres, Inglaterra)

Nicola Ferrari/Getty Images
Imagem: Nicola Ferrari/Getty Images

O cemitério de Highgate, em Londres, chama Karl Marx de seu "mais famoso residente".

O filósofo alemão morreu na capital inglesa em 1883 e, hoje, tem um túmulo marcado por um gigantesco busto de sua figura e pela célebre frase "Trabalhadores do mundo, uni-vos!", que aparece na obra "Manifesto Comunista".

Este local pode ser conhecido em passeios guiados realizados pelo cemitério de Highgate.

E uma curiosidade: quase à frente do túmulo do alemão fica a sepultura de Herbert Spencer (1820-1903), um pensador do liberalismo clássico que é a antítese de Karl Marx.

Josef Stálin (Moscou, Rússia)

Arthur Lookyanov/Getty Images/iStockphoto
Imagem: Arthur Lookyanov/Getty Images/iStockphoto

Líder máximo da União Soviética dos anos 1920 a 1953 (ano de sua morte), Josef Stálin é uma das personalidades mais controversas da história, a quem se atribui a morte de milhões de pessoas.

Os restos mortais de Stálin, entretanto, não estão escondidos em algum lugar não identificado. Pelo contrário: eles se encontram enterrados na área da Praça Vermelha, o principal símbolo de Moscou, bem ao lado de um dos muros do Kremlin.

É um túmulo simples, coroado pelo busto do ditador, e que pode ser visitado por qualquer pessoa que esteja na Praça Vermelha. Não raro, se vê flores depositadas por admiradores sobre a sepultura de Stálin.

Vladimir Lênin (Moscou, Rússia)

Sergei Karpukhin/AP
Imagem: Sergei Karpukhin/AP

Perto da sepultura de Stálin, também na Praça Vermelha, fica o grandioso mausoléu de outro polêmico líder soviético: Vladimir Lênin.

Trata-se de uma estrutura de granito que é aberta a turistas -- e onde os visitantes podem ver de perto o corpo embalsamado de Lênin, líder da Revolução Russa de outubro de 1917 (e que faleceu em 1924, após sofrer uma série de derrames).

Lá dentro, guardas exigem que o público adote uma postura de respeito: falar alto, por exemplo, é proibido. E, no "passeio", é possível ver com clareza o corpo de Lênin, com sua careca, cavanhaque ruivo e nariz de traços finos bem iluminados.

A visita é gratuita, mas espere encontrar filas para ingressar no mausoléu que, de tempos em tempos, é fechado para que o corpo embalsamado de Lênin passe por manutenção.

Francisco Franco (San Lorenzo de El Escorial, Espanha)

Manjagui/Getty Images/iStockphoto
Imagem: Manjagui/Getty Images/iStockphoto

Francisco Franco, que comandou a Espanha com mão de ferro entre os anos 1930 até a sua morte, em 1975, está sepultado em Valle de los Caídos, um complexo religioso e arquitetônico localizado a aproximadamente 60 km de Madri.

Ele é visto como um ditador implacável ao redor do mundo, mas é admirado como um grande líder por membros da população espanhola, que vão até Valle de los Caídos para lhe prestar homenagens.

Recentemente, o governo da Espanha anunciou querer exumar, em junho deste ano, os restos mortais do ditador, que, se tudo sair como planejado, serão transferidos para o cemitério de Mingorrubio, em Madri. Para o atual Presidente de Governo da Espanha, Pedro Sánchez, a sepultura de Franco em Valle de los Caídos é "um símbolo que separa os espanhóis", como ele disse, em 2018, em uma entrevista ao veículo de comunicação "El Español".

Mohammad Reza Pahlavi (Cairo, Egito)

Ahmad Badr/creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en
Imagem: Ahmad Badr/creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en

Derrubado, em 1979, pela Revolução Islâmica, Mohammad Reza Pahlevi é o último xá da história do Irã.

Ele foi uma figura controversa: para muitos, tentou modernizar a nação persa. Para outros, foi um ditador subserviente ao Ocidente que reprimia brutalmente a população iraniana com a Savak, a temida polícia secreta que existia em seu regime.

Após a Revolução Islâmica, Mohammad Reza deixou o Irã e, após passar por diversos países, faleceu na capital do Egito, Cairo: seu corpo está em um túmulo dentro da mesquita de Al-Rifa'i, localizado no centro antigo do território cairota.

Leon Trótski (Cidade do México, México)

Gunther Schenk/creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en
Imagem: Gunther Schenk/creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en

E nesta lista aparece mais um polêmico (e importante) líder soviético: Leon Tróstki, cujos restos mortais estão enterrados no jardim de sua antiga casa na Cidade do México: nesta residência, em 1940, ele recebeu um golpe de picareta na cabeça desferido por um homem chamado Ramón Mercader, que teria agido a mando de Josef Stálin.

O local é hoje um museu, que preserva os cômodos da casa exatamente como eram na época em que Trótski vivia lá. O líder soviético abandonou a Rússia nos anos 1920. Ele se estabeleceu na capital mexicana depois viver em alguns países do mundo, como a Noruega.

Muitos turistas visitam à antiga casa de Trotsky e rendem homenagem à sua sepultura.

Che Guevara (Santa Clara, Cuba)

Arsgera/Getty Images
Imagem: Arsgera/Getty Images

Herói para uns, vilão para outros, o guerrilheiro argentino Che Guevara está sepultado em um gigantesco mausoléu na cidade cubana de Santa Clara.

Seus restos mortais foram transferidos para este local depois de terem sido encontrados, em 1997, em uma vala no interior da Bolívia, país onde o Che foi morto em 1967.

O monumento é coroado por uma estátua de bronze de mais de 6 metros de altura de Guevara e, na mesma área, há um museu dedicado ao guerrilheiro. O lugar é atração turística em Cuba.

Fidel Castro (Santiago de Cuba, Cuba)

SanerG/Getty Images
Imagem: SanerG/Getty Images

Fidel Castro, que liderou Cuba por cerca de cinco décadas, foi cremado após sua morte em 2016 e, hoje, tem seus restos mortais dentro de um monumento no cemitério de Santa Ifigenia, na cidade de Santiago de Cuba.

O local costuma ser visitado por viajantes que fazem turismo na ilha.

Por muita gente, Fidel Castro é considerado um ditador que privou a nação cubana de liberdade durante meio século. Mas há pessoas que o consideram um herói revolucionário que melhorou a qualidade de vida de seu povo e jamais se curvou aos Estados Unidos.

Mais Roteiros culturais