menu
Topo

Viagem


Primeira vez em um cruzeiro? Veja dicas para uma viagem sem estresse

Divulgação/Costa
Viagens marítimas podem ser uma ótima opção para curtir a época de calor intenso no Brasil Imagem: Divulgação/Costa

Marcel Vincenti

Colaboração para o UOL

2018-12-22T04:00:00

22/12/2018 04h00

A temporada brasileira de cruzeiros já começou e, seguramente, muita gente fará, nos próximos meses, uma viagem de navio pela primeira vez na vida. 

Trata-se de uma experiência com potencial para ser extremamente divertida, com dias embalados por belas paisagens marítimas, horas intermináveis nas piscinas dos transatlânticos e visitas a lindos destinos litorâneos. 

Ao mesmo tempo, é um tipo de jornada que requer uma série de cuidados e planejamentos, para que o passeio em alto-mar seja livre de contratempos. 

Abaixo, veja dicas para curtir, sem estresse, viagens em transatlânticos que irão navegar pelo Brasil e países vizinhos nos próximos meses. 

Arrumando as malas

Getty Images
Imagem: Getty Images

Um dos principais atrativos de qualquer cruzeiro são as áreas externas do navio que oferecem piscinas e hidromassagens. Monte sua mala pensando que você está indo fazer uma viagem para a praia: leve trajes de banho, protetor solar, óculos de sol, chapéu ou boné, chinelo e roupas leves. 

Mas é também necessário verificar, de antemão e maneira detalhada, como será a programação do cruzeiro: a bordo, são frequentemente realizados eventos temáticos (como festa do branco, na qual os participantes vestem roupas brancas) e jantares de caráter mais formal.

A maioria dos navios também conta com discoteca (onde vale a pena usar uma roupa descoladinha de balada) e academia (traga trajes propícios para a prática de exercícios caso você queira malhar em alto-mar).     

Para Alex Calabria, gerente de Vendas e Marketing da companhia Costa Cruzeiros, o turista também deve se adequar ao perfil das cidades e balneários que o transatlântico irá visitar: "nas paradas em Ilha Grande, no Rio de Janeiro, por exemplo, muita gente gosta de fazer trilhas no meio da natureza. Se esta for a intenção do passageiro, vale a pena levar tênis resistentes para caminhadas", recomenda ele. "Já em Buenos Aires, há tours que levam os hóspedes do navio a restaurantes e apresentações de tango". Segundo Calabria, estas ocasiões pedem uma vestimenta mais formal. 

"Vale lembrar também que o navio é climatizado e costuma ventar durante a noite nas áreas externas. Ou seja, é importante incluir um casaco na lista", informa a companhia de cruzeiros MSC. 

Momento do embarque

Diy13/Getty Images/iStockphoto
Imagem: Diy13/Getty Images/iStockphoto

Em cruzeiros nacionais, o turista brasileiro pode embarcar usando, como documento de identificação, seu RG (expedido há menos de 10 anos) ou carteira de habilitação (além de alguns documentos de identificação válidos em território nacional e que tenham foto, como OAB, CREA e CRM. Para saber de todos os documentos profissionais que são aceitos, ou não, para o embarque, consulte com antecedência a sua companhia de cruzeiros).

"Brasileiros menores de 18 anos, por sua vez, precisam mostrar carteira de identidade, devendo ser consultadas as hipóteses em que é necessária a apresentação de autorização dos pais e/ou responsáveis", informa a Costa Cruzeiros. 

Porém, se for uma viagem que saia do Brasil e navegue rumo à Argentina ou Uruguai (dois destinos muito visitados a partir de portos brasileiros), só será aceito, do viajante brasileiro maior de idade, o RG ou passaporte (para usar o passaporte, verifique com a companhia de cruzeiro qual o tempo de validade mínimo que o documento deve ter).     

Nos navios da Costa, cada passageiro pode embarcar com até 90 quilos de bagagem. A MSC, por sua vez, permite 90 quilos por cabine, distribuídos em até três malas. É recomendável, entretanto, não montar malas gigantescas, pois as cabines das embarcações podem ser ligeiramente apertadas.

Os transatlânticos chegam a levar, por viagem, mais de 3.000 malas. Por isso, identifique seus pertences com seu nome, endereço e telefone para contato.  

E há alguns itens que não podem ser levados para dentro dos navios de cruzeiro no Brasil: entre eles estão objetos que emitam calor ou produzam chamas, como velas, incensos e outros itens que possam gerar incêndio. Bebidas e diversos tipos de alimentos adquiridos fora do navio ou nos portos de escala também são proibidos a bordo.

Remédios

Getty Images
Imagem: Getty Images

É altamente recomendável que o passageiro leve, de casa, seus remédios de uso contínuo para dentro do navio. O balanço do mar, por sua vez, pode causar enjoo em pessoas mais sensíveis: há comprimidos disponíveis em farmácias de todo o Brasil que combatem este tipo de mal-estar.  

Os transatlânticos são equipados com centros médicos preparados para realizar atendimentos emergenciais nos passageiros. Mas, via de regra, é preciso pagar um preço extra para utilizar este tipo de serviço.

"Recomendamos que todos os hóspedes façam, por conta própria, uma apólice de seguro médico, de bagagem e de cancelamento de viagem, diretamente com seguradoras especializadas", informa a companhia MSC. "Cabe ao hóspede verificar atentamente os termos e condições de cada empresa, antes de qualquer celebração de contrato, bem como verificar se as condições são aplicáveis ao cruzeiro que está adquirindo".

Gastos a bordo

Getty Images
Imagem: Getty Images

Mesmo com uma série de serviços incluídos no preço da passagem (como alimentação a bordo e direito de acesso à infraestrutura de entretenimento do navio), o turista terá, provavelmente, gastos extras dentro do transatlântico. 

Muitas tarifas, por exemplo, não incluem bebidas alcoólicas: é preciso pagar para tomar aquela cervejinha na embarcação. Serviços de spa e excursões nos portos de escala da viagem também geram despesas extras.

Quando os navios estão no Brasil, estes consumos adicionais a bordo são cobrados em dólar. É possível usar um cartão de crédito internacional ou dinheiro vivo para pagar por isso (para atividades no cassino, porém, é preciso dinheiro em espécie).     

Crianças e pessoas com deficiência

Getty Images
Imagem: Getty Images

"Os pais podem fazer um cruzeiro tranquilamente com seus filhos", diz Alex Calabria, gerente de Vendas e Marketing da companhia Costa Cruzeiros. "Os navios contam hoje com monitores e espaços para atividades infantis, em um ambiente seguro para crianças". 

Pessoas com deficiência também tendem a encontrar um ambiente de acessibilidade nos transatlânticos. "Nossos navios são equipados para acomodar hóspedes com deficiência física ou mobilidade reduzida", informa a Costa Cruzeiros. "A bordo, há a cabines adaptadas, placas em braile, avisos sonoros nos elevadores e rampas que são acesso a locais como as piscinas. O hóspede com deficiência precisa apenas informar a sua condição no momento da reserva".

Compra da passagem

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Não é indicado deixar para a última hora para comprar passagens de cruzeiros. "Os navios no Brasil têm tido uma taxa de ocupação muito alta e as cabines podem se esgotar rapidamente", informa Alex Calabria. 

O gerente da Costa Cruzeiros recomenda que a compra dos bilhetes seja feita com mais de um mês de antecedência. 

Nesta temporada de cruzeiros, há desde viagens marítimas de curta duração (que se estendem por três ou quatro dias e se concentram em destinos da região Sudeste) até jornadas mais longas, que podem ultrapassar uma semana e chegar a locais como Bahia, Uruguai e Argentina. Os principais portos de embarque são Santos e Rio de Janeiro. 

Para mais informações sobre os cruzeiros da temporada e compras de passagens, acesse: 

Costa Cruzeiros: www.costacruzeiros.com
MSC Cruzeiros: www.msccruzeiros.com.br
CVC: www.cvc.com.br/cruzeiros  

Mais Viagem