menu
Topo

Viagem


Hotel em Marte ou no fundo do mar: brasileiros querem viagens inusitadas

Divulgação
Subsix, restaurante subaquático localizado em um resort nas Ilhas Maldivas Imagem: Divulgação

Luciana Bugni

Do UOL

27/11/2018 12h27

Já pensou em se hospedar em Marte? 41% dos brasileiros deseja isso, o que coloca o País entre os 10 do mundo que estão mais abertos a esse tipo de experiência. Segundo dados da Booking.com, metade da população do Brasil pensa também em ficar num hotel no fundo do mar - e a empresa, pasme, tem um parceiro que tem esse tipo de acomodação nas Maldivas. Outras hospedagens curiosas são uma casa de chocolate e uma cápsula dentro de um campo de tulipas, em plena Holanda.

As informações são de uma pesquisa de tendências de viagem para 2019 feita pela empresa, que descobriu que experiências são vistas como mais importantes que bens materiais, mesmo que as viagens sejam curtas.

Veja mais

Turismo saudosista

Outra tendência que chama atenção é que seis em dez viajantes brasileiros (62%) planejam visitar um destino que os faça voltar à infância.

Segundo a Booking.com, é por isso que veremos mais acomodações tentando dar toques lúdicos, como piscinas de bolinha e castelos infláveis para adultos, a fim de atender ao público das Gerações Z e de Millennials - são eles os maiores grupos que viajam com a intenção de voltar à infância.

Preocupação com a natureza do local

As entrevistas com os usuários do site constataram que a preocupação com a natureza e a população local é uma constante: 66% prefere não visitar se for impactar na vida de quem mora lá. 97% se diz disposta a fazer atividades para compensar o impacto de sua estadia, mas a preocupação não se traduz na hora de tirar os lixos plásticos dos lugares que visitam: 54% dos viajantes declaram que não se importam em limpar o que levaram.

Ainda assim, os brasileiros se posicionam como a sexta nacionalidade mais preocupada com questões sociais, atrás de países como México, China e Indonésia.

Tecnologia x experiência

O advento tecnológico está cada vez mais presente e ajuda os brasileiros a programar suas viagens. 40% deles afirmou que gostaria que alguém ou algo fizesse a parte mais trabalhosa de pesquisa e planejamento de viagens.

No destino, o turista também quer ajuda da tecnologia e pense em acessar seu quarto por meio do celular, sem chave, receber dicas personalizadas de viagem ou acessar um concierge robotizado, que possa se comunicar com os hóspedes em seu idioma nativo.

Um intercâmbio cultural para aprender algo novo é o desejo de 84% dos viajantes brasileiros. E, por novo, entenda aprender um idioma ou conhecer um novo tipo de cerveja, por exemplo. Viagens envolvendo trabalho voluntário (72%) e vagas para trabalhos no exterior (72%) são o segundo lugar da procura.

Mais Viagem