menu
Topo

Viagem

Cidade da moda: o turismo é uma dádiva ou um problema para Lisboa?

Getty Images
Lisboa é um dos destinos turísticos mais comentados nos dias de hoje Imagem: Getty Images

Marcel Vincenti

Colaboração para o UOL

07/10/2018 04h00

Lisboa é a cidade da moda no momento. Madonna escolheu a capital portuguesa como lar. Importantes publicações jornalísticas do mundo, como o britânico "The Telegraph", a indicam como um destino que deve ser visitado por viajantes estrangeiros. E a quantidade de turistas que chega a este território lusitano cresce exponencialmente a cada ano.

De acordo com o Observatório do Turismo de Lisboa (OTL), o número de hóspedes registrados nos hotéis da região metropolitana lisboeta aumentou 51% entre 2012 e 2017 (de 4,1 milhões para 6,2 milhões de pessoas). 

A procura por aluguel de residências (através de plataformas como o Airbnb) também tem se expandido fortemente e, no terminal de cruzeiros local, desembarcam nada menos do que 500 mil passageiros por ano.

"Isso é resultado de um trabalho que tem sido desenvolvido há pelo menos 15 anos", explica André Barata Moura, coordenador do Observatório do Turismo de Lisboa. "Neste tempo, foi feita uma ampla divulgação da cidade pelo mundo e houve uma política para trazer novos voos para a capital portuguesa [entre 2012 e 2017, o número de viajantes que passaram pelo aeroporto que serve Lisboa aumentou de 15,3 milhões para 26,3 milhões de pessoas]". Moura também diz que a crise econômica que afetou Portugal depois de 2008 ajudou a manter sua capital como um lugar mais barato para os turistas do que outros países da Europa. 

Getty Images
Há a preocupação de que o turismo esteja prejudicando as paisagens históricas de Lisboa Imagem: Getty Images

Este sucesso da metrópole lusitana no mercado do turismo, entretanto, não está livre de críticas. "O turismo está descaracterizando boa parte da cidade. No centro, comércios tradicionais fecharam as portas para dar lugar a lojas de suvenires e de grandes franquias. Imóveis no setor histórico de Lisboa se transformaram em hotéis. E muitos portugueses estão tendo que se mudar para longe porque seus imóveis alugados viraram Airbnb. É triste demais ver tudo isso", se lamenta Marcos Wilcke, viajante brasileiro que já esteve na capital portuguesa diversas vezes (e chegou a morar por lá).

André Barata Moura, da OTL, admite que a paisagem lisboeta tem se modificado por causa do turismo, mas diz que, hoje, há projetos que buscam conservar a identidade da metrópole lusitana. Um deles, criado pela Câmara Municipal de Lisboa, se chama "Lojas com História", que busca preservar comércios históricos da capital portuguesa e, com isso, ajudar a manter sua paisagem tradicional. Entre estes estabelecimentos está o Café Restaurante Martinho da Arcada, localizado na Praça do Comércio, com uma história que remonta ao século 18 e que era frequentado por Fernando Pessoa.

Impacto nos lisboetas
O aumento da demanda turística tem tido grande impacto na vida de muitos lisboetas, como o aumento do custo de moradia na capital portuguesa.

Psicólogo que trabalha em uma ONG de assistência social, o português Gonçalo Fontes, de 36 anos, afirma que, recentemente, teve que deixar Lisboa porque o preço de seu aluguel subiu 85%. “Eu pagava 270 euros pelo quarto de um apartamento”, conta ele. "De repente, o proprietário do imóvel disse que, a partir do mês seguinte, eu teria que começar a pagar 500 euros mensais. Tive que me mudar para Queluz, uma cidade vizinha. E a mesma coisa tem acontecido com diversos dos meus amigos, pois os imóveis de Lisboa estão sendo comprados por estrangeiros endinheirados ou convertidos em estabelecimentos turísticos".

Getty Images/iStockphoto
Muitas pessoas estão se mudando de áreas centrais de Lisboa por causa do aumento dos aluguéis Imagem: Getty Images/iStockphoto

Gonçalo, entretanto, vê um lado positivo nesta história. "Nos últimos dez anos, houve um renascimento de várias partes da cidade. O centro histórico, principalmente a região da Baixa Pombalina, se encontrava em situação de abandono, com ruas medonhas durante a noite e muitos edifícios decrépitos. São lugares que estão sendo renovados por causa do turismo. E adoro ver Lisboa ficando cada vez mais cosmopolita, passear pelo rio Tejo e ouvir dezenas de idiomas diferentes ao meu redor".

Mesmo quem trabalha com turismo enxerga aspectos positivos e negativos na atual popularidade de Lisboa. 

Funcionário de uma agência de viagens da capital lusa, Nuno Seabra afirma que "os hotéis lisboetas estão sempre lotados. Fica difícil encontrar vagas para grandes grupos de turistas. E o aeroporto que serve a cidade também já está no limite de sua capacidade. No último verão, houve voos que iriam sair de Lisboa, mas tiveram que ser transferidos para o aeroporto de Beja, a quase 200 quilômetros de distância. Isso é muito ruim para nossos clientes".

Nuno, porém, afirma que hoje "não me falta trabalho, por isso pretendo ficar na área do turismo por mais tempo". "Lisboa tem uma gastronomia excelente, um clima agradável, uma relação de preço-qualidade ótima e muita história. É compreensível que seja tão buscada por estrangeiros", conclui ele. 

Prevenção contra muvucas
O jornal britânico "The Telegraph", que indicou Lisboa como um destino que deveria ser visitado em 2017, também publicou uma reportagem, em setembro deste ano, perguntando se a capital portuguesa "não poderia ser se tornar uma nova Veneza", em alusão às vias insuportavelmente apinhadas de turistas e de lojas de suvenires da cidade italiana.

Getty Images/iStockphoto
A Península de Setúbal é um dos lindos destinos que ficam nas proximidades de Lisboa Imagem: Getty Images/iStockphoto

Coordenador do Observatório do Turismo de Lisboa, André Barata Moura afirma que há planos para tentar dispersar mais os viajantes por áreas vizinhas da capital lusitana e, assim, impedir o surgimento de muvucas. "Queremos incentivar o turista a também conhecer destinos que ficam fora da cidade, como a Península de Setúbal [onde existem lindas vinícolas e paisagens litorâneas]".

Mas há viajantes que visitam Lisboa e ainda não sentem que a cidade virou um destino de turismo de massa. O turista brasileiro Fabio Altran, por exemplo, esteve por lá em 2017 e achou a metrópole portuguesa e seus arredores bem menos lotados do que outros lugares da Europa. "Peguei muitas filas quando visitei os edifícios históricos de Sintra e quando fui comer os famosos pastéis de Belém", lembra ele. "Mas, de resto, tive uma viagem tranquila. Enfrentei maiores muvucas em lugares como a Andaluzia, na Espanha".

Entretanto, é comum ver grandes aglomerações de viajantes na frente de cartões-postais como a Torre de Belém e o Mosteiro dos Jerónimos.

Para André Barata Moura, um dos objetivos das entidades que cuidam do turismo em Lisboa é, atualmente, "saber equilibrar as coisas", entre a preservação da identidade lisboeta e o crescimento turístico na cidade. 

Resta torcer para que a capital portuguesa não perca totalmente o seu romantismo e charme intimista, que sempre foram os seus principais encantos.    

Getty Images/iStockphoto
Lisboa é uma das cidades mais interessantes e fotogênicas da Europa Imagem: Getty Images/iStockphoto

Mais Viagem