Topo

Viagem

Conheça lugares onde o turista pode visitar três países no mesmo dia

Marcel Vincenti

Colaboração para o UOL

28/06/2018 04h00

Ao redor mundo, há locais nos quais turistas conseguem visitar três países no mesmo dia. Isso mesmo: em diversos pontos do globo existem as chamadas tríplices fronteiras, onde os limites de três nações se encontram. Muitas destas junções são realmente bonitas. Abaixo, conheça cinco das mais interessantes delas:

Leia também

Brasil, Argentina e Paraguai

Abuelodelanada/creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en
Encontro das águas dos rios Iguaçu e Paraná: paisagem da fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai Imagem: Abuelodelanada/creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en

As Cataratas do Iguaçu são um dos destinos turísticos que todo brasileiro deveria visitar pelo menos uma vez na vida. Mas, depois de explorar este cartão-postal, é possível conhecer a região conhecida como Tríplice Fronteira, que fica lá perto e onde estão limites territoriais de Argentina, Paraguai e do próprio Brasil

Na região há vias que permitem o trânsito de viajantes entre as três nações sul-americanas: a Ponte Tancredo Neves, por exemplo, cruza o rio Iguaçu e conecta as cidades de Foz do Iguaçu (no Brasil) e Puerto Iguazú (na Argentina). Já a Ponte da Amizade passa sobre o rio Paraná e liga Foz do Iguaçu a Ciudad del Este (no Paraguai). 

Nos limites de cada país há estruturas de concreto com as cores nacionais marcando seus limites fronteiriços.

O Complexo Turístico do Marco das Três Fronteiras, que marca o lado brasileiro e exibe uma bela fonte de água, oferece uma linda vista para a junção dos rios Paraná e Iguaçu (a paisagem fica ainda mais bonita na hora do pôr do sol).

É possível pisar nos três países em 24 horas, mas, se você tiver mais tempo para curtir as belezas naturais desta região fronteiriça, fique mais tempo por lá (tente admirar, por exemplo, as Cataratas do Iguaçu desde o lado argentino, que oferece uma paisagem diferente da vista desde o Brasil).

Suíça, Alemanha e França

MlibFR/creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en
A ponte Dreiländerbrücke fica perto da Suíça e conecta a Alemanha com a França Imagem: MlibFR/creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en

No coração da Europa, é possível fazer um passeio até o lugar conhecido como Dreiländereck, que marca a área do encontro das fronteiras de Alemanha, França e Suíça. 

É uma junção de nações que ocorre no rio Reno, um dos mais importantes da Europa e de onde se tem a visão de interessantes obras arquitetônicas, como a ponte Dreiländerbrücke (na foto acima), que passa sobre o Reno e conecta as localidades de Huningue (em território francês) e Weil am Rhein (em solo alemão). 

Trata-se de uma estrutura com quase 250 metros de extensão e com um belo desenho moderno, que vai render lindas fotografias para o turista que decidir cruzá-la. 

A melhor base de onde explorar esta região do Velho Continente é a cidade suíça da Basileia, que fica ao lado da tríplice fronteira e oferece cartões-postais como a Basler Münster (uma linda igreja com uma história que remonta ao século 11) e românticos mirantes para o rio Reno. 

Noruega, Suécia e Finlândia

TylerTheTraveler/creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en
Tríplice fronteira de Noruega, Suécia e Finlândia fica no meio de um lindo cenário natural Imagem: TylerTheTraveler/creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en

Noruega, Suécia e Finlândia são países famosos por suas lindas paisagens naturais. E o ponto onde estas três nações se encontram não foge muito desta regra: conhecido internacionalmente como Three-Country Cairn, esta tríplice fronteira está marcada por um monumento de concreto no meio do lago Goldajärvi, um corpo de água cercado por muita natureza e fotogênicas montanhas. 

Trata-se de um local bem remoto (está situado no extremo norte da Suécia e norte dos territórios norueguês e finlandês), mas que, mesmo assim, é visitado por turistas que passeiam pela região.

Durante o inverno, é possível percorrer as ermas estradas da área a bordo de "snowmobiles" (aqueles veículos que lembram um jet-ski e que são adaptados para transitar pela neve) e chegar ao lago para admirar sua paisagem congelada.

Já durante épocas mais cálidas, os turistas chegam até a região com passeios de barco (que partem, por exemplo, da vila de Kilpisjärvi, na Finlândia). Depois de sair da embarcação, é preciso fazer uma caminhada até o marco da tríplice fronteira.

Brasil, Venezuela e Guiana

Yosemite/creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en
Marco da fronteira entre Brasil, Venezuela e Guiana, no monte Roraima Imagem: Yosemite/creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/deed.en

Outra tríplice fronteira da qual o Brasil faz parte é a que marca a divisa do território verde e amarelo com Venezuela e Guiana. Trata-se de um marco que fica no alto do monte Roraima, formação rochosa dividida pelos três países e que tem mais de 2.700 metros de altura. 

Por suas belezas naturais, o monte Roraima é muito explorado pelos amantes do ecoturismo, que realizam longas trilhas e acampam sobre sua estrutura. Em muitos destes passeios (organizados por agências de viagem brasileiras), os turistas têm a chance de chegar ao marco da tríplice fronteira. 

Mas é preciso suar para atingir o local: a extensão total de trilhas percorridas nestes roteiros chega aos 80 quilômetros (e sua duração, a sete dias). No árduo caminho, entretanto, os viajantes admiram paisagens como o rio Kukenán e uma cachoeira (além de admirar o monte Roraima de ângulos privilegiados).

Alemanha, Bélgica e Holanda

Tk420/creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0/deed.en
Área arborizada marca a fronteira entre Alemanha, Bélgica e Holanda Imagem: Tk420/creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0/deed.en

A Alemanha também divide uma bonita fronteira com a Holanda e a Bélgica. Trata-se de um local conhecido como Vaalserberg, onde um pequeno monumento de concreto, cercado por uma área densamente arborizada, marca o encontro entre as três nações europeias. 

É uma região que oferece mirantes de onde o turista pode enxergar paisagens dos três países. Também vale a pena visitar a torre Wilhelminatoren (situada em território holandês), que abriga um restaurante e também oferece vista panorâmica para a região.    

Esta tríplice fronteira fica a cerca de 140 quilômetros de Bruxelas (na Bélgica), 90 quilômetros de Colônia (na Alemanha) e 230 quilômetros de Amsterdã, na Holanda (três cidades não muito distantes que podem ser usadas como base para visitar Vaalserberg). A bonita cidade alemã de Aachen, que fica bem pertinho da tríplice fronteira, também merece ser visitada pelos turistas.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Viagem