Topo

Viagem

Em Museu do Amor, público se diverte com pênis gigantes e estátuas nuas

Marcel Vincenti

Colaboração para o UOL

27/05/2018 04h00

Capital da Coreia do Sul, a cidade de Seul abriga uma atração turística chamada Museu do Amor. Mas, ao visitar este local, não espere encontrar exposições dedicadas a poemas românticos, histórias de casamento e contos de fadas. 

Muito pelo contrário: o Love Museum (como é conhecido internacionalmente) promove exibições pra lá de sexuais, nas quais o público é convidado a interagir com esculturas penianas gigantescas, estátuas nuas, desenhos de pessoas transando e muito mais. 

Divulgação/Love Museum
Homem brinca com uma das "obras de arte" expostas no Love Museum, em Seul Imagem: Divulgação/Love Museum

Logo na entrada, os turistas se deparam com uma imagem aparentemente inocente: um cupido pelado tentando escalar uma parede e mostrando sua nudez para todos os presentes, com o bumbum varado por três flechas.  

Porém, não demora para que os visitantes se vejam subitamente cercados por imagens realmente provocativas e picantes. 

De um lado, aparece a escultura de um pênis vermelho gigante ejaculando em uma parede decorada com a pintura de duas colinas verdejantes. O público pode se sentar em cima do falo e fazer fotos para suas redes sociais. 

Divulgação/Love Museum
Visitantes do Love Museum podem chicotear figuras humanas em pose de submissão Imagem: Divulgação/Love Museum

Do outro, brotam de uma parede enormes seios femininos, dois deles sendo "sustentados" por um desenho do Incrível Hulk. E há ainda uma maquete que reproduz uma típica vila sul-coreana onde todos os habitantes (representados por bonequinhos) estão transando. Aqui, em um momento de voyeurismo, as pessoas podem espiar através das janelas das casinhas orientais e enxergar, lá dentro, figurar humanas em cálidas interações sexuais.     

Mais interação

As exibições, entretanto, não param por aí: diversas das "obras de arte" à mostra são realmente interativas. 

Os turistas podem, por exemplo, se posicionar entre as pinturas 3D e estátuas eróticas do museu e fazer parecer que são parte de uma transa ou de momentos sensuais entre diversas pessoas. Em uma delas, é possível chicotear a bunda de figuras masculinas e femininos em uma parede, todas em pose de submissão. 

Divulgação/Love Museum
O Love Museum recebe, segundo seu porta-voz, mais de 100 mil visitantes por ano Imagem: Divulgação/Love Museum

Em outra instalação, os visitantes levantam cortininhas que cobrem pinturas humanas nas paredes e, atrás dos panos, conseguem ver imagens de sexo explícito.   

E tanto mulheres como homens podem se sentar no colo de uma estátua de tamanho real do Super-Homem para fazer um retrato (mas há que tomar cuidado, pois o super-herói parece estar bem excitado).

Divulgação/Love Museum
Grande parte das obras expostas no Love Museum são interativas Imagem: Divulgação/Love Museum

E é bom não se empolgar com as exibições do local. Dentro do Love Museum há uma placa que avisa: "é permitido tirar fotos e tocar nos itens expostos. Mas é proibido fazer sexo aqui". 

E o museu está longe de ser uma atração turística obscura de Seul. De acordo com Seung Hwan, porta-voz do Love Museum, o local recebe a visita de mais de 100 mil pessoas por ano. "Nós somos o primeiro museu de Seul a ter como tema o amor e o sexo", diz ele. "As pessoas costumam ter vergonha de falar sobre relações sexuais. Aqui, é possível abordar este assunto livremente". 

Mais informações, acesse: lovemuseum.co.kr

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Viagem