Topo

Viagem

Cias aéreas criam setores livres de crianças. No Brasil, ideia é rejeitada

Getty Images
Imagem: Getty Images

Juliana Simon

Do UOL

01/03/2018 04h00

Quem tem filho sabe: viajar de avião com bebês e crianças não é nada fácil. Choro, inquietação, gritos e tentativas de levantar do assento são problemas comuns. Entre os vizinhos de poltrona, as reações se dividem entre solidariedade e irritação.

Lá fora, a questão ganhou tal força que é alvo de amplos debates na mídia especializada, redes sociais e entre as companhias aéreas. No Brasil, as companhias não encaram o tema como prioridade, mas dizem ter tratamento especial e treinamento para lidar com o incômodo que a situação pode gerar.

Veja também

Separar ou não separar?

No ano passado, uma pesquisa do site Airfarewatchdog constatou que 52% de seus leitores acreditam que famílias com crianças com menos de 10 anos deveriam ficar em uma seção à parte de outros passageiros.

E algumas companhias estrangeiras, como IndiGo, Scoot Airlines, AirAsia e Malaysia Airlines, contam com uma separação em aeronaves específicas, chamado de "child-free zones" (zonas sem crianças).

Vale mais o bom senso

À Business Insider, o analista Vinay Bhaskara afirma que o mais recomendado é os pais tentem de alguma maneira compensar os outros passageiros pelo incômodo. Desculpas antecipadas, um agradinho do carrinho de comidas e bebidas, ou, como o ator George Clonney fez em um voo em que estava com seus bebês gêmeos, distribuir protetores de ouvido aos colegas de assento são algumas ideias para deixar todo mundo mais tranquilo.

O que dizem as cias nacionais

Procuradas pela reportagem do UOL, GOL, LATAM e Azul afirmam que as reclamações dos brasileiros sobre esse tema são poucas e não preveem separação de crianças ou de adultos atrás de silêncio em áreas especiais, mas dizem que situações com crianças podem ser contornada com treinamento e, claro, um pouco de paciência e empatia dos passageiros.

Veja abaixo o que diz cada empresa: 

GOL

“Os colaboradores da GOL são treinados e estão aptos para lidar com situações adversas a bordo. Caso haja algum desconforto, os tripulantes são orientados a encontrar um ponto de equilíbrio entre os pais os demais passageiros, prezando sempre pela segurança de voo. Para que os pais tenham uma melhor experiência de viagem, a companhia indica que antes do voo busquem formas lúdicas para que os pequenos entendam o uso dos equipamentos de segurança”.

LATAM

“A LATAM Airlines acredita que é fundamental manter todas as suas equipes capacitadas a orientar e auxiliar os passageiros para que a viagem de todos seja realizada com conforto e segurança, sempre respeitando as exigências da ICAO (International Civil Aviation Organization), bem como a legislação prevista no ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

A tripulação da LATAM Airlines é treinada para auxiliar todos os clientes em diferentes situações a bordo. Sempre que solicitado, a equipe estará à disposição para dar o apoio necessário de acordo com os procedimentos da companhia e as regras de segurança internacionais. No atendimento à criança ou ao adolescente, a tripulação da LATAM Airlines os auxilia no que for necessário, sempre respeitando a legislação prevista no ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente)."

Azul

“Hoje, a companhia oferece o Espaço Kids, em Campinas, onde os pequenos que viajam com seus responsáveis para o exterior podem desfrutar de uma área de recreação infantil dentro do aeroporto.

Em voo, a filosofia de atendimento ao Cliente da Azul, incluindo aí as crianças que voam conosco, é conhecida como OPA – Observe, Perceba e Atenda. Nossa tripulação é treinada e orientada para observar quais as necessidades e desejos do Cliente, perceber e prestar atenção ao perfil de cada um e atender com atenção verdadeira e simpatia genuína que caracteriza a empresa.”

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Viagem