Topo

Viagem

7 países difíceis de serem explorados, mas que valem a pena visitar

Marcel Vincenti

Colaboração para o UOL

20/09/2017 04h00

Há países pelo mundo que possuem paisagens fantásticas e culturas fascinantes – mas que, ao mesmo tempo, impõem uma série de desafios para os turistas que querem explorá-los. São territórios em que o viajante irá lidar com cenários caóticos, idiomas indecifráveis e comportamentos bem diferentes do brasileiro. Viagens a tais lugares, porém, costumam valer muito a pena (caso você tenha, logicamente, espírito aventureiro).

Abaixo, conheça sete países do mundo que prometem muito perrengue para o turista (mas que merecem um visita de qualquer pessoa que goste de viajar).

1. Índia

Marcel Vincenti/UOL
Imagem: Marcel Vincenti/UOL

A Índia é um dos lugares mais desafiadores (e, ao mesmo tempo, encantadores) do mundo. Desembarque em qualquer grande cidade do país e você irá se deparar com uma infinidade de carros, tuc-tucs, multidões e vacas sagradas disputando espaço em ruas sem infra-estrutura e muito sujas. É um caos, mas, ao atravessá-lo, o turista entrará em contato com paisagens únicas no planeta: em Varanasi, o viajante se encanta com os hindus realizando seus rituais religiosos dentro do rio Ganges durante o nascer do sol. Em Agra, está o Taj Mahal, uma das construções mais lindas já feitas pelo homem. E, no deserto do Rajastão, é possível conhecer cidades históricas coloridas e fotogênicas, como Jaipur, Udaipur e Jaisalmer. Você voltará para casa exausto, mas com algumas das melhores histórias da sua vida.

2. Egito

Marcel Vincenti/UOL
Imagem: Marcel Vincenti/UOL

Nos cartões-postais, as pirâmides de Gizé aparecem isoladas no meio do deserto, como um mundo perdido. Tais monumentos são realmente encantadores, mas, para chegar até eles, o turista tem que estar preparado para atravessar o Cairo (na foto), uma das cidades mais caóticas do planeta. A capital egípcia é uma metrópole envelhecida, empoeirada e barulhenta. Mas o desafio vale a pena: além de ser a porta de entrada para as pirâmides, o Cairo oferece excelentes atrativos (como o antigo mercado de Khan el-Khalili e o rio Nilo) e é ponto de partida para os melhores complexos faraônicos do Egito, como Karnak (na cidade de Luxor) e Abu Simbel (no extremo sul do país). Aqui, o segredo é saber se divertir com o caos sonoro e visual egípcio e, no caso das mulheres, ter alguns cuidados, como evitar sair às ruas sem a companhia de um homem, pois o assédio sobre o sexo feminino é pesado no país.

3. Japão

Marcel Vincenti/UOL
Imagem: Marcel Vincenti/UOL

O Japão é um país organizado e extremamente seguro –mas, mesmo assim, não é fácil para um turista estrangeiro se locomover por lá. Primeiramente, porque a maioria dos japoneses não se comunica em inglês. Se você estiver perdido em Tóquio e precisar da ajuda de um nativo, prepare-se: será bem difícil entender o que ele fala. E, depois, porque muitas placas e sinalizações de transportes públicos (especialmente no metrô) estão escritas apenas em caracteres japoneses. Os nomes, por sua vez, também não ajudam. Antes de viajar para o Japão, tente aprender algumas direções em japonês, como “direita”, “esquerda” e “siga em frente”: isso será muito útil na hora de pegar orientações com algum nativo quando você estiver perdido (e, acredite, você vai se perder por lá).

4. Bolívia

Marcel Vincenti/UOL
Imagem: Marcel Vincenti/UOL

A Bolívia é um país que surpreende seus visitantes com algumas das paisagens mais fascinantes da América do Sul: estão lá o lago Titicaca, o Salar do Uyuni, o sítio arqueológico de Tiwanaku, as montanhas nevadas do Andes, a cidade histórica de Sucre (na foto) e muito mais. Mas o turista terá que enfrentar alguns desafios para se locomover entre estes atrativos. A maioria deles estão localizados em grandes altitudes, com um ambiente que costuma causar mal-estar nos estrangeiros, principalmente nos primeiros dias (o chá de coca pode ajudar a combater o incômodo). E, por causa de sua topografia extremamente irregular, é difícil fazer viagens por terra pela Bolívia: nesses casos, prepare-se para enfrentar estradas mal-conservadas com muitas curvas, pouca infraestrutura (quase sem postos de parada com banheiros decentes) e sobes e desces – o que pode dar muito enjoo a estômagos sensíveis.  

5. Etiópia 
Marcel Vincenti/UOL
Imagem: Marcel Vincenti/UOL

A Etiópia tem, há tempos, uma imagem associada à miséria. Isso não é totalmente mentira, mas esconde as qualidades de um país que, sem dúvida, está entre os mais fascinantes da África. Se você não estiver com o bolso cheio, prepara-se para dormir em hotéis precários e enfrentar longuíssimas jornadas de ônibus (algumas durando até dois dias) para viajar entre os principais atrativos do país, como a capital Adis Abeba, a fascinante cidade histórica de Harar e Lalibela (na foto), que guarda o principal cartão-postal etíope: o conjunto de igrejas ortodoxas talhadas a partir das montanhas locais. Mesmo que você esteja acostumado com a pobreza no Brasil, é preciso estar preparado para encarar a pobreza africana, mais dramática do que a nossa. A viagem provavelmente será um perrengue, mas colocará o visitante em contato com imagens inesquecíveis, como a igreja de São Jorge (patrimônio da Unesco).

6. Vietnã 
Diego Delso_Creative Commons
Imagem: Diego Delso_Creative Commons

O Vietnã tem se tornado cada vez mais um popular destino turístico na Ásia. O país, afinal, abriga lugares interessantíssimos, como a Baía de Ha Long (com gigantescas formações de calcário no meio do mar) e a cidade histórica de Hoi An. Mas é um choque desembarcar nas duas principais metrópoles do país: Hanói e Cidade de Ho Chi Minh (na foto). Ambos os centros urbanos têm ruas dominadas por milhões de motocicletas, em uma paisagem caótica e barulhenta que dificulta (e muito) a locomoção do turista por lá. E diversos dos nativos não são muito amigáveis: talvez seja pelas guerras que seu país teve que enfrentar durante o século 20, os vietnamitas têm fama, entre muitos turistas, de serem um tanto rudes e durões, o que, às vezes, dificulta a integração com a cultura local. Mesmo assim, é um país que merece ser visitado, especialmente se você estiver fazendo uma jornada pela região do Sudeste Asiático.

7. Israel 
Marcel Vincenti/UOL
Imagem: Marcel Vincenti/UOL

Israel é um país com cidades, sítios arqueológicos e paisagens naturais estonteantes, mas nem sempre é fácil viajar por lá. Cercado por vizinhos hostis, o território israelense vive sob uma tensão típica do Oriente Médio, com soldados armados até os dentes por todos os lados e conflitos violentos frequentes entre judeus e árabes perto de pontos de interesse turístico. Se o turista quiser conhecer os Territórios Palestinos (logo ali ao lado e onde estão atrativos como a Basílica da Natividade, na cidade de Belém), é bom se preparar para enfrentar interrogatórios na hora de voltar para Israel. “Por que você foi para lá?” e “Você tem amigos árabes?” são perguntas que soldados carrancudos podem te fazer, gerando um enorme perda de tempo na viagem. E o mesmo pode acontecer na hora de pegar o avião de volta para casa no Aeroporto Internacional Ben Gurion: não é incomum que o turista enfrente pesados interrogatórios na hora de deixar Israel –especialmente para saber se ele esteve envolvido com alguma atividade subversiva durante sua estadia por lá.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Viagem