Viagem

Vai pro Uruguai? Veja 10 coisas para fazer em Montevidéu

Fabiano Alcântara

Colaboração para o UOL

12/09/2017 04h00

Montevidéu, capital do Uruguai, é pequena, plana, ideal para caminhadas e passeios de bicicleta. O transporte público funciona bem, o povo é simpático, mas a viagem pode sair mais cara do que você imagina. Veja dez programas para fazer por lá! 

1. Conhecer a arquitetura da Cidade Velha

Séculos de histórias são contadas pelas construções de Montevidéu. Do pórtico da Cidade Velha, entrada da antiga fortaleza murada dos espanhóis, passando pelo art déco, um passeio a pé pelo Centro revela diferentes épocas e estilos arquitetônicos, como neoclássico, neogótico e eclético. Ponto obrigatório é o Café Brasilero, conhecido refúgio do escritor Eduardo Galeano (1940-2015).

2. Cantar La Cumparsita na frente do Palacio Salvo

Desenhado pelo arquiteto italiano Mario Palanti, que vivia em Buenos Aires, e inaugurado em 1928, o Palacio Salvo ergue-se entre a praça Independencia e a avenida 18 de Julio. No local, onde hoje está o prédio que foi o mais alto da América Latina e tem 84 metros, foi apresentada pela primeira vez a música La Cumparsita. 

3. Comer churrasco no estilo parrillada

Divulgação
Imagem: Divulgação

Feita com lenha e na grelha, a parrillada é um estilo próprio de churrasco. Atenção para o glossário: asado de tira é costela, vacio, a fraldinha, e lomo, o filé mignon. O El Palenque, um dos 30 melhores lugares para comer carne no mundo, segundo lista da Bloomberg, divulgada em maio, fica no Mercado del Puerto. Em qualquer restaurante ali, no entanto, o visitante vai ter uma experiência memorável. 

4. Tomar um tannat nas vinícolas

Divulgação
Imagem: Divulgação

A Bodega Bouza, que produz vinhos celebrados, recebe para visitação. Há também a Filgueiras e outras vinícolas. A uva tannat, de origem francesa, adaptou-se e tornou-se típica do Uruguai. Ela dá origem a um vinho encorpado, chamado pelos gaúchos antigos de “vinho de macho”. Bobagem, em nome da igualdade de gênero, mulheres e homens podem beber e gostar do tannat tranquilamente. 

5. Explorar as galerias da 18 de Julio

Todo o comércio do Centro gira em torno dessa avenida. Ali estão várias galerias legais com lojas de roupas, calçados, objetos de decoração, lojas de discos e livrarias. Nos últimos tempos, vêm proliferando as “head shops”, lojas que vendem produtos relacionado à maconha. Aviso: elas não vendem maconha. Para comprar legalmente, você teria de ser cidadão uruguaio, estar registrado para adquirir em farmácias ou ser integrante de um clube canábico.

6. Passear de bicicleta

Divulgação Urubike
Imagem: Divulgação Urubike

Tudo é perto em Montevidéu: bom para andar de bike. Partindo da Cidade Velha ou em direção a ela, você pode margear o rio até Punta Carretas e Pocitos, bairros onde está localizada a maioria dos hotéis.

7. Flanar no Parque Rodó

Entre brechós, livrarias e bares veganos, você pode conhecer o Museo del Cannabis, sempre com atividades como oficinas, palestras e jazz ao vivo. Não deixe de comer a empanada da La Taberna del Diablo. Você pode jogar boliche e ouvir música ao vivo no Kalima e curtir um jazz no El Mingus. Nesse último, às terças, com banda, são os dias mais concorridos. Fora do bairro, mas próximo, no Centro, há ainda a Disqueria Chaná, com o fino do indie em vinil. Para quem busca mais agito, shows de porte médio ocorrem no La Trastienda Club.

8. Comprar a ideia de que Carlos Gardel era uruguaio

Adrian Piritz
Imagem: Adrian Piritz

A tese mais aceita sobre a origem de Carlos Gardel (1890-1935), especialmente no Uruguai, é de que ele tenha nascido em Tacuarembó, no Uruguai, e não em Toulouse, na França. Um museu dedicado ao ícone do tango, inaugurado em junho, é mais uma prova da idolatria suscitada pelo cantor de Por Una Cabeza e El Día Que Me Quieras. O Villa Yeruá também contempla o museu do turfe e celebra a amizade de Gardel com o jóquei Irineo Leguisamo (1903-1985). 

9. Dançar tango na praça (ou, se você for tímido, só olhar)

No fim de semana, junto com o cheiro da lenha da parrilla que sai das casas e domina as ruas, as pessoas saem para dançar tango nas praças. Na região de Pocitos, bairro que concentra a vida noturna, bares e restaurantes recebem as duplas de dançarinos.

10. Museu do Futebol e assistir a um jogo

Há um passado de glórias imortalizado no estádio Centenario, onde funciona o Museo del Fútbol. Vale pesquisar os jogos que ocorrerão durante o período em que você estiver hospedado. Os ingressos são vendidos nas lojas RedPagos, espécie de casa lotérica.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Viagem

Topo