Viagem

Expectativa x realidade: cartões-postais que são tomados por muvucas

Marcel Vincenti

Colaboração para o UOL

07/09/2017 04h00

Em cartões-postais, anúncios turísticos e reportagens de viagem muitos os pontos turístucos aparecem impecáveis: limpinhos, iluminados e, quase sempre, vazios. A realidade, porém, nem sempre é assim. Ao visitar qualquer destino turístico famoso ao redor do mundo, é bom se preparar: há grandes chances de você se deparar com uma multidão de outros viajantes se acotovelando para conseguir a melhor foto do dia. Conheça dez lugares célebres no mundo que são tomados por muvucas intermináveis.

Cristo Redentor, Brasil

Kai Pfaffenbach/Reuters - Antonio Lacerda/EFE
Cristo Redentor Imagem: Kai Pfaffenbach/Reuters - Antonio Lacerda/EFE
É encantador ver qualquer imagem aérea do Cristo Redentor, com seus braços abertos sobre a linda paisagem do Rio de Janeiro. Mas é comum que, ao subir o morro do Corcovado, o turista se veja apertado no meio de uma multidão de turistas, que se esbarram nas escadarias e mirantes que existem no local (nem sempre é fácil chegar aos parapeitos para fazer uma foto panorâmica da cidade). Isso sem falar que é preciso tomar cuidado para não tomar, repentinamente, um tapa na cara: muita gente tem o hábito de, no meio da muvuca, abrir os braços para fazer um retrato imitando a posição do Cristo.

Mona Lisa, França

Reprodução/Leonardo da Vinci - Thomas Ricker/Creative Commons
Mona Lisa Imagem: Reprodução/Leonardo da Vinci - Thomas Ricker/Creative Commons
Muita gente entra no Museu do Louvre, em Paris, com um grande objetivo: poder contemplar a Mona Lisa, o mais famoso quadro de Leonardo da Vinci. Tal empreitada, porém, tende a se deparar com alguns obstáculos. Primeiramente porque haverá, quase sempre, uma multidão de outros turistas (e muitos deles estarão com celulares levantados sobre suas cabeças, tirando fotos da obra). E depois porque a pintura fica separada do público por um cercado: as dimensões relativamente pequenas do quadro (77 cm x 53 cm) não contribuirão para uma contemplação ideal.

Empire State, Estados Unidos

Daniel Schwen/Creative Commons - Dave Winer/Creative Commons
Empire State Imagem: Daniel Schwen/Creative Commons - Dave Winer/Creative Commons
Apesar de não ser mais o maior arranha-céu do mundo, o Empire State ainda é um dos grandes símbolos de Nova York. Sua estrutura continua se destacando na paisagem urbana da Big Apple e atraindo a atenção de quase todas as pessoas que visitam a cidade. E os turistas podem subir ao 86º andar e ao 102º andar do edifício para admirar, de lá de cima, uma das melhores visões panorâmicas da metrópole americana. O problema é que, às vezes, esses lugares se encontram apinhados de gente (como se vê na foto da direita). É bom ir com paciência para enfrentar pequenas filas antes de chegar às áreas que oferecem as melhores vistas de Nova York.

Fontana di Trevi, Itália

Anieto2k/Visual Hunt CC BY SA - Brodie319_Creative Commons
Fontani di Trevi Imagem: Anieto2k/Visual Hunt CC BY SA - Brodie319_Creative Commons
Famoso cenário do filme “La Dolce Vita”, a Fontana di Trevi é um dos simbolos mais conhecidos de Roma, na Itália. Com um encantador estilo barroco –e com uma estrutura que tem 26 metros de altura e mais de 49 metros de largura– esse monumento aparece irretocável nos cartões-postais. O desafio, aqui, é curtir tal beleza com calma. A Fontana di Trevi é cercada por estreitas vias, que ficam lotadas de turistas tentando chegar o mais perto possível das águas da fonte (multidões que geralmente não aparecem nas fotos). É um ambiente estressante, turbinado por vendedores de badulaques que passam sem parar.

Scalinata di Trinità dei Monti , Itália

Fabrizio Russo/Visual Hunt CC BY - Dennis Jarvis/Creative Commons
Scalinata di Trinita dei Monti Imagem: Fabrizio Russo/Visual Hunt CC BY - Dennis Jarvis/Creative Commons
Roma é, provavelmente, uma das cidades do mundo que mais oferecem choques entre expectativa e realidade em seus monumentos turísticos. Isso acontece também na Scalinata di Trinità dei Monti, a linda escadaria que conecta a Piazza di Spagna à Piazza Trinitá dei Monti. Muitos turistas chegam aqui pensando que será fácil se sentar em algum dos degraus da escadaria e observar a paisagem enquanto se deliciam com um gelato. Ledo engano: a Scalinata costuma ser um dos lugares mais cheios de turistas da capital italiana e é fácil tropeçar em alguém enquanto se percorre sua estrutura. A muvuca tende a diminuir um pouco fora do verão europeu.

Dubrovnik, Croácia

Gari.baldi/Creative Commons - Amanderson2/VisualHunt CC BY
Dubrovnik Imagem: Gari.baldi/Creative Commons - Amanderson2/VisualHunt CC BY
Dubrovnik é, sem dúvida, um dos destinos mais lindos da Croácia. Cercada pelo mar Adriático (como pode ser visto na foto da esquerda), a cidade abriga um centro histórico com românticas vielas, bons restaurantes e uma murada cujo topo pode ser percorrido pelos turistas –que, de lá de cima, fazem fotos fantásticas de toda a área. O problema é que, principalmente durante o verão europeu, as estreitas vias de Dubrovnik são tomadas diariamente por milhares de turistas –que, via de regra, chegam ao local a bordo de navios de cruzeiro. Nessas situações, fica difícil andar pela cidade e admirar com calma toda a sua beleza. Até entrar na igreja chega a ser um desafio.

Muralha da China, China

Jakub Halun/Creative Commons - CDShock/Creative Commons
Muralha da China Imagem: Jakub Halun/Creative Commons - CDShock/Creative Commons
Tem muita gente na China. É isso o que o turista estrangeiro irá pensar ao explorar a Grande Muralha deste país asiático. Mesmo gigantesco e aparecendo vazio em fotos como a de cima, este monumento tende a ficar abarrotado de gente em diversos dos seus trechos –principalmente aqueles que são acessados pela área de Badaling, a cerca de 70 km de Pequim, e Mutianyu, a aproximadamente 80 km da capital chinesa. É bom estar preparado para dividir o espaço relativamente estreito da muralha com multidões –o que pode deixar o passeio bem desconfortável. Huanghuacheng é um dos acessos que costumam ter menos gente.

Palácio de Buckingham, Inglaterra

Krtanaka/Creative Commons - Brad Holt/Creative Commons
Palácio de Buckingham Imagem: Krtanaka/Creative Commons - Brad Holt/Creative Commons
O imponente Palácio de Buckingham é o lar oficial da rainha Elizabeth 2ª. Muitas vezes, o local é retratado assim, como na foto da esquerda, cercado por um ambiente pacífico e belo. Mas não se engane: a área fora dos portões da residência monárquica se encontra frequentemente lotada de turistas, que se reúnem no local para ver a troca da guarda real ou simplesmente para tirar fotos do edifício. É um programa que vale a pena fazer em Londres, mas prepare-se para ser espremido por gente do mundo inteiro na hora em que os guardas da rainha estiverem passando pela área.

Taj Mahal, Índia

Suraj Rajiv/Creative Commons - Christopher John SSF/Creative Commons
Taj Mahal Imagem: Suraj Rajiv/Creative Commons - Christopher John SSF/Creative Commons
Erguido no século 17 pelo imperador Shah Jahan, o Taj Mahal é uma das construções mais lindas do mundo. O monumento está localizado na cidade de Agra, na Índia, e faz parte do imaginário das pessoas com sua magnífica estrutura de mármore e com os (teoricamente) pacíficos jardins que existem sob sua entrada. O que costuma não aparecer nas fotos são os volumosos grupos de pessoas que se amontoam na área que dá acesso ao Taj Mahal para tirar fotos de lá (como pode ser visto na imagem da direita). Trata-se do lugar que oferece o melhor ângulo para um retrato, mas, frequentemente, o turista precisa esperar bastante tempo para conseguir ser retratado com o Taj Mahal ao fundo.

Machu Picchu, Peru

CharlesJSharp/Creative Commons - Bobistraveling/Visualhunt CC BY
Machu Picchu Imagem: CharlesJSharp/Creative Commons - Bobistraveling/Visualhunt CC BY
Em sua imagem panorâmica mais clássica, Machu Picchu lembra um mundo perdido que ainda não foi encontrado pelo homem. Mas a realidade está bem longe disso: o sítio arqueológico peruano é famoso no mundo inteiro e já foi descoberto faz tempo, atraindo uma enorme quantidade de turistas todos os anos. O local é espaçoso e oferece terreno para lindas caminhadas, mas espere encontrar enormes grupos de turistas tomando conta de áreas inteiras das ruínas. Às vezes, é preciso esperar um bom tempo para que as pessoas saiam do horizonte para fazer uma boa foto das fascinantes estruturas de Machu Picchu.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Viagem

Topo