Viagem

Fofo ou assustador? No Japão, coelhos ocupam ilha que produzia arma química

Marcel Vincenti

colaboração para o UOL Viagem

26/07/2017 04h00

Localizada perto de Hiroshima, a ilha japonesa de Okunoshima foi um grande centro de produção de armas químicas entre os anos 1930 e 1940. Não é o passado bélico, porém, que atrai a maioria dos turistas ao lugar: Okunoshima é, atualmente, lar para centenas de coelhos selvagens que circulam livremente por suas ruas, praias e parques.

Assim que descem da embarcação que conecta a ilha com o território principal do Japão, os viajantes já se deparam com dezenas destes bichos transitando (ou dormindo) pela área do pequeno porto local. Muitas pessoas chegam com comida, e são cercadas rapidamente pelos animais com fome.

Tanta fofura, logicamente, contrasta com o aspecto sombrio das ruínas das fábricas de armas químicas que existem em Okunoshima. São estruturas de cimento que foram desativadas depois que o Japão perdeu a Segunda Guerra Mundial e que, hoje, serviriam muito bem como cenário de filme de terror (muitos destes locais têm acesso proibido, mas a maior parte da ilha é considerada segura).

Os turistas, entretanto, parecem não se abalar com este aspecto macabro e preferem curtir seu tempo por lá brincando com os coelhinhos ou gravando imagens surreais dos animais em debandada.

Como os coelhos chegaram lá

Não há uma teoria definitiva que explique a enorme presença de coelhos em Okunoshima. Uma das teses diz que os coelhos teriam sido trazidos à ilha para serem usados como cobaia nos testes do gás venenoso que ali era produzido. Os animais que hoje circulam pelo lugar seriam descendentes de coelhos que sobreviveram a esse período, especialmente depois que as fábricas de armamentos químicos foram desativadas. 

Outra teoria afirma que os bichinhos foram levados a Okunoshima por uma excursão escolar depois do fim da Segunda Guerra Mundial. Seja qual for a história verdadeira, os coelhos, como é típico de sua espécie, têm se reproduzido rapidamente –especialmente porque, na ilha, eles quase não têm predadores (a presença de cães e gatos, por exemplo, é proibida no local).

Okunoshima também abriga um litoral banhado por um lindo mar cristalino e o Museu do Gás Venenoso, que fala sobre o poder de destruição de armas químicas e sobre a história do desenvolvimento deste tipo de materal bélico nesta área do Japão (muitos dos armamentos feitos aqui teriam sido usados durante a invasão japonesa à China, entre os anos 1930 e 1940).

Mas são os coelhos, cada vez mais numerosos, os responsáveis por fazerem de Okunoshima um famoso destino turístico no território nipônico. Para chegar lá, é preciso pegar uma balsa perto da estação de trens de Tadanoumi, localizada a cerca de 770 km de Tóquio.  

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Viagem

Topo