Viagem

Bed and Breakfast: o que é, como funciona e por que experimentar

Getty Images
Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

26/05/2016 07h30

Alugar uma cama na casa de um habitante local, com direito a uma refeição inclusa na diária, geralmente o café da manhã: essa é definição do Bed and Breakfast (cama e café da manhã, em português). Este tipo de hospedagem, que surgiu na Irlanda, se expandiu para outros países e, com grandes eventos esportivos acontecendo no Brasil, ganhou força por aqui.

Basicamente, é um turismo de experiência, pois você não será recebido por um funcionário de hotel e sim pelo morador da casa, que poderá ser uma fonte valiosa de conhecimento sobre a cultura e atrativos do destino.

Como vantagem adicional, o B&B é também uma forma de hospedagem mais econômica. “Essa modalidade chega a ser até 30% mais barata do que a estadia em hotéis”, diz Bruno Passarelli, CEO da agência de intercâmbio online Descubra o Mundo. Em tempos de crise, vale ficar atento. Confira abaixo os detalhes e se este tipo de hospedagem é a melhor para você. 

Getty Images
Imagem: Getty Images

É para você?

Pessoas que abrem a residência para receber turistas costumam ter um comportamento expansivo, informal e desejam compartilhar um pouco de seu estilo de vida. Portanto, essa não é a melhor hospedagem para quem não quer interagir com moradores locais e precisa apenas de um espaço para largar as malas e dormir.

"O maior valor agregado é a recepção dos anfitriões, que pode fazê-lo sentir-se como se estivesse entre amigos, trocando ideias e recebendo dicas atenciosas de como curtir o passeio", diz Cristina Mizzan, administradora do site BBrasil.com, que reúne opções de hospedagem desse tipo. "No final do dia, dá até para conversar um pouco na sala e tirar uma selfie juntos."

O B&B também combina com quem não se importa em dormir em quartos pequenos e simples. O banheiro pode ficar fora do aposento, mas costuma ser exclusivo do hóspede. No caso, a hospedagem geralmente é feita em zonas residenciais e, a não ser que exista um acordo prévio com o morador, será necessário almoçar e jantar fora. Também é necessário adaptar-se ao movimento da casa, que pode ter crianças e animais de estimação, por exemplo. 

Shutterstock
Imagem: Shutterstock

Antes de reservar

Para sentir-se à vontade no local é bom pesquisar bastante antes de fechar o negócio. Por isso, os especialistas recomendam falar com o anfitrião ao menos uma vez para tirar dúvidas, ainda que sua reserva seja feita online. Alguns pontos que podem ser questionados: o que esperar de infraestrutura da acomodação? Há internet no quarto? Crianças são bem-vindas? A partir de qual idade? E pets? Visitas são permitidas? É permitido circular pelas áreas comuns?

Também é preciso checar se o horário liberado para entrada e saída estão compatíveis com a programação da sua viagem, afinal, o B&B não funciona como um hotel, onde há funcionários disponíveis o tempo todo. Aproveite para questionar se você receberá uma cópia da chave da casa.

Quando incluso na diária, o café da manhã costuma ser simples, sem muita variedade de alimentos. Por isso, quem possui qualquer tipo de restrição alimentar precisa saber, com antecedência, o que será oferecido. Do mesmo modo, vale perguntar qual é a forma de pagamento aceita e checar se há política de cancelamento, caso necessário. 

Getty Images
Imagem: Getty Images

Como encontrar um B&B

O boca a boca funciona, mas também existem sites que reúnem esses anfitriões. O Bedandbreakfast.com, por exemplo, é um banco de dados gigante, com opções de hospedagem no mundo inteiro. Já o Homestay.com é outra plataforma de reservas de quarto e eles garantem que em todas as casas haverá um anfitrião presente durante a estadia. Existem ainda sites específicos para cada país, como o BBItalia.it, Londonbb.com e o BBParis.com

No Brasil, o Rio de Janeiro é o principal alvo do B&B e o site Camaecafe.com.br reúne residências da cidade que abrem as portas para hóspedes. Ao pesquisar, fique atento às recomendações de quem já usou, pois esse é o melhor termômetro para fazer suas reservas online. "Uma medida segura é sempre escolher pagar no local", diz Júlio César Butuhy, professor do curso de Hotelaria do Centro Universitário Senac Santo Amaro.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Viagem

Topo