Viagem

Mãe de trigêmeos elogia empresa aérea ao ser auxiliada durante amamentação

Reprodução/Facebook
Passageira elogiou a experiência em uma rede social Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo

16/02/2016 12h53

Quando o assunto é amamentação durante viagens aéreas, as histórias costumam ser negativas. Uma mãe, por exemplo, chegou a ser insultada por outra passageira ao alimentar a filha no avião. No entanto, uma outra mãe norte-americana acabou se tornando viral após descrever como as comissárias de bordo da Delta Airlines foram gentis ao lidarem com ela e os filhos trigêmeos durante um voo que havia partido de Atlanta (EUA).

Após a experiência, que aconteceu na última sexta feira (12), ela publicou um post de agradecimento no Facebook. "Ontem, duas comissárias de bordo do meu voo para Dallas, Kaitlin K e Loretta, me deixaram sentar em um assento vazio da primeira classe para ter mais espaço e privacidade enquanto bombeava leite (dos próprios seios) durante o voo", contou a passageira Jenna Evans na página da empresa. "Elas me ofereceram lanches e providenciaram TONELADAS de água durante a minha sessão de bombeamento."

Além disso, em seu voo de volta, Jenna ressaltou que uma outra funcionária da empresa, chamada Talesa, também ofereceu um assento de primeira classe vazio para que a mãe dos trigêmeos pudesse ter a mesma experiência confortável.

"Sou incrivelmente grata, pois essas pessoas tornaram o meu papel muito mais fácil. Fico impressionada com importância que a empresa dá para a amamentação e bombeamento", escreveu ela.

Seu post foi compartilhado por mais de três mil pessoas, e curtido por outras 47 mil, atraindo muitos comentários positivos. Na segunda-feira pela manhã, a Delta respondeu solicitando que ela encaminhasse os dados de seu voo.

"Estamos muito felizes em saber que Kaitlin e Loretta foram capazes de estar lá por você quando necessário", escreveram os representantes da Delta no Facebook. "Nós gostaríamos de reconhecê-las e repassar as suas gentis palavras, que nos deixaram muito emocionados e felizes".

Não são apenas elogios
A história de Evans entra em contraste com algumas manchetes anteriores que envolvem a Delta e amamentação. Em dezembro do ano passado, por exemplo, uma outra passageira, chamada Vanessa Kasten Urango, publicou uma carta aberta no Facebook dizendo que a companhia aérea se recusou a deixá-la transportar seu leite materno.

Segundo ela, ao serem contatados antes da viagem, a orientação dada era a de que Vanessa poderia embalar o leite materno com gelo seco dentro de um refrigerador. Contudo, ao chegar ao Aeroporto de Newark, em Nova York, ela foi informada de que não seria permitido levar o gelo seco para o avião. Mais tarde, a Delta mais tarde pediu desculpas e ofereceu US$ 150 como compensação.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Viagem

Topo