Viagem

Envergonhada durante amamentação, mãe cria campanha contra empresa aérea

Getty Images
Mulher voava com a filha nos EUA Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

Uma norte-americana deu início a uma campanha pelas redes sociais contra a United Airlines, após supostamente ser repreendida enquanto amamentava seu bebê em um voo da companhia aérea no mês passado.

Juliet Thomson contou ao site da FoxNews que estava em uma viagem entre Salt Lake City e Los Angeles no dia 29 de janeiro, quando começou a amamentar a filha, Charlie. Uma mulher sentada perto dela queixou-se com um dos comissários do voo.

De acordo com Thomson, esta pessoa teria dito: "Ela está alimentando sua filha neste voo e isso é inapropriado. Você precisa dizer para ela colocar alguma roupa. Eu nunca vou voar pela United novamente."

Ao questionar o funcionário da companhia aérea sobre qual seria o problema, ele não respondeu. Momentos depois, Thomson contou que uma outra comissária de bordo se aproximou e disse: "Eu sei que a amamentação é algo natural e normal de se fazer, mas esta outra passageira realmente está ofendida por isso. Você se importaria em se cobrir? Ao que parece, sua criança está dormindo."

Indignação
Thomson alega que já tinha terminado de amamentar e que não estava mostrando qualquer pedaço de pele abaixo de sua clavícula. Também afirmou ter ficado nervosa com o incidente, chamando-o de "embaraçoso e humilhante", pois uma boa parte dos passageiros começou a prestar atenção na história.

Segundo ela, houve uma tentativa de explicar a situação, com ela ressaltando que seu parceiro não estava sentado perto para ajudar, mas a aeromoça não voltou atrás. "Sinto muito por isso, mas a sua filha está dormindo e esta mulher tem uma sensibilidade sobre a amamentação. Por isso, é melhor você apenas se cobrir."

Escândalo
Infelizmente, como ressaltou Thomson, o incidente não terminou aí. A pessoa que originalmente reclamou, passou a gritar com a comissária de bordo. "Deixei claro que alguém precisa dizer para essa menina se cobrir! Eu nunca mais vou voar com a United novamente. É repugnante e nojento que você deixe algo assim continuar."

Mais tarde, e longe da mulher que reclamou, os funcionários da United ressaltaram para Thomson que ela não fez nada de errado, pois não existe lei alguma sobre amamentação em público. "Eu chorei um pouco dizendo como foi humilhante toda a situação e que os seus administradores são completamente ignorantes sobre as leis básicas", ressaltou.

Ela disse ainda que está tomando medidas legais contra a United Airlines e que deu início a uma campanha em mídias sociais como Facebook e Twitter com a hashtag #momsdontflyunited (#mãesnãovoempelaunited).

"Isso nunca mais pode acontecer", disse Thomson, antes de completar. "Qualquer mãe não pode ter vergonha de fazer publicamente algo que é completamente certo".

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Topo