Viagem

Barrado no parque: de fura-fila a tatoo, veja o que pode expulsar visitante

Do UOL, em São Paulo

05/02/2016 15h57

Atrações bacanas, cheias de adrenalina e em um ambiente seguro. Fatores como esses fazem os parques temáticos, como os da Disney, serem viagens do sonho de muitas crianças - e adultos também. No entanto, cuidado com a empolgação, pois é muito mais fácil do que você imagina ser colocado para fora de um parque temático.

Obviamente que entrar com qualquer tipo de armas, bebidas alcoólicas ou usar uma camiseta mal-educada vão te levar rapidinho para o lado de fora do "reino encantado", mas existem outros comportamentos mais sutis que também podem fazer isso.

O UOL conferiu os sites de alguns parques nacionais e internacionais e mostra algumas atitudes que te levam direto para o olho da rua.

Robert Perry/Efe
Imagem: Robert Perry/Efe

Roupas exóticas
Parece legal ir vestido com aquela sua roupa favorita, não? Nem sempre, pois a administração dos parques pode pensar diferente. Um morador de Norfolk (EUA), por exemplo, teve sua entrada negada pelo Busch Gardens em outubro de 2015. O motivo? Ele decidiu visitar o parque usando seu tradicional kilt escocês. Funcionários disseram para Hex Nottingham - que possui ascendência britânica, irlandesa e escocesa - que seus trajes violavam as políticas do parque.

Não satisfeito com a explicação, ele emitiu uma queixa formal e chamou o incidente de um "terrível mancha na honra da minha cultura, bem como no meu orgulho étnico." No Brasil, o Hopi Hari proíbe seus visitantes de andarem sem camisa ou com camisetas que façam apologia a drogas, pornografia, racismo ou qualquer tipo de discriminação.

Reprodução/YouTube
Imagem: Reprodução/YouTube

Andar fantasiado
Aqui, um caso parecido. De acordo com as políticas dos parques da Disney, qualquer adulto que esteja vestindo roupas muito semelhantes a um personagem registrado por eles pode ser convidado a se retirar, justamente porque pode ser confundido com um funcionário do parque. Em junho de 2012, April Spielman, de 15 anos, não conseguiu entrar no Animal Kingdom por estar vestida como a personagem Sininho, da história de Peter Pan. O único momento em que essa regra costuma ser ignorada é durante a comemoração do Halloween.

Getty images
Imagem: Getty images

Levar a geladeirinha
Sim. Entendemos que está calor, sua família é grande e você já gastou uma fortuna com os ingressos para estar ali. Pena que a administração dos parques não costuma pensar o mesmo. Por isso, nada de levar o seu cooler cheio de bebida e/ou comida para o passeio. Eles são proibidos na Universal, Sea World e Disney. A Universal também proíbe coolers com paredes de isopor, assim como o Hopi Hari, que veta isopor, cooler ou qualquer outro tipo de utensílio para armazenagem, inclusive garrafas térmicas, cantis e similares.

Leonardo Soares/UOL
Imagem: Leonardo Soares/UOL

Ser sovina
Não é nenhuma surpresa que a maioria dos parques tenha restrições sobre alimentos de fora e bebidas, até porque esta é uma forma de comércio dentro de suas instalações. No entanto, de acordo com o site do Beto Carrero World, a questão dos alimentos parte do princípio de que não é possível saber a origem do preparo e, por recomendação e fiscalização da vigilância sanitária, existem restrições no acesso deles. Com isso, se você quiser realmente comer bem, esteja preparado para gastar dinheiro em alguns dos vários restaurantes locais. Já o SeaWorld, por exemplo, não permite o acesso de garrafas de vidro, latas e canudos em suas dependências, pensando na segurança dos animais e dos convidados. Aliás, tudo o que entra ali está sujeito a inspeção. 

Funsterz
Imagem: Funsterz

Ai que vergonha!
Se usar uma camiseta de mau gosto pode ser o suficiente para tirá-lo de muitos parques de diversões, imagina levar uma imagem que não dá para tirar? Se você possui uma tatuagem que pode ser considerada ofensiva, melhor ter certeza de que a sua roupa vai cobrir a "obra de arte", pois dá para ser expulso de qualquer um dos parques. No caso da Disney, eles proíbem "tatuagens obscenas", contudo, sem definir parâmetros. Como sabemos que ir até lá não é um passeio barato, melhor prevenir.

Joe Burbank/Orlando Sentinel/New York Times
Imagem: Joe Burbank/Orlando Sentinel/New York Times

Dar uma de furão
Saiba que um mau comportamento pode arruinar o seu grande dia dentro do parque. No Six Flags, vários atitudes são proibidas - incluindo furar fila. Até por saber que elas são super comuns nesse tipo de programa, não há desculpa para furar a vez das outras pessoas. Então, seja paciente - ou aguente uma expulsão imediata.

Reprodução/cidadedesaopaulo
Imagem: Reprodução/cidadedesaopaulo

Alimentar os animais
Passeios cujos astros são animais parecem oferecer um pouco da natureza selvagem em meio a uma toneladas de atrações artificiais. No entanto, a regra é clara: para a sua segurança e a dos próprios animais, não tente alimentá-los com um pedaço de seu lanche. No exterior, parques como o Animal Kingdom e SeaWorld oferecem aos visitantes a oportunidade alimentar alguns bichos sob supervisão de atendimento. Em São Paulo (SP), o Zoo Safari oferece o mesmo tipo de serviço. Na bilheteria do parque é possível comprar uma ração que já vem com a indicação de quais tipos de animais ela alimenta. Então, nada de amendoim para eles. Uma mulher foi recentemente banida do Jardim Zoológico de Memphis depois de invadir a jaula do leão para tentar alimentar os animais com biscoitos.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Viagem

Topo