Topo

Viagem

Quer turistar na viagem a trabalho? Pedir dicas a moradores locais é opção

Getty Images
Mesmo que só tenha tempo livre à noite, você pode aproveitar o destino Imagem: Getty Images

Marina Oliveira e Amanda Sandoval

Do UOL, em São Paulo

23/06/2015 07h30

Uma viagem de negócios não precisa se resumir a uma sequência de reuniões, com pequenos intervalos em que você pode descansar em hotéis confortáveis, bancados pela empresa. Se há um ou dois dias livres, é possível programar-se para aproveitar muitas das atrações do destino. Às vezes, até com algumas poucas horas de folga é possível garantir uma boa dose de diversão. Na sequência, veja algumas estratégias que poderão ajudá-lo a unir entretenimento e trabalho.

Descubra, com antecedência, o roteiro

Getty Images
Imagem: Getty Images
Ao verificar o cronograma da sua viagem com calma, você terá mais tempo para programar todas as atividades no destino, incluindo as de lazer. “Com isso em mãos, a pessoa vai verificar o quanto de tempo livre terá para explorar o destino e quais programas coincidem com a disponibilidade. Esse tempo pode ser de um dia, de meio dia ou mesmo de algumas horas. O fato é que ele sempre pode ser bem aproveitado”, explica Carlos Roberto Constantinov Junior, diretor da agência Crie Sua Viagem.

Pense no que é mais importante para você

Getty Images
Imagem: Getty Images
Com pouco tempo livre, você terá que aprimorar a sua habilidade de escolha, sabendo que decidir visitar uma atração implica em deixar de conhecer outra. E, nessas horas, faz toda a diferença conhecer o seu perfil de turista. Você é daqueles que prefere ver de perto os cartões-postais da cidade ou acha mais interessante misturar-se aos locais para viver uma nova experiência cultural? Os turistas do primeiro grupo não passariam pelo Rio de Janeiro sem subir no Pão de Açúcar, já os do segundo abririam mão desse passeio por uma tarde na Feira de São Cristóvão, por exemplo.

Contrate uma empresa local

Getty Images
Imagem: Getty Images
Para um city tour rápido e eficiente, vale contratar uma empresa turística no destino. “As grandes cidades têm os chamados ônibus ‘hop-on hop-off’, em que o turista pode descer várias vezes do veículo para conhecer as atrações”, diz Renata Schver, diretora da Venice Turismo. Por outro lado, se você gosta de visitas guiadas, mas não abre mão da sua liberdade, também pode investir em tours alternativos que, geralmente, param em locais que passariam despercebidos ao turista tradicional. A internet é uma ferramenta muito boa para pesquisar esse tipo de passeio.

Peça dicas aos moradores

Getty Images
Imagem: Getty Images
Pode ser o recepcionista do hotel, o concierge ou até uma pessoa com quem está fazendo negócios na cidade. Todos eles podem fornecer dicas valiosas de passeios e ainda apontar locais para comer, comprar ou cair na noite. “Mas é preciso saber filtrar as informações. Todo morador tem um local de preferência, mas nem sempre esses lugares são viáveis para um turista com pouco tempo livre. Por exemplo, numa cidade litorânea, ele pode indicar uma praia isolada, que fica do outro lado da cidade, e que vai fazê-lo perder muito tempo no deslocamento. E aí, provavelmente não valerá a pena”, diz Constantinov Junior.

Tente mesclar trabalho com lazer

Getty Images
Imagem: Getty Images
Com pouco tempo fora do escritório, vale a pena tentar fazer dos eventos de negócios uma experiência cultural no destino. Assim, o horário de almoço pode ser desfrutado em um restaurante com comida típica. Da mesma forma, o happy hour pode acontecer em um bar famoso da cidade.

Acerte na mala

Getty Images
Imagem: Getty Images
Já que haverá tempo livre para turistar, não se esqueça de incluir na bagagem itens confortáveis, para passear. Além das roupas sociais, leve bermuda, short, legging, calça jeans,tênis e chinelo --considerando o clima local, é claro. Se quiser espaço na mala para compras, diminua a quantidade de pertences. Afinal, uma viagem a trabalho, muitas vezes, pede saídas rápidas do aeroporto. E você terá dificuldade de locomover-se com agilidade se estiver carregando mais de uma mala.

Escolha bem a localização do hotel 

Getty Images
Imagem: Getty Images

“Se o objetivo da viagem é trabalhar, o hotel deve ser mais próximo do ambiente profissional”, diz Luciana Fioroni, gerente de vendas da CVC. Afinal, é lá que você passará a maior parte do seu tempo. Porém, se for possível hospedar-se em uma área que é perto do centro de negócios e também oferece atrações turísticas, melhor ainda. “Assim, se a reunião acabar às quatro da tarde, dá para conhecer algum lugar próximo e até ir a um museu, já que muitos fecham à noite”, diz Renata.

Se possível, aposte nos destinos que oferecem mais opções

Gety Images
Imagem: Gety Images

Muitos roteiros permitem fechar bons negócios e, ainda assim, divertir-se bastante. No exterior, Orlando, na Flórida, é um local onde muitas empresas realizam eventos. No tempo livre, os profissionais podem se acabar nos parques de diversão e outlets da região. Já Milão enche de arquitetos, designers e empresários durante o Salão do Móvel. E, uma vez no destino, os visitantes podem explorar o que a Itália oferece de melhor. “Na cidade de Guangzhou, na China, acontece uma grande feira de importação e exportação e os turistas podem aproveitar não só o país asiático, como também as cidades onde fazem conexão de voo, tais como Dubai e Johannesburgo”, diz Carlos Roberto Constantinov Junior.

No Brasil, Brasília é muito visitada por empresários. E os amantes da natureza que passarão por lá podem planejar escapadas para o Parque Ecológico Ermida Dom Bosco, por exemplo. São Paulo, por outro lado, oferece ao visitante a oportunidade de conhecer o Mercado Municipal, o bairro da Liberdade, a Vila Madalena e o Masp (Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand). Assim como esses, tantos outros destinos oferecem boas opções de lazer. Para aproveitá-las, basta pesquisar e programar em detalhes a sua viagem.

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Viagem