menu
Topo

Viagem


Aniversário do Rio é em 20 de janeiro ou 1º de março? Entenda

Getty Images
Foi entre os Morros Cara de Cão e Pão de Açúcar (foto) que Estácio de Sá fundou a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro Imagem: Getty Images

Adriana Terra

Do UOL, em São Paulo

2015-01-20T06:00:00

20/01/2015 06h00

Se perguntar para qualquer carioca quando é o aniversário da cidade do Rio de Janeiro, que em 2015 completa 450 anos, é possível ouvir duas respostas diferentes: 20 de janeiro e 1º de março. Mas, afinal, qual das datas é a correta?

Até 1956, celebrava-se a fundação da capital fluminense em 20 de janeiro, esta terça-feira, aniversário do padroeiro São Sebastião e feriado popular na cidade. De lá para cá, a outra data passou a ser considerada a oficial.

A mudança tem razão histórica e política. Enquanto o 1º de março faz referência ao momento em que Estácio de Sá chegou à Baía de Guanabara, em 1565, o dia em janeiro lembra a Batalha de Uruçumirim, dois anos depois, quando o domínio português no Rio foi consolidado. Para isso, no entanto, centenas de tamoios (entre eles o líder Aimberê) e cinco franceses foram mortos na região que hoje abriga o Outeiro da Glória. A guerra tirou ainda a vida do próprio Estácio, ferido por uma flecha.

"O 20 de janeiro também é um marco importante do ponto de visto político. Agora, é uma data bélica. No século 19 ela foi celebrada. A alteração reflete uma mudança de pensamento: substitui-se um feito militar por um momento de construção da civilização. Há claramente uma inflexão na forma de pensar a fundação da cidade, uma nova leitura do passado", aponta Paulo Knauss, diretor do Arquivo Público do Rio. 

$escape.getHash()uolbr_voceMandaAlbumEmbed('11284364','Aniversário do Rio', '', '{$escape.getQuote()link$escape.getQuote():$escape.getQuote()http://viagem.uol.com.br/voce-manda/2015/01/19/aniversario-do-rio.htm$escape.getQuote(),$escape.getQuote()classes$escape.getQuote():$escape.getQuote()$escape.getQuote()}' )

Para o historiador, todo o período que vai da chegada de Estácio até a criação de um núcleo urbano, com a transferência da sede do Morro Cara de Cão (onde o português aportou) para o Morro do Castelo, constitui a formação do Rio. "A história da fundação da cidade certamente não se faz em um dia, trata-se de um processo. Essa cronologia caracteriza um processo", diz Knauss.

Já o "janeiro" do nome da capital se refere ao primeiro contato dos portugueses, em 1504, com a Baía de Guanabara, a qual pensaram se tratar da foz de um rio.

Hoje, o dia 20 oficialmente é só de São Sebastião, padroeiro do Rio e de muitas outras cidades brasileiras (a paulista Ribeirão Preto, por exemplo). 

A efeméride é comemorada tradicionalmente na paróquia que leva o nome do santo, no bairro da Tijuca. Por conta do 450º aniversário, neste ano a estátua do padroeiro -- que teria sido trazida ao Brasil por Estácio de Sá e acaba de passar por restauro -- sairá da igreja em procissão até a Catedral Metropolitana, no centro.

Fora da agenda religiosa, o feriado terá shows do sexteto Terra Brasilis na base do Cristo Redentor, às 12h e às 18h30.

Passeio histórico

Para quem ficou curioso em relação aos lugares que marcam a memória do Rio, o Morro Cara de Cão fica entre o Pão de Açúcar e o Morro da Urca, e nele está a Fortaleza de São João, muralha erguida no século 16 que atrai turistas não só pelo valor histórico, mas pela vista que proporciona da baía. Há ainda um museu no local. As visitas são feitas acompanhadas de guias, mediante agendamento (21 2543-3323). 

Mais Viagem