Topo

Viagem

Em Berlim, restaurante atrai turistas com resgate da culinária da Alemanha Oriental

Julia Vasconcellos

Do UOL, em Berlim

17/04/2012 07h00

As portas do pequeno restaurante situado às margens do Rio Spree, perto de Alexanderplatz, no centro de Berlim, funcionam como uma máquina do tempo. Ao adentrar o edifício, o visitante parece ter sido transportado para outra época, quando a principal cidade da Alemanha era dividida por um muro, e produtos ocidentais como a Coca-Cola eram banidos do lado oriental.

O Restaurante da República Democrática Alemã (RDA) Domklause, como foi batizado, funciona desde outubro de 2010 no mesmo local ocupado por um dos principais estabelecimentos do ramo gastronômico de Berlim Oriental, entre 1979 e meados da década de 90. Em sua época de ouro, o espaço era ponto de encontro de líderes comunistas e visitantes vindos do Ocidente.

Veja como é o Domklause, em Berlim
Veja Álbum de fotos

Hoje, no entanto, a maioria dos clientes é formada por turistas, curiosos e alemães que cresceram na parte oriental do país e sentem saudade da comida típica do leste. Ali, é possível saborear pratos à sombra do mural “Em Louvor ao Comunismo” (1969), de Ronald Paris.

“Quem cresceu na RDA sente falta de alguns aspectos da culinária típica e de alguns produtos e, aqui, podem voltar ao passado por meio do estômago”, disse Kim Stender, gerente do restaurante. Fácil fazer a conexão com o filme "Adeus, Lênin" (2003), em cena na qual o garoto organiza a despensa da casa apenas com produtos comunistas para que sua mãe, que esteve em coma durante a queda do Muro de Berlim, siga acreditando que nada mudou.

A gerente do Domklause explica que a comida servida ali é tradicional da Alemanha Oriental e conta com os ingredientes básicos utilizados na época. “Na RDA, as pessoas não tinham muito acesso a tipos diferentes de carne e produtos alimentícios variados por causa da péssima situação econômica, então eles faziam o melhor que podiam com o que tinham”, conta Stender.

Quem cresceu na RDA sente falta de alguns aspectos da culinária típica e de alguns produtos e, aqui, podem voltar ao passado por meio do estômago

Kim Stender, gerente do Domklause

Essa criatividade oriental pode ser observada na maneira com a qual cozinheiros do outro lado do muro adaptavam receitas já eternizadas do país para atender às necessidades do leste. Um exemplo é o Jägerschnitzel que, ao contrário do tradicional schnitzel ocidental -- uma milanesa de carne de porco acompanhada de um molho de cogumelos --, na RDA consistia em uma salsicha fatiada com farelo de pão, servida com molho de tomate.

Os nomes dos pratos também eram diferentes. O hot dog era conhecido como “ketwurst” e o hambúrguer era chamado de “griletta”. Ambas denominações foram criadas pelo Centro Gastronômico de Racionamento e Pesquisa da RDA, que evitava o uso de anglicismos.

Para compensar a falta de alguns produtos no leste, versões genéricas de marcas famosas eram criadas e produzidas na RDA. A famosa pasta de chocolate Nutella ganhou uma “versão comunista” chamada Nudossi. “A diferença entre as duas é que a Nudossi tem um sabor mais encorpado por conta de uma maior quantidade de nozes”, explicou Stender.

O restaurante fica ao lado do museu da RDA, onde é possível conhecer um pouco mais sobre a vida no lado oriental do Muro de Berlim. Segundo Stender, a aproximação entre os dois lugares é estratégica: “Queríamos combinar a exposição com o restaurante para que, depois de conhecerem o museu, os visitantes pudessem também sentir o gosto da RDA”.
 


DDR-Restaurant Domklause (Restaurante da República Democrática Alemã Domklause)
Endereço:
Karl-Liebknecht-Str., 1. Berlim. Tel.: +49 (0) 30 847 123 737. Aberto diariamente, das 10h até o último cliente.
www.ddr-restaurant.de

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Viagem