Arte, gastronomia e compras em 36 horas em uma Nova York revitalizada

AMY VIRSHUP

New York Times Syndicate

Renovação urbana. A frase conjura megaprojetos bancados pela prefeitura e pelo governo nos anos 70, mas é algo orgânico a Nova York, onde alguém está sempre desembarcando do ônibus, trem ou avião. No ano passado, a prefeitura abriu um novo parque, o Lincoln Center comemorou seu 50º aniversário com uma grande reforma que inclui uma nova fonte com 353 bocais feitos sob medida, controlados por computador, e o centro do que é bacana mudou inúmeras vezes (mas provavelmente ainda fica em alguma parte do Brooklyn).

  • Josh Haner/The New York Times

    Em 2009, o Lincoln Center comemorou seu 50º aniversário com uma grande reforma que inclui uma nova fonte com 353 bocais feitos sob medida, controlados por computador

Sexta-feira

 

17h - Pegue seus ingressos

 

Como parte da comemoração de seu aniversário, o Lincoln Center transformou o carrancudo Harmony Atrium a sudeste do campus principal (Broadway, entre as ruas 62 e 63) em um centro para os visitantes e uma bilheteria batizada de David Rubenstein (é o que você recebe quando doa US$ 10 milhões). Juntamente com a reforma, o átrio recebeu a bilheteria que vende ingressos para o mesmo dia com desconto de 25% a 50% (com um limite de dois ingressos por pessoa) para apresentações no Lincoln Center e todas suas organizações –incluindo a Metropolitan Opera, a Filarmônica de Nova York e a City Opera (new.lincolncenter.org/live/). Confira a programação e pegue um par de ingressos.

 

18h - Prato pré-teatro

 

O império culinário de Daniel Boulud em Nova York agora se estende do Bowery até o Upper East Side. Em frente ao Lincoln Center, seu Bar Boulud (1900 Broadway, perto da Rua 64; 212-595-0303; www.danielnyc.com) é o lugar perfeito para uma refeição pré-apresentação. Terrines, carnes fatiadas e queijos (os últimos divididos em categorias como Florescentes, Fedidos e Velhos & Duros) são o coração do cardápio, mas também há a opção três pratos por US$ 42, que inclui opções clássicas como a salada niçoise, peito de frango assado e sorvete caseiro ou sorbet. Para a experiência completa, sente-se ao bar de petiscos onde a vista inclui fromage de tête "Gilles Verot" (uma gelatina de pedaços de miolo, para aqueles que não falam francês). Depois, peça um drinque no bar do lobby do Alice Tully Hall antes da abertura da cortina.

 

 

Sábado

 

10h - Café da manhã retrô

 

O Standard Grill fica enfiado sob o High Line na base do Standard Hotel (848 Washington Street com a Rua 13 Oeste; 212-645-4100; thestandardgrill.com). Apesar do exterior "Brutalismo Encontra Miami Beach" do hotel, o salão de jantar é puro retrô: um teto abobadado de ladrilhos, o piso feito de moedas, banquetas em couro vermelho. O cardápio também é agradavelmente retrô: experimente os donuts quentes com canela e açúcar feitos na hora –US$ 3 por US$ 6– ou talvez a ultradoce rabanada com banana e calda de rum, US$ 10.

 

11h - Caminhada ao longo dos trilhos

 

Descendo a quadra até a esquina das ruas Gansevoort e Washington se encontram as escadas mais ao sul para o High Line, o parque linear altamente popular criado naquela que já foi uma linha férrea de carga abandonada. Após um esforço de uma década, o primeiro trecho do parque (que vai da Gansevoort até a Rua 20) foi inaugurado em junho; nos fins de semana de verão, até 20 mil pessoas o visitam por dia. O inverno proporciona uma caminhada mais tranquila, de grande beleza, com árvores sem folhas e a relva balançando ao vento do Rio Hudson. Os horários de inverno são das 7h às 20h; thehighline.org.

  • Josh Haner/The New York Times

    Antes conhecido como a cidade das igrejas, o Brooklyn atualmente poderia ser chamado de distrito das butiques

13h - Butiques do Brooklyn

 

Antes conhecido como a cidade das igrejas, o Brooklyn atualmente poderia ser chamado de distrito das butiques.

 

Para uma amostra da estética local, cheque a Court Street no bairro de Cobble Hill, (tome os trens 2/3 ou 4/5 até Borough Hall e depois caminhe na direção sul, ao longo da Court até a Atlantic). Na Serene Rose (200 Court; 718-522-5927; serenerose.com), um par de brincos de crochê feitos a mão com fios banhados a ouro (US$140) seria o toque perfeito para um vestido de festa. A Tiny Fork & Pencil (221a Court; 718-488-8855; forkandpencil.com) vende utensílios domésticos, brinquedos e antiguidades. A renda é destinada a caridades locais.

 

A Papel New York (225 Court; 718-422-0255; papelnewyork.com) vende papéis de qualidade, incluindo folhas de papel de presente (US$ 2,50 a US$ 3 por folha) que darão classe até mesmo aos menores presentes. Precisa se reabastecer? O Stumptown Coffee no Cafe Pedlar (210 Court; 718-855-7129; cafepedlar.com) é torrado nas proximidades, em Red Hook, e você pode pegar um pacote de grãos Hair Bender (US$ 12 por 340 gramas) juntamente com seu espresso (US$ 2,50). Ou pare no Chocolate Room (269 Court; 718-246-2600; thechocolateroombrooklyn.com), que vende pipoca de caramelo e chocolate caseiro (US$ 4,50 por um pacote de 113 gramas).

 

20h - Peixes e frutos do mar no parque

 

Luzidio e altamente polido, o Marea (240 Central Park South; 212-582-5100; marea-nyc.com), no velho espaço do San Domenico ao leste do Columbus Circle, é como uma versão de cinema de Nova York, exceto por realmente haver um magnata caído fazendo propostas para novos investidores na mesa ao lado da sua. O cardápio é dedicado a interpretação italiana de peixes. Divida um pedido de ricci (ouriço-do-mar, toucinho e sal marinho sobre torrada, tipo bruschetta, US$ 15), e então escolha entre o crudo (peixe cru), ostras e antipasti. Para o prato principal, você pode pedir um peixe inteiro assado ou frito, então escolha seu molho (o de limão é bom com o linguado) e acompanhamento. A opção de quatro pratos a preço fixo custa US$ 89.

 

22h - Coquetéis e códigos

 

Se você conversar sobre coquetéis atualmente em Nova York, é preciso saber duas palavras: "speakeasy" (bar ilegal) e "artisanal" (habilidoso). Por trás de entradas escondidas que exigem códigos secretos, os barmen estão preparando drinques com nomes como Corpse Reviver No. 2 ("ressuscitador de cadáver No.2, gim, Cointreau, Lillet Blanc, limão e absinto) que parecem algo à moda antiga. Esse drinque em particular (US$ 13) é preparado pelos barmen do Little Branch (20 7ª Avenida Sul com Leroy Street; 212-929-4360). Aceita apenas dinheiro.

 

 

Domingo

 

10h - Pratos caseiros

 

O nome é um paradoxo e a cozinha provavelmente é menor que a sua, mas o Little Giant (85 Orchard Street, na esquina da Broome; 212-226-5047; littlegiantnyc.com) oferece pratos caseiros ligeiramente refinados a ponto das pessoas se amontoarem na calçada do valorizado Lower East Side. O Little Giant serve um "Trucker's Breakfast" (café da manhã de caminhoneiro, US$ 16), mas o bacon servido nele será fatiado a mão e contará com champignon.

 

11h - Caminhada pela cena de arte

 

A âncora da cena de arte do Lower East Side é o Novo Museu de Arte Contemporânea (235 Bowery com Prince Street; 212-219-1222; newmuseum.org), projetado pela firma japonesa Sanaa para parecer uma série de caixas desalinhadas, que foi inaugurado sob elogios em 2007. Se o Chelsea continua sendo o local badalado para grandes galerias – velhos espaços industriais capazes de comportar os enormes Serras – o Lower East Side oferece um número crescente de pontos, onde artistas e donos de galerias com grandes ambições trabalham em menor escala por ora. A Rachel Uffner Gallery na 47 Orchard Street (212-274-0064; racheluffnergallery.com) tem obtido boas críticas por seu rol de artistas, e a Bridge Gallery na 98 Orchard Street (212-674-6320; bridgegalleryny.com) é especializada em arquitetura e design.

  • Josh Haner/The New York Times

    O salão de jantar do Standard Grill é puro retrô: um teto abobadado de ladrilhos, o piso feito de moedas, banquetas em couro vermelho

13h - Barato de açúcar

 

Um rato gigante de gummi. Quão nova-iorquino é isso? É possível levar um para casa, juntamente com pixie sticks gigantes (US$ 0,99), dentes de vampiro comestíveis, Mallos Cup e clássicos como Hot Tamales e Mike and Ikes no Economy Candy (108 Rivington Street; 212-254-1531; economycandy.com). Repleto de todos tipos de doce já fabricados, mais balas por quilo, nozes e frutas secas, ele é como um playground para os obcecados por açúcar.

 

 

O básico

 

Nova York é servida por três aeroportos locais: Kennedy, La Guardia e Newark Liberty. Do JFK ao centro, o preço do táxi é fixo em US$ 45, mais taxas e gorjeta. Também é possível tomar o AirTrain até Jamaica (US$ 5) e então tomar o trem de Long Island ou o metrô de Nova York para chegar a Manhattan. De La Guardia, o táxi custará de US$ 21 a US$ 30, mais taxas e gorjeta.

 

De Newark, o táxi custa US$ 50 a US$ 50 fixo, mais taxas e gorjeta. Outra alternativa é o AirTrain, ligando o aeroporto de Newark à Estação Pennsylvania via New Jersey Transit (US$ 15). Também há ônibus, van de translado e serviços de limusine para todos os três aeroportos.

 

O Ink48 é o mais recente hotel de Nova York aberto pela Kimpton, conhecida por sua coleção de hotéis-butique. A localização, na 11ª Avenida com a Rua 48, é conveniente apenas se você estiver planejando comprar um carro (lojas de automóveis ocupam este trecho da 11ª Avenida). Mas os quartos são espaçosos e bem projetados (pelo Rockwell Group). Em dezembro, o hotel ainda estava em obras, com o restaurante e bar ainda não abertos e a construção em andamento. Um quarto king deluxe com vistas para o norte e leste custava US$ 207; as diárias aumentarão assim que o hotel estiver em pleno funcionamento (653 11ª Avenida; 877-843-8869; ink48.com).

 

O grupo britânico Firmdale (Number 16, entre outros, em Londres) abriu seu primeiro hotel em Nova York, o Crosby Street Hotel, com 86 quartos, no bairro SoHo (79 Crosby Street; 888-559-5508; thecrosbystreethotel.com). Um quarto superior com 31 metros quadrados sai por US$ 495. A poucos passos do Lincoln Center, o recém reformado Empire Hotel (44 Rua 63 Oeste; 212-265-7400; empirehotelnyc.com) não poderia ser mais conveniente para os fãs de ópera e balé. Diárias dos quartos queen padrão custam US$ 229, com Wi-Fi e bases para iPod gratuitos.

 

Tradução: George El Khouri Andolfato

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos