Viagem

Trancoso: a aldeia de pescadores que foi transformada em destino badalado no Brasil

ALEXEI BARRIONUEVO

New York Times Syndicate

05/04/2010 06h35

O sol está escaldante no Tostex Praia, na Bahia, e os festeiros bronzeados e sarados descansavam em camas tamanho queen rústicas, afugentando os mosquitos implacáveis em um dia fora isso preguiçoso. Um DJ desmazelado de São Paulo, que atendia pelo nome de Julião, balançava em sua cabine de teto de palha ao som de um remix funky de "The Man With the Red Face" de Laurent Garnier, uma canção impregnada de saxofone.

  • Lalo De Almeida/The New York Times

    Um dos pontos mais tranquilos de Trancoso é a praia do Espelho, a cerca de meia hora de carro do distrito


Os modelos e atores esculturais da faixa dos 20 e 30 anos misturados aos profissionais de elite de São Paulo bebiam martinis coloridos e se bronzeavam em almofadas com estampa de leopardo, enquanto as gentis brisas baianas acariciavam suas peles. Poucos se incomodavam com o fluxo constante de aviões privados e helicópteros passando sobre as águas.

Era outro dia perfeito em Trancoso, uma ex-aldeia de pescadores transformada em um refúgio super elegante para os brasileiros e o jet set chique dispostos a pagar preços de Saint-Tropez por acomodações rústicas em uma praia imaculada.

Situada em uma costa margeada por palmeiras no Estado brasileiro da Bahia, Trancoso ainda parece o reduto hippie que tornou o lugar popular há 20 anos, com suas ruas irregulares de paralelepípedos e estradas de terra. Casas de madeira baixas e coloridas são a norma, até mesmo aquelas que atualmente vendem taças de vinho a US$ 35 e pinturas a US$ 3 mil.

"Trancoso tem uma energia própria", disse Paula Vigorito, 40 anos, a proprietária do Tostex, ao conduzir as pessoas até sua casa, que também funciona como loja de joias chiques e esculturas, para uma festa certa noite no início de janeiro. No lado de dentro, os convidados bebiam coquetéis em copos de plástico e dançavam ao som de um D.J. Do lado de fora, um multidão de homens de cabelo comprido e mulheres jovens vestindo camisetas com estampas descansavam no gramado da frente.

"Este é o lugar mais livre no Brasil", disse Vigorito. "É possível fazer qualquer coisa aqui, sério."

Esse espírito irrestrito pode explicar o turbilhão de celebridades brasileiras e internacionais que vieram para cá nos últimos meses para festejar. A lista parece saída das páginas da "Quem", a revista brasileira de fofocas.

Em janeiro, Rodrigo Hilbert e sua esposa, Fernanda Lima, ambos atores da televisão brasileira, foram avistados dançando no clube Pink Elephant. Francesca Versace e Dimitri Mussard, um herdeiro da fortuna Hermès, comemoraram em Trancoso as festas de Natal e Ano Novo. E a cantora brasileira Bebel Gilberto se casou aqui em fevereiro, em uma cerimônia informal com 50 convidados, que foi bajuladamente documentada pelo site brasileiro de fofoca "Glamurama".

E há os frequentadores regulares, nomes conhecidos como Naomi Campbell, Gisele Bundchen e Diane von Furstenberg, que alugam ou são donos de casas de verão isoladas na praia.

O coração da cena de festas de Trancoso é o Quadrado, um campo aberto gramado próximo a um morro, com vista para a praia e flanqueado pelos melhores restaurantes e butiques do local, em casas térreas simples. No outro extremo fica uma velha igreja branca.

  • Lalo De Almeida/The New York Times

    O coração da cena de festas de Trancoso é o Quadrado, um campo aberto gramado próximo a um morro


Durante a alta temporada, que vai de dezembro até fevereiro, Trancoso parece uma 'cidade de vampiros'. Durante o dia, o Quadrado fica estranhamente silencioso, com a maioria das lojas e restaurantes fechada até por volta das 15 horas. Mas à noite, ela ganha vida: luzes multicoloridas brilham das árvores baixas, amigos sentam-se em mesas ao ar livre à beira do gramado e as galerias de arte ficam abertas até depois da meia-noite.

Mais tarde abrem os bares de praia e clubes. Apesar de alguns poucos lugares tocarem o forró, a vida noturna de Trancoso parece mais um clube noturno de São Paulo em estilo praiano. Mulheres jovens vestem vestidos de festa com corte alto, os homens com camisas italianas agarradas ao corpo e bermudas. E em vez dos tênis Diesel ou os Jimmy Choos com alças, quase todos usam sandálias, melhores para dançar na areia ao som dos sistemas de som de ponta e DJs europeus.

Às 3h da manhã de um sábado no Pink Elephant, mulheres jovens em roupas cor-de-rosa apertadas e toucas de penas brancas corriam pelo clube com garrafas de champanhe. O deck de madeira balançava, com alguns festeiros arrancando suas sandálias para dançar na areia úmida ao lado da cabine do DJ. Às 4h30 o sol já começava a se levantar atrás de uma nuvem cinzenta baixa sobre o mar, fundindo a luz solar amarela com as luzes cor-de-rosa do clube.

Os paulistanos começaram a vir para cá em meados dos anos 70, na maioria hippies e artistas com formação universitária, que criaram uma espécie de vilarejo boêmio na Bahia. Nos anos 80, os empresários chegaram e construíram casas de férias requintadas.

Mas foi apenas em 1999, com a construção de uma nova estrada ligando a região ao aeroporto comercial em Porto Seguro, que Trancoso realmente decolou. Em 2003, um Club Med abriu a dez minutos do centro do distrito. A última década adicionou o Terravista Golf Resort, onde mansões projetadas por importantes arquitetos brasileiros como Fabrizio Ceccarelli são vendidas por até R$ 5 milhões. A abertura do Aeroporto Terravista privado e de um heliporto entre Trancoso e o Arraial D'Ajuda permite aos jatos Gulfstream e helicópteros privados levarem bilionários até São Paulo em cerca de duas horas.

"Todo mundo aqui parece ter um helicóptero", disse Vigorito.

Para aqueles sem casas à beira-mar, hotéis pretensiosos chegaram, atendendo aos turistas endinheirados. No início de 2009, Wilbert Das, o ex-diretor criativo da Diesel, abriu o Uxua Casa Hotel, um complexo de oito bangalôs e uma casa de árvore situado em meio a jardins tropicais, que conta com uma piscina cercada por 40 mil pedras de quartzo aventurina verde.

O próximo local badalado, entretanto, provavelmente será o Hotel Fasano, o resort de luxo que está planejando construir 40 bangalôs e 25 casas ao longo de uma praia particular, a cerca de 1,5 quilômetro ao sul do Quadrado. Ele deverá ser inaugurado em 2012, disse Paula Bezerra de Mello, uma porta-voz do Hotel Fasano, no Rio de Janeiro.

Apesar das estrelas e riqueza, Trancoso permanece surpreendentemente tranquila. O serviço lento pode ser enlouquecedor às vezes. Um sanduíche de queijo quente no Tostex pode levar uma hora e 15 minutos em uma tarde movimentada. Um prato de camarão e massa poderia ser inapropriado no clube Paradise.

As praias permanecem impecáveis. Trancoso fica em uma única praia longa que se abre à esquerda e direita do Quadrado. Fora algumas poucas pousadas e clubes como o Tostex, há apenas um punhado de casas, a maioria distante do mar. Restrições de construção impediram hotéis e prédios mais altos, preservando, por ora, a sensação de um lugar bom para meio ambiente.

Um dos pontos mais tranquilos é a praia do Espelho, a cerca de meia hora de carro do distrito, por uma estrada de terra sinuosa que passa por vacas pastando. Em uma tarde ensolarada de segunda-feira, um pequeno punhado de praianos descansava em almofadas coloridas na Pousada e Restaurante do Baiano, uma pousada em estilo colonial onde o DJ tocava um mix de músicas suaves.

A praia do Espelho era um trecho amplo e largo de areia fina oferecendo um antídoto perfeito para uma noite de festa. Na outra ponta da praia vazia, onde a água era morna e cristalina, os ritmos da pousada eram abafados pelo som suave das ondas.

  • Lalo De Almeida/The New York Times

    À noite o Quadrado, em Trancoso, ganha vida: luzes multicoloridas brilham das árvores baixas, amigos sentam-se em mesas ao ar livre à beira do gramado e as galerias de arte ficam abertas até depois da meia-noite

 

Se você for


O aeroporto mais próximo fica em Porto Seguro. De lá, há ônibus para o local e táxis.

Onde comer e beber
Vários dos melhores restaurantes estão no Quadrado.

El Gordo (Praça São João 7, Quadrado; (73) 3668-1193; elgordo.com.br) tem um ótimo serviço e clima romântico em volta de uma piscina.

Il Mercato (Praça São João, Quadrado; (73) 3668-2250) é uma cantina italiana que vende antiguidades.

Cacau (Praça São João, Quadrado; (73) 3668-1266), especializado em frutos do mar.

Tostex (Praias dos Nativos; (73) 3668-1273; tostexpraia.com.br), lugar pra ser visto, conhecido por festas e famosos DJs.

Bahia Bonito Beach Club (Praia do Rio Verde; (73) 3668-1565; bahiabonita.com.br) recebe a festa Pink Elephant, organizada pelas mesmas pessoas do clube Pink Elephant em São Paulo e Nova York.

Onde ficar
Não espere por hotéis com serviço completo; a maioria são "inns" que se misturam à natureza.

Villas de Trancoso (Estrada Arraial D'Ajuda 192; (73) 3668-1151; villasdetrancoso.com.br); seis vilas em volta do Terravista Golf Resort.

Uxua Casa Hotel (lado da praia do Quadrado; (73) 3668-2277; uxua.com.br) tem quartos rústicos e um spa.

Capim Santo (centro do Quadrado; (73) 3668-1122; capimsanto.com.br); eco-friendly, com um dos restaurants interessantes do bairro; 15 quartos e dois bangalôs.

Tradução: George El Khouri Andolfato

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Mais Viagem

Topo