Viagem

Rio Quente Resorts, em Goiás, investe na mudança de faixa etária de seu público

DÉBORA COSTA E SILVA

Em Rio Quente (GO) *

Da tradicional pousada de piscinas de águas quentes, paraíso turístico da terceira idade e destino ideal para pais com crianças, para um parque badalado com aventuras radicais, shows e atividades para o público jovem. É nessa transformação que o Rio Quente Resorts, em Goiás, tem trabalhado.
  • Débora Costa e Silva/UOL

    Aulas de surf com o surfista Phil Rajzman atraem crianças e adolescentes que frequentam a Praia do Cerrado, em Goiás

Desde sua criação em 1964, o empreendimento é reconhecido como um "destino referência" para famílias. Neste verão, o resort atingiu 97% de ocupação e o número de crianças supera os dois mil. Foi também celebrado em 2007 como o destino goiano preferido por aposentados e pessoas com idade acima de 60 anos, de acordo com levantamento do Ministério do Turismo.

Mas novos investimentos, que visam a ampliação da estrutura e do público, têm refletido o desejo da administração em renovar a imagem tradicional do resort. O público infantil e a terceira idade já estavam garantidos. O que faltava para o Rio Quente se tornar um destino que atende a todos as idades era conquistar os jovens.

A inauguração do parque aquático Hot Park em 1997 foi o primeiro passo. Toboáguas, bares, esportes aquáticos, campo de futebol, butiques, cascatas artificiais e passeios de bóia são algumas das atrações do local, que também é aberto para quem não é hóspede do resort (com entrada paga). Em junho de 2008, foi inaugurada a Praia do Cerrado em uma área de 25 mil m², com águas quentes e ondas artificiais, que tem servido para abrigar eventos esportivos, como a Copa Latina de Beach Soccer 2010.

"O nosso público hoje é diversificado. O hotel tem atrações para crianças, jovens, casais e melhor idade. O costume de vir aqui passa de geração para geração", afirma Sandra Maia, gerente de marketing do Rio Quente. A maior parte dos hóspedes ainda é constituída por famílias (65%), mas os jovens já representam 22%, índice maior do que a terceira idade (9%).

Os hóspedes são acompanhados por uma equipe de monitores que promovem atividades específicas para cada público, que se dispersam pelos 497 mil m² do resort. Os shows noturnos e as refeições acabam sendo as ocasiões em que os familiares se reencontram. "Enquanto passo o dia na piscina, faço caminhadas e até hidroginástica, minha filha de 21 anos está nos toboáguas do parque aquático com os amigos e à noite curte a balada", conta a hóspede Ermelinda Martins, de 47 anos.

Entre os novos projetos, está a construção de uma cidade noturna, a Hot City. Inspirado na Downtown da Disney e com inauguração prevista para 2013, o local vai contar com lojas, casas de shows, bares e restaurantes. "Há uma demanda na região para esse tipo de opção de lazer", garante o diretor geral de hotelaria do resort, Ricardo Kawa.

* A jornalista Débora Costa e Silva viajou à convite do Rio Quente Resorts

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.title}}

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Topo