Hotéis investem na conscientização ambiental de hóspedes e funcionários

DÉBORA COSTA E SILVA

Da Redação

A preocupação com a preservação do meio ambiente e com sustentabilidade são as bandeiras mais hasteadas por empresas de qualquer segmento atualmente. Alguns investem mais na publicidade de suas ações, outros abusam da criatividade para criar diferentes formas de economizar energia e água e promover reciclagem. Com meios de hospedagem não é diferente.

Você já deve ter notado, por exemplo, que alguns hotéis alertam os hóspedes que a troca de roupa de cama e de toalhas que não foram usadas acontece em média a cada 48 horas - caso tenham sido usadas, a orientação é de que avisem os camareiros ou deixem em algum lugar específico do quarto. Essa é apenas uma das ações que algumas redes hoteleiras têm feito para economizar recursos naturais.
  • Débora Costa e Silva/UOL

    Resort Salinas do Maragogi, em Alagoas, oferece treinamento em educação ambiental para funcionários e hóspedes

O Resort Salinas do Maragogi, em Alagoas, além de reciclar o lixo, reutilizar a água que transborda da piscina para irrigar os jardins e evitar a lavagem excessiva de lençóis e toalhas, deu um passo à frente no quesito "preservação do meio ambiente". A empresa contratou o biólogo marinho Guilherme Freitas para dar treinamento em educação ambiental para os cerca de 250 funcionários do hotel e palestras para os hóspedes, além de orientar as atividades realizadas em meio à natureza, tais como o passeio às Galés (piscinas naturais) e a trilha ecológica pelo mangue.

Educação ambiental

O curso começou com os marinheiros da náutica, que promovem os passeios em catamarãs até as Galés, e já de início Guilherme percebeu que as aulas seriam úteis para ele também. "Todos eram pescadores, que já sabiam quase tudo sobre o ecossistema na prática, com palavras menos científicas. Então é uma troca: eu ensino algumas coisas e eles também me passam informações que só quem vive no mar pode passar", conta.

A coordenadora de lazer infantil Edneusa Claudia da Silva, que faz o curso atualmente, diz que o curso é benéfico não apenas para os funcionários, mas também para os hóspedes. "Ele passa o que é o mangue e nós podemos passar para o cliente as informações, tirar dúvidas e ensinar como preservar a natureza", ressalta.

O gerente geral do Salinas do Maragogi Ricardo Almeida constata que as aulas com o biólogo tiveram um efeito multiplicador no hotel. "Há uma preocupação por parte as pessoas que trabalham aqui com o que se faz hoje e como isso vai afetar o futuro. Os hóspedes acham fantástico esse trabalho e os funcionários estão orgulhosos, fazem questão de dizer que foram treinados para orientar os turistas", afirma.

Problemas com abelhas, o cheiro forte perto do mangue e a grande quantidade de passarinhos no local eram tema de algumas das reclamações que os funcionários ouviam dos hóspedes e não sabiam como solucionar. "Agora existem projetos para resolver a questão do número alto de abelhas e de passarinhos e a equipe do hotel já sabe explicar aos turistas o porquê do cheiro forte do mangue, que na verdade, faz parte e é típico desse ecossistema", explica Guilherme.

No Brasil

Com mais de 800 hotéis espalhados pelo mundo, a rede Íbis tem como uma das prioridades a sustentabilidade. Iniciativas como ligar os equipamentos de preparo de comida conforme o necessário, colocar em stand by os dispositivos elétricos que não estão em uso e equipar os lobbies e corredores com lâmpadas de poucos watts trazem resultados benéficos não apenas para o meio ambiente, como também ajudam a reduzir gastos.

No Brasil, por conta da coleta e a reutilização da água (por exemplo, em seus jardins) de chuveiros, pias de banheiro e água de chuva, os hotéis Ibis passaram a consumir 20% menos água. Em 2004, a rede se tornou a primeira cadeia internacional de hotéis econômicos a obter a certificação ISO 14001 por causa de suas ações sustentáveis. A meta da empresa agora é aumentar a conscientização ambiental dos hóspedes e colaboradores com informações e treinamento.

Além das iniciativas privadas, o Ministério do Turismo tem apoiado programas e desenvolvido projetos para que a preservação do meio ambiente e a sustentabilidade façam parte das prioridades dos meios de hospedagem do país. A coordenadora-geral de Projetos de Estruturação do Turismo em Áreas Priorizadas Kátia Terezinha Silva acredita que os princípios da sustentabilidade têm que estar na pauta das empresas para que haja desenvolvimento do turismo. "O desrespeito a esses princípios tende a abortar o desenvolvimento turístico da região, pois senão aquele atrativo se esgota, seja cultural ou natural", alerta.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos