Andando pela Europa em duas rodas emprestadas

JANE MARGOLIES

New York Times Syndicate *

Enquanto estava em férias na Europa com sua mãe no mês passado, Laura Caddick viu muitas pessoas circulando em bicicletas vermelhas e brancas. Mas as bicicletas que ela via em todo lugar -parte de um programa de empréstimo de bicicleta da cidade- eram apenas para uso dos moradores locais.

Felizmente, o hotel de Caddick, o ME Barcelona, tinha várias bicicletas para os hóspedes. "Nós pedalamos até a praia, então até o porto e até as Ramblas, parando para beber e almoçar ao longo do caminho", disse Caddick, uma vendedora de moda esportiva de Liverpool, Inglaterra. Ela e sua mãe pagaram 20 euros cada para o aluguel das bicicletas por quatro horas, e sentiram que viram mais de Barcelona do que teriam caso tivessem tomado o metrô ao saírem de seu hotel. "Nós sentimos que experimentamos a cidade de um ponto de vista mais local."
  • Stefano Buonamici for The New York Times

    Ciclista passeia por Barcelona; muitos turistas estão apostando em bicicletas para conhecer cidades europeias


Nos últimos anos, de Paris a Roma, novas ciclovias urbanas e programas de empréstimo de bicicleta têm ganhado popularidade. E apesar de alguns turistas não poderem usufruir de todas as oportunidades ciclísticas -em Paris, por exemplo, os aparelhos de check-out do Vélib', o programa público de aluguel de bicicletas, não aceita a maioria dos cartões de crédito americanos (eles carecem de um microchip essencial)- há vários hotéis que oferecem aos hóspedes o uso de bicicletas por uma pequena taxa ou gratuitamente.

"Se tornou uma nova forma de os hotéis mostrarem seu lado verde", disse Jonathan Barsky, vice-presidente de pesquisa da Market Metrix, que avalia a satisfação dos clientes das empresas de hotelaria.

As bicicletas, que geralmente são modelos simples, provaram ser populares, especialmente entre os hóspedes em férias, apesar de viajantes a negócios às vezes preferirem pedalar até um compromisso, segundo vários hotéis.

O Hotel Gates em Berlim, que disponibilizou uma dúzia de bicicletas vermelhas em maio passado, as oferecendo aos hóspedes gratuitamente, acabou de encomendar mais quatro para a temporada de verão.

"Às vezes os hóspedes pedem uma bicicleta, mas todas estão emprestadas", disse Kirsten Kurbjuhn, a gerente geral, acrescentando que mais de 60% dos hóspedes que preenchem o questionário de feedback do cliente dizem que as bicicletas são "um serviço altamente valioso", e 20% disseram que foi um dos motivos para terem escolhido o hotel.

Astrid Bohé, uma consultora de administração de Frankfurt que reservou um quarto no Hotel Gates para uma viagem de negócios no final de março, não sabia a respeito das bicicletas antes de sua chegada. Mas após saber a respeito na recepção do hotel, ela ficou feliz por ter tomado um táxi no aeroporto em vez de alugado um carro.

"Estacionar é um problema em Berlim", disse Bohé, que pedalou até o compromisso de negócios, para as compras e até mesmo até o jantar à noite. "Eu gosto de chegar rápido aos lugares e fazer um pouco de exercício ao mesmo tempo."

Alguns dos hotéis arranjam com lojas de bicicletas próximas a disponibilidade das bicicletas para os hóspedes. Um dia de uso de uma bicicleta está incluso no pacote Berlim Mais Verde do Mövenpick Hotel Berlin, que aluga as bicicletas de uma empresa local. O pacote também inclui sais de banho, presumivelmente para aliviar as dores musculares após os exercícios.

Mas cada vez mais hotéis estão investindo em suas próprias frotas -e escolhendo modelos que reforcem a identidade do hotel.

Em agosto, o Le Meurice, um hotel parisiense que ocupa um palácio de 1835 em frente ao Tuileries, apresentou cinco bicicletas em estilo retrô no tom azul esverdeado dos telhados de cobre oxidados da cidade, com capacetes combinando e cestas frontais com o logo dourado do hotel. Hóspedes americanos e britânicos na faixa dos 30 anos tendem a ser os clientes mais entusiasmados, segundo o hotel; o estabelecimento irmão do Le Meurice, o Plaza Athénée, optou por bicicletas de cor vermelha vibrante com alforje.

No Victoria-Jungfrau Grand Hotel & Spa, em Interlaken, nos Alpes Suíços, os hóspedes podem sair com mountain bikes Scott -o mesmo modelo que o time de futebol do Liverpool, que usou o hotel como base para a pré-temporada há dois anos, usava para ir e vir do campo de treinamento, pedalando em seus uniformes vermelhos e pretos enquanto os torcedores se aglomeravam ao longo do trajeto.

O quadro de funcionários do ME Barcelona, parte da rede de hotéis Sol Meliá, visitou várias lojas de bicicletas antes de escolher as bicicletas prateadas dobráveis apresentadas em setembro no hotel, guardadas em uma torre modernista revestida de alumínio anodizado.

"Nós sempre gostamos de estar na vanguarda da tecnologia", disse Pete Zudyk, vice-presidente de inovação de marca e comunicação do Sol Meliá.

É claro, alguns hotéis fornecem bicicletas há muitos anos. O Hotel Hassler, em Roma, as oferece há duas décadas, segundo Vivian Barsanti, a coordenadora de marketing e mídia.

Na ciclista Copenhague, que conta com semáforos especiais em miniatura para os ciclistas e ciclovias claramente demarcadas, as bicicletas há muito são uma oferta padrão dos hotéis.

Mas o ritmo com que os hotéis estão introduzindo as bicicletas está acelerando. E com as bicicletas vêm os mapas com rotas para elas. O Ritz-Carlton, de Berlim, que tem duas bicicletas BMW e seis Cannondales, mapeou uma rota do Muro em comemoração ao 20º aniversário da queda do Muro de Berlim.

O Ritz-Carlton, Powerscourt, em County Wicklow, Irlanda, possui um dos mais novos programas de bicicletas. Em dezembro, o hotel introduziu 12 bicicletas verdes Skeppshult com selim de couro Brooks. Cestas de palha de piquenique podem ser fixadas na traseira das bicicletas. Para os hóspedes que querem encarar as Montanhas Wicklow, um trecho da Volta da França em 1998, o hotel pode arranjar o aluguel de uma bicicleta de estrada de 18 marchas e até mesmo contratar um "concierge ciclista", um ciclista profissional aposentado, como guia (até o momento, ninguém quis). E se alguém encontrar carneiros bloqueando a pista ou se deparar com uma chuva repentina, basta apenas telefonar ao concierge por celular para uma carona de volta ao hotel (até o momento, duas pessoas fizeram uso do serviço).

Alguns viajantes gostam tanto das bicicletas de seus hotéis que querem levá-las para casa. O Le Meurice e o Plaza Athénée já venderam duas bicicletas cada um por dois mil euros (uma versão um pouco menos elaborada do modelo no varejo, fabricada pela Comète, custa aproximadamente metade disso). As bicicletas visavam ser um serviço aos hóspedes, disse Isabelle Maurin, a diretora de comunicação do Plaza Athénée, em uma mensagem por e-mail. Mas "se as pessoas querem comprar", ela acrescentou, "por que não?"

Tradução: George El Khouri Andolfato
* Texto originalmente publicado em maio de 2009

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos