Viagem

Sinta o verão montanhoso de Maiorca em 36 Horas

PENELOPE GREEN

New York Times Syndicate

14/08/2009 16h10

Os verões em Maiorca são famosos pelo grande número do que atraem: bilionários em seus megaiates, astros de cinema em suas propriedades na montanha. Michael Douglas tem uma casa em Deià, e na vizinha Sóller, há um posto avançado do Ashram, a resposta de Malibu ao ascetismo, no qual executivos de estúdio pagam milhares de dólares por semana para comerem como hippies vegetarianos. E há outros visitantes de verão, os jovens europeus que inundam os novos empreendimentos imobiliários que se espalham a partir da adorável e medieval Palma e tornam as cenas de praia locais em contos de alerta sobre os perigos do álcool. Mas fora da temporada, que vai do outono até o início do verão, esta ilha montanhosa é praticamente só sua. Alugue um carro (há muito o que ser percorrido na ilha) e deixe-se hipnotizar pelas paisagens ancestrais com oliveiras, minúsculas aldeias medievais e a comida e vinho extraordinários.


  • Lukasz Brzozowski/SXC Photos

    Fora da temporada, que vai do outono até o início do verão, esta ilha montanhosa é praticamente só sua


Sexta-feira


16h - Comprando especialidades

As ruas medievais e praticamente livres de carros de Palma têm muito charme por conta própria, mas também contam com pequenos prazeres na forma de lojas que oferecem especialidades locais. Primeiro, siga ao norte até a Passeig des Born e vire à esquerda na Carrer de Sant Feliú para uma visita ao Rialto Living Palma (Carrer de Sant Feliú, 3C; 34-971-713-331; www.rialtoliving.com), uma loja caleidoscópica que vende móveis e roupas, além de contar com uma galeria de arte e café, tudo situado em um antigo teatro adaptado. Há bobinas e bobinas de tecido listrado de algodão por 39 a 45 euros o metro (US$ 51 a US$ 59, com o euro cotado a US$ 1,32), o que não é uma pechincha, mas as cores são deslumbrantes. Em uma rua rebaixada próxima fica um mercado, o Colmado Colom (Calle de Santo Domingo, 5; 34-971-711-159), que vende o souvenir de Maiorca: a amostra de flor do sal Balearides, uma seleção de cinco sais marítimos com sabor, de ervas a azeite de oliva. Em casa, você os salpicará em tudo o que comer. Outra possível parada é a catedral de Palma, La Seu, que tem 800 anos. Como muitas igrejas góticas, seu volume imenso e vazio atingem você como um trem de carga. Após passear pela catedral e ruas sinuosas de Palma, você poderá precisar de algo para reanimar: o Cappuccino Palau March (Carrer Conquistador, 13; 34-971-717-272; www.grupocappuccino.com), parte de uma rede da ilha, tem um vazio pretensioso e uma vista incrível; tome uma xícara de cappuccino (3,30 euros) ao lado dos alemães endinheirados que você encontrará sentados no pátio ao ar livre.

20h - Bebendo com os moradores locais

É possível beber vinho por centímetro, ou pedir um Estrella Galacia, o equivalente espanhol da Budweiser, no Bar Dia (Calle Apuntadores), que atrai uma clientela local para suas tapas (a partir de 5 euros), suas hierbas (destilado a base de anis semelhante ao ouzo; 2 euros) e seu frango grelhado (6,50 euros). O proprietário estará sentado em um canto fumando e jogando cartas com seus amigos, e não poderia dar menos bola ao ver você.

21h - Nos barris

No La Bodeguilla (Calle de Sant Jaume, 3; 34-971-718-274; la-bodeguilla.com), há 300 vinhos na carta, variando de um Chateau Petrus 1999, por 1.450 euros, ao tinto orgânico produzido localmente, por 14,50 euros. O restaurante é tranquilo, com uma decoração atraente em vermelho e preto. Você pode comer sobre barris de vinho com tampa de vidro (mas cuidado: este é o setor dos fumantes) ou na extensa adega (os moradores locais o chamam de Bar do Barril). O cardápio de tapas (24 euros) inclui duas porções que se destacam: o carpaccio de pulpo (polvo) e o ravioli de morcilla (ravioli de chouriço com sabor de erva-doce). Os carneiros são parte da paisagem de Maiorca tanto quanto suas oliveiras, então não causa surpresa o fato de o cabrito (18,90) ser previsivelmente delicioso, assim como o vinho tinto suave local, o Bodegues Ribas Sió (29 euros a garrafa).


  • Andrea Kratzenberg/SXC Photos

    Moinhos de vento tipicamente espanhóis podem ser apreciados em Maiorca


Sábado


11h - Um passeio fragrante

No canto noroeste da ilha, a aldeia de Deià, com cor de manteiga e antiga (ela data da era moura), é um centro de trilhas de caminhadas e trilhas de burros que envolvem a Serra de Tramuntana, as montanhas que a cercam. Também é lar do Hotel la Residencia (Son Canals s/n; 34-971-63-9011; www.hotellaresidencia.com), um ímã de celebridades com vistas espetaculares. Siga a pequena trilha em frente à área de estacionamento do hotel para uma caminhada agradável de meia hora por escadarias e ao longo de terraços de pedra repletos de limoeiros, laranjeiras e lavanda silvestre. Você poderá até mesmo ver um aspargo silvestre.

13h30 - Café com vista

A Cafeteria Sa Font Fresca (Via Arxiduc Lluis Salvador, 36; 34-971-639-441) é um pequeno café com vista para um riacho e muitos quintais. Não há grandes destaques culinários, mas o terraço é um local adorável (ou entre para assistir a um jogo de futebol pela televisão ao lado dos espectadores fumantes). Peça um bocadillo de jamon e uma cerveja gelada (5,30 euros).

15h - Indo longe

Siga para o sudeste por uma vertiginosa estrada costeira chamada MA-10 até a cidade de Banyalbufar; a viagem pode ser o trajeto de carro mais adorável e aterrorizante que você fará na vida. Os mirantes ficam estrategicamente situados. No Mirador Torre del Verger, você pode subir a pequena torre e ter um momento Kim Novak, observando as ondas quebrando nos rochedos abaixo. Siga a costa até a estrada virar à esquerda para Andratx, e prossiga até chegar de novo ao mar, em Port d'Andratx, uma aldeia pesqueira pitoresca e balneário.

17h - Café à beira-mar

Há uma loja Cappuccino no meio de Port d'Andratx (Avenida Mateo Bosch, 31; 34-971-672-214) que fica situada perfeitamente para assistir a chegada dos barcos pesqueiros. Tome um café antes de visitar o mercado de peixes daqui, que é particularmente satisfatório, com uma vasta quantidade de criaturas marinhas locais frequentemente não identificáveis.

20h30 - Jantar em grande escala

Cavernoso e com temática medieval, o Oleum (Calle Castillo de Sonnet s/n; 34-971-147-000; www.oleum-mallorca.com), na aldeia próxima de Puigpunyent, fica na sala da prensa de azeitonas de uma propriedade do século 17; a prensa imensa ainda está lá, e estabelece a escala para tudo mais. O jantar é elaborado e explora muito os recursos locais. Cordero de la Tramuntana é um cordeiro temperado com alecrim e Mahones, um queijo cremoso. Para acompanhamento, prove o vinho próprio do Oleum, um blend de uma vinícola de Maiorca, a Macia Batle. As entradas custam em torno de 30 euros; os vinhos na taça variam de 7 a 14 euros.


  • Asia 3333/SXC Photos

    As charmosas ruas de Palma são quase livres de carros e têm lojas que oferecem especialidades locais


Domingo


Meio-dia - Poder fusion

No alto de uma rua murada na aldeia de Orient, a cerca de 40 minutos de carro de Palma, fica o Mandala (Calle Nueva, 1; 34-971-615-285), um restaurante fusion espanhol-francês-asiático situado na encosta de uma colina. Fileiras de rúculas e ervas brilham de verde no jardim nos fundos, sob uma bandeira de oração tibetana desbotada. Com seus quadros de temas da ilha ao estilo Gauguin e adornos medievais, as salas aconchegantes do Mandala são o local para se acomodar para uma longa refeição agradável (digamos, duas ou três horas). Os filés de cordeiro com maçãs em molho de vinho tinto e açafrão são complexos; o curry de peito de frango caipira com chutney caseiro é delicado e saboroso. Uma pequena torta de frutas grega com peras em um creme de mascarpone com vinho tinto pode ser a sobremesa que você nunca esquecerá. O jantar para dois sem vinho sai por cerca de 50 euros. É sugerido fazer reserva.

O básico

O aeroporto de Palma fica a cerca de 20 minutos da cidade; um táxi custa aproximadamente 16 euros, cerca de US$ 21, com o euro cotado a US$ 1,32. A maioria das empresas de aluguel de carros está representada no aeroporto; entretanto os melhores preços podem ser encontrados na Goldcar Rental, uma empresa espanhola.

O Puro Oasis (Urbano Montenegro, 12; Palma; 34-971-425-450; www.purohotel.com) fica no coração de Palma, em uma minúscula travessa do Passeig des Born, a principal via da cidade. Ele é glorioso e hilariamente pan-étnico-badalado, vestido todo de branco, assim como seu quadro de funcionários amistoso e bonito. Os quartos simples durante a alta temporada (de abril a outubro) custam a partir de 195 euros, ou cerca de US$ 257.

Para um sabor do interior, considere o sonoro e majestoso Gran Hotel Son Net (Calle Castillo Sonnet s/n, Puigpunyent; 34-971-147-000; www.sonnet.es) na aldeia de Puigpunyent, ao noroeste de Palma, que fica em uma finca, ou propriedade, do século 17. Com seus muros de pedra, seus Hockneys e Chagalls, e seus acessórios de veludo, ele é solenemente luxuoso e se leva muito, muito a sério. Também é alarmantemente caro: as diárias variam de 340 euros por um quarto clássico (um quarto perfeitamente adequado, mas mal iluminado, com duas camas com vista para a rua da frente e com um banheiro tão grande quanto o próprio quarto, como todos os banheiros do Son Net) até 1.050 euros pelas suítes reais, que são apartamentos inteiros com jardins próprios.

Tradução: George El Khouri Andolfato

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba seu horóscopo diário do UOL. É grátis!

Mais Viagem

Topo